quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Para vos desejar boa Festa de fim de Ano


Sou eu mesma q venho desejar vos uma festa tao feliz quanto esta q apresentei em Setembro de 2009
Rão Kyao e o Coro dos Antigos Orfeonistas em Coimbra

POEMA por Lucinda Ferreira


POEMA por Lucinda ferreira




Dos beijos
Que eram beijos
Nasceram flores…
O sémen
Tornou-se fruto!
O amor rompeu
A escuridão
Do tempo e da dor.
A seara floriu
O trigo já é pão!
Escondeu-se.
Arca sagrada
Mora no meu coração.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

sábado, 18 de dezembro de 2010

Iris cientifica


Íris Científica, um Livro a não perder!


"Investigação Científica é a estrela que dirige os passos dos caminheiros nas diversas estradas que a Ciência vai abrindo na rosa das sucessivas divisões do saber humano”


“Quem se dedica a problemas da Investigação científica anda alheado do mundo, preso à sua vida… Tudo se reduz a obter novas aquisições científicas a bem da Humanidade sofredora”



“Os Museus por modestos que sejam são centros de educação e regalo espiritual



Íris Científica é o título de um Livro cheio de Poesia e de segredos do Universo.
A sua autoria pertence ao investigador científico da Universidade de Coimbra e comunicador de Ciência, Dr. Antonio Piedade.
Vinte e três momentos especiais expressos com uma destreza singular, descodificados e apresentados com um entusiasmo e um saber tais, que fazem desta leitura, uma aventura apaixonante para qualquer um de nós.
Estamos sempre desejosos de saber mais e mais, esperando que o livro não termine logo…
Divide-se este trabalho em Momentos, Explorando o Universo e a Magia da Vida .
António Gedeão abre esta compilação tão especial, marcando o tom da profundidade e do poético, numa abordagem nova do científico, antes de tão difícil penetração e tão distante. Coisa de laboratório de sábios penas.
Quem não lembra ainda Pedra Filosofal e Lágrima de Preta, divulgando conceitos em lindas canções?
O científico tornado acessível para qualquer um de nós, de um modo novo. Simples. Encantatório.
Só quem sabe muito do assunto, tem o dom da escrita e a paixão por esta temática, consegue de um modo tão agradável e persistente, levar tanto de nós a penetrar assuntos tão densos e desconhecidos, como o faz Antonio Piedade.
São estes motivos que tornam este Livro, um presente de Natal ( ou do novo ano que desponta um dia destes…) cheio de encanto e originalidade.
E nem por isso terá que despender tanto assim.
Basta comunicar com o autor, Dr. António Piedade , pelo email apiedade@ci.uc.pt e por oito euros terá o livro em sua casa com portes pagos inclusivamente.
Pode também pedir por smn, para o número de telemóvel, número 91 8325 606.
A meu ver, seria também uma sugestão para as Escolas adquirirem IRIS CIENTIFICA e colocarem este Livrinho de apenas cento e poucas paginas, nas Bibliotecas, ao serviço dos mais novos que assim vão sendo despertados para novas realidades da nossa Terra, nossa Casa e Mãe amorosa e cheia de generosidade e por vezes tão abandonada!
E os novos investigadores, cientistas e grandes homens capazes de mudar o mundo, estão aí.
São os nossos filhos e os nossos netos que temos que estimular e que começam muitas vezes por um clic muito simples , como a leitura de um livro, um professor estimulante e apaixonado, pelo modo agradável como divulga a ciência para os mais miúdos, as sessões nos museus , como o vem fazendo o nosso Museu da Ciência em Coimbra e de que um dos meus netos é fan incondicional, embora pequenino ainda.
Naturalmente que a nossa gratidão, abertura, aceitação a esta temática da investigação cientifica, são um estímulo para quem assim se dedica de alma e coração a esta tarefa de investigar. Sistematizar. Traduzir e divulgar esses conhecimentos sobre Ciência, como o faz o Dr. Antonio Piedade que generosamente vai partilhando novos saberes nos jornais - Diário de Coimbra e Despertar.
A ele, o nosso muito obrigada.
Lucinda Ferreira
linmare@edicomail.net
blog: http://lucinda.umaponteparaoinfinito.blogspot.com
Nota:
1- O que é trabalho de investigação?
R- A investigação é definida pela efectivação de um processo que mediante a aplicação de uma determinada metodologia e de técnicas adequadas procura obter dados fiéis, objectivos e relevantes, para conhecer e compreender um determinado objecto. Os princípios e processos empíricos de descoberta e demonstração considerados característicos ou necessários para investigação, envolvem a observação de fenómenos, a formulação de uma hipótese relativo aos fenómenos, experimentação para demonstrar a verdade ou falsidade da hipótese e uma conclusão que valida ou modifica a hipótese.
2- Para que serve?

R- O conhecimento obtido pela investigação deve contribuir para a ampliação do conhecimento já acumulado e para construção, reformulação e transformação de teorias, bem como estar disponível para a comunidade que pretende servir. Deve contribuir para a formação de consciência crítica, ou seja, do espírito crítico do pesquisador, de todas as comunidades em geral e sobretudo do grupo no qual acontece.

domingo, 12 de dezembro de 2010

Musica substitui medicamentos?...


Musica e Saúde



Que tipo de música é útil e para quem?


"Todos sabemos que a música não só pode melhorar a qualidade de vida (QV),
mas também origina efeitos diferentes sobre a freqüência cardíaca (FC) e sua
variabilidade (VFC)
A música e as suas frases rítmicas são monitorizadas de forma
consistente por variáveis fisiológicas. Respostas automáticas estão sincronizadas
Dm a música, o que pode, portanto, transmitir emoções através de excitação
utonómica durante crescendos ou frases rítmicas.
maior modulação da FC, VFC e modulações da acíividade nervosa autonómica
srdíaea foram reveladas com um efeito maior para a execução da música do que a
arcepção musical.
As reacções à música são consideradas subjectivas, mas estudos
sugerem que as variáveis cardio-respiratórias são influenciadas em diferentes
circunstâncias
Tem sido demonstrado que a música relaxante diminuí significativamente o nível de ansiedade
numa configuração de pré-operatório, em maior medida, que o midazolam administrado por via oral (p <0,001).>


sábado, 4 de dezembro de 2010

POVO QUE JA NAO LAVAS NO RIO 2.ªparte


POVO QUE JÁ NÃO LAVAS NO RIO…
(2/3)artigo


Um homem não pode fazer o certo numa área da vida, enquanto está ocupado em fazer o errado em outra. A vida é um todo indivisível.”
Mahatma Gandhi


Onde quer que esteja, faça o que fizer, vivo intensamente. Tudo registado no fundo de uma gavetinha qualquer. Depois é só aceder…
Habituei-me a observar, sem julgar.
É, porque é. E tudo é interessante.
Alguns gestos, acções, alegram-me mais do que outros.
A sintonia, afinidades, preferências semelhantes dão um colorido diferente à vida, mas tudo é muito importante.
Estamos todos irremediavelmente ligados, daí o eco em nós.
O Universo é um todo e somos responsáveis sempre pelo todo, até nos nossos pensamentos mais secretos.
Os pensamentos são algo muito importante. São uma energia muito forte!
Influenciam em primeiro lugar o ser pensante. Depois o resto do mundo.
………………………………………………………………………………………………………
Conselhos só se dão quando no-los pedem. De resto só em caso de vida ou morte, se arriscam…mas ainda assim, quando é em matéria da minha área, às vezes descuido-me...
E cá vai a continuação do meu registo aquando da minha estadia nas Termas.
………………………………………………………………………………………………………….
Sempre que podia, aproveitava para ajudar quem estivesse mais atrapalhado.
Penso e tento viver, como Ruben Alves quando diz:
A vida, para ser bela, deve estar cercada de verdade, de bondade, de liberdade. Esses são as coisas pelas quais vale a pena morrer “… e viver…
Eu era das mais novas do grupo.
Reparei que as criaturas estão tão mal habituadas, que até têm medo de quem as ajuda.
Como eu as entendo…
Outra senhora, sensibilizou me quando me disse:
‘Nunca mais vou esquece la ‘ (…) só porque todos os dias a ajudava com um gesto muito simples, numa sua dificuldade. (…)
Pergunto me se o desconcerto e agressividade que observei na maioria dos mais velhos, não estarão ligados ao abandono e falta de amor da família e da sociedade em geral, para com os mais idosos.
Somos feitos de barro e sopro. Um feixe de surpreendentes emoções. Interrogo me se o tempo anunciado do espírito, ainda demorará muito…
E logo percebo que é preciso acreditar num mundo melhor.Tentarmos, cada um de nós, mudar. O somatório dessas mudanças há-de certamente trazer a aurora de um Tempo Novo de amor e solidariedade!
Se é verdade que há muita treva e densidade à nossa volta, também há muita gente fazendo um sério e dedicado treino para uma mudança profunda nos padrões de pensamento e atitudes no seu dia a dia.
Jean- Yves Leloup dizia:
Tudo o que fazemos sem AMOR é tempo perdido. Tudo o que fazemos com AMOR é a eternidade reencontrada.
Afinal uma vela só tem valor quando acesa.
Às vezes, até penso como Jean Paul Sartre que não é o que fizeram de mim o que mais importa, mas importa o que eu faço com o que fizeram de mim’…
E lá vamos na caminhada, aprendendo as lições de vida.
E “não vale a pena fazer planos para a vida , para não estragar os planos que a vida tem para cada um de nós”.
O homem põe e Deus dispõe.
……………………………………………………………………………………………………………
Naquela zona, todos vivem da riqueza das ÁGUAS TERMAIS.
Quem trabalha directamente nas Termas, os comerciantes, os que vão melhorando as suas casas, graças aos arrendamentos aos aquistas, os que vendem os seus produtos…
Há figuras típicas que passamos a visitar periodicamente.
Uma senhora já de alguma idade, guarda severa, que ainda não aprendeu a ser amável, que está sempre na Igreja ‘e que se julga dona de Nosso Senhor’, invejosita para toda a gente por sinal e estranhamente antipática… Até assusta.
Felizmente o assistente religioso é bem diferente e Nosso Senhor no seu silêncio acolhe a todos.
Até ‘à dona de Nosso Senhor’, coitada que ainda não sabe, nem consegue acolher com amor e simpatia, quem visita a Casa de Deus por Amor.
Outra ‘rezadeira’ , com uma personalidade muito interessante, achava que devia receber dinheiro por orar pelos outros…
Comia e bebia muito bem (...) dançava e pulava ainda melhor .
Embora velhota, sabia de experiencia própria, que ‘cordeirinho manso mama na mãe, nas tias e amigas, em todas’… e assim era com esta senhora.
Enquanto rezava, intervalava falando do padre que andava de namoro com …
De facto o discurso focava sempre a terceira pessoa…ausente…
Quando se encontravam duas pessoas, era certo que falavam de alguém…embora estivessem sempre a rezar.
Não sei que modelos espirituais formam e informam estas ‘pobres’ gentes.(…)
Havia também o tipo de “chica esperta”, emigrante, arrogante e desagradável, sabendo sempre tudo, possuindo tudo e que se metia com todas as pessoas magoando-as, sendo inconveniente. Atrevida a opinar. Criticar. Humilhar. Ser dura com os menos espertos, na sua opinião.
A sua energia era tão desagradável que todos fugiam dela. Quando foi embora, sentira-se um grande alívio, no geral.
È que mesmo em silêncio, todos nós emanamos uma energia que plasma o ambientem em que nos movemos. Os mais atentos apercebem-se e sentem isso facilmente…
Aquela criatura seria assim, pelas circunstâncias da sua vida e o pelos círculos atrasados em que habitualmente se movia (…).
Na terra de cegos quem tem um olho é rei, mas depois ela extrapolava em excesso para quem nem sequer conhecia…
Tive pena de ela não deixar descobrir o seu lado solar.
Cada um de nós tem um lado lunar e outro solar.
Ela também devia ter um lado lindo, só que não deixou que a identificássemos pelo seu melhor.
E lá se foi a emigrante rabugenta...
Nós ficámos na caminhada, prosseguindo nos tratamentos até novo encontro.
...Se pudesse ser um encontro imediato mais simpático, não seria pior…
… Aquele abraço de sempre aos meus fiéis leitores !

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

As árvóres são minhas irmãs...







As árvores são minhas irmãs




. “A Natureza é o único livro que oferece conteúdo valioso em todas as suas folhas”.

Goethe
.Quando agredida, a Natureza não se defende. Apenas se vinga”
Albert Einsteisn
. “Para dar ordens à Natureza é preciso saber obedecer-lhe”
Francis Bacon



Estava no meu computador, quando a minha casa abanou.
Assustou-me, confesso.
O dia estava chuvoso. Triste. As janelas fechadas. O aquecimento ligado. Os meus gatos todos ao meu redor , no calorinho.
Entretanto, abri a janela.
O coração deu um pulo.
Os olhos marejaram-se de lágrimas...
”A minha Palmeira” acabava de ser abatida.
Aquela mesma Palmeira pela qual tanto lutei aquando da destruição do velho casarão da Conchada, onde vi crescer tantas pessoas cheias de dificuldades e sem qualquer conforto e que hoje têm filhos bem colocados .
Integrado, suponho num Projecto Europeu contra Pobreza , ergue-se hoje um edifício cheio de dignidade, que alberga ainda alguns filhos do Velho Casarão, mas também outras gentes .
E a linda e fiel Palmeira como um guardião vindo de longe no tempo - talvez 100 anos… - identificava o local , como uma sentinela.
Ao vê-la caiar assim sem porquê, a minha alma chorou.
Imediatamente, lancei o meu SOS para a QUERCUS, Junta de Freguesia e Câmara Municipal.
Durante uns tempos de sofrimento, surpresa e interrogações impotentes brotando do fundo do meu ser, chorei a “minha Palmeira”que avistava de a minha janela e que todos os dias de manhã saudava com carinho.

Passados umas horas, o telefone tocou.
Era o Director de Serviços do Ambiente e Qualidade de Vida da Câmara Municipal que gentilmente me ligava.
Embora já um Senhor, pai de família de jovens já bem crescidos, para mim ele continuava a ser aquele menino simpático, brincalhão, alegre e delicado que um dia tivera como aluno e por quem tenho muito carinho.
Aliás também a sua Mãe, minha Professora me marcara pela sua exigência, honestidade e dedicação.
Seu Pai , um militar distinto, era duro e exigente na educação do Toju e por isso sei que a preocupação de hoje do profissional atento e consciente, tem a minha gratidão e merecem -me todo o crédito as suas decisões, sem sombra de dúvida.
Então foi -me explicado que a nossa querida Palmeira, teve que ser sacrificada, dado um vírus altamente contagiante a ter atingido…

Atingiu a ela e a outras estátuas memorandas, espalhadas pela nossa cidade.
O vírus vindo do Egipto é responsável pela morte das Palmeiras do Algarve, Vila Nova de Poiares e aqui agora em Coimbra.
Mas não se fica por aqui…
Também os Plátanos vão ter que ser abatidos pela mesma razão: vírus assassino do mundo verde da nossa Terra.
E a desgraça vai alastrando e não escapam as laranjeiras.
Imaginem um vírus, designado pelo vírus da tristeza dos citrinos.

E já agora transcrevo, algo interessante sobre este assunto.
Ora leia..
“Escaravelho mata palmeiras algarvias


Praga de insectos deslocou-se do sul de Espanha, e foi detectada em Albufeira e Portimão. No país vizinho, escaravelhos foram responsáveis por milhões de euros de prejuízo.





Existem, pelo menos, cinco focos de escaravelhos considerados “mortais” para várias espécies de palmeiras, já detectados pela Direcção Regional de Agricultura do Algarve. A praga de insectos do grupo dos gorgulhos foi encontrada pela primeira vez, de acordo com o jornal “Expresso”, na Freguesia de Guia, Albufeira, no passado mês de Agosto.
Em finais de Setembro, a Direcção Regional de Agricultura e Pescas (DRAP) do Algarve voltou a detectar a presença de Rynchophorus Ferrugineus (nome científico) em palmeiras no concelho de Albufeira, com dois focos, e no de Portimão, com três.
Ao mesmo jornal, um especialista em insectos do Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos (Cibio), da Universidade do Porto, afirmou que a espécie "é maior do que a generalidade das espécies de gorgulhos presentes em Portugal" e pode ter sido introduzida no país acidentalmente, através do comércio de plantas, ou pode tratar-se de uma progressão a partir de Espanha”, disse José Manuel Grosso-Silva.
O mesmo especialista acrescenta que o combate com químicos não é totalmente eficaz, razão pela qual é difícil acabar com a praga.
Especialistas da DRAP do Algarve vão discutir o assunto, de 22 a 26 deste mês, no V Congresso Nacional de Entomologia Aplicada, em Cartagena, Espanha, e efectuam uma visita técnica à região de Málaga, para tentar combater a chegada da praga às palmeiras algarvias.
Um escaravelho mortal
Proveniente do sudeste asiático, o Rynchophorus Ferrugineus tem uma preferência especial pela Palmeira das Canárias, muito comum em Portugal e Espanha.
A sua acção centra-se na base das folhas e interior do caule, e é especialmente preocupante porque bastam dois a três meses para que consiga secar uma árvore.
O problema adensa-se porque é difícil a identificar a infestação antes de uma fase avançada. Acabada “a refeição”, o escaravelho asiático desloca-se para outras palmeiras nas proximidades, tendo por base o olfacto.
A praga foi detectada na zona de Alicante em 1995, e propagou-se no sul do país tendo provocado avultados prejuízos. O combate à praga custou aos espanhóis cerca de 16 milhões de euros.
A Comissão Europeia já reagiu à praga e publicou em Maio medidas de emergência, entre elas a obrigatoriedade de quarentena no país de origem (se for um país terceiro) durante um ano antes da importação, e de mais um ano no Estado receptor, para tentar evitar a propagação do escaravelho asiático.”
…………………………………………………………………………………………………… Que mais nos irá acontecer?
Sobretudo as nossa queridas árvores, com a sua beleza e o oxigénio que tão generosamente nos oferecem.
Que será delas e de nós…
Lucinda ferreira

sábado, 27 de novembro de 2010

Dedicado a minha Mãe, Filha e a todas as Amigas verdadeiras


MULHER


Para Ti, Mulher madura
Que caminhas de cabeça erguida!
E para Ti, Jovem Menina
Que sorris com Alegria,
Cheia de sonhos e promessas!
Para Ti, Velhinha -Mulher, Mãe, Avó!
Menina de laço branco
Que saltitas no jardim...
...para Ti ,Mulher
compus esta canção!
... canção de amor
com sabor a mar.
...Uma canção de amor
feita de mil flores,
crescendo no prado, selvagens e livres!...
... Coloridas. Fortes. Erguidas!
...Uma canção
trazida pelo vento
madrugadas de fogo
cheias de vidas! Muitas vidas!
Vidas que geraste.
Vestiste.
Alimentaste.
As tuas mãos, qual rei Midas
Perfumam tudo em que tocas.
Enchem de ouro o mais pobre
De esperança em longas viagens
A Criança que sentes crescer,
Em teu seio
No seio da tua Família.
Mulher, Fada e Princesa
Causa primeira
Feiticeira.
Escondes em Ti
Todas as vitórias dum amanhã
Sem fim. Sempre mais alto.
Sempre mais além!

Brampton,Agosto 2000
Lucinda Ferreira

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

O Povo Portugues ja nao lava no rio , como dizia o poeta Homem de Mello e cantava Amalia Rodrigues


Povo que já não lavas no rio…

Durante 15 dias, mergulhei sem preconceitos, no mais profundo do Povo Português.
Ora no convívio dos tratamentos termais, ora no local de alojamento, ora numa festa popular organizada pela Câmara da localidade.
Queria sentir ali mesmo do meu lado, as reacções mais espontâneas e genuínas dos homens, mulheres, jovens ou mais idosos e ainda das crianças.
Gostava de só ter coisas interessantes e lindas para contar, mas…nem sempre assim era.
Sente-se que a falta de educação cívica é por demais evidente.
A Escola e a Educação em Portugal têm que ser prioritárias! È urgente.
A televisão depravada e sem vergonha é a única Escola de costumes?
Vai mal a nossa Nação, amigos!

Tristemente se constata, que ninguém respeita nada , nem ninguém , muito menos os avisos, nem os parceiros do lado.
Respeito, amor, gentileza, boas maneiras é coisa desconhecida da maioria.
Por exemplo, havia um aviso afixado que pedia silêncio num local de repouso.
Pois…parecia uma feira e quem queria descansar um pouco, tinha que se vir embora para não se enervar mais.
Pedia-se para beberem a água gentilmente oferecida pelas Termas … Pois enchiam garrafas e os outros já não tinham mais água…
Cuidados básicos a ter ao entrar, permanecer, numa piscina onde muitas pessoas mergulham, não impediam de cuspir na água, os mais ‘asseados e cuidadosos(…).
Desaparecerem moedas do cacifo, era todos os dias. E não desapareciam só as moedas…
De resto, talvez se pudesses esperar que os idosos normalmente mais apaziguados com a vida, serena e suavemente comunicassem com todos.
Pelo contrário, eram competitivos, invejosos e até agressivos.
Até fazia medo.

Quando se tenta ser mais próxima, logo chovem perguntas:
- Quanto é que recebe da sua reforma?
- Quantos anos tem?
Etc…e as perguntas indiscretas vão subindo o tom...
A resposta, embrulhada num sorriso evasivo, muda de assunto e mostra que a ponte se quebra ali…

Também entre o pessoal das Termas, havia profissionais delicadas, disponíveis, meigas. Outras, era de fugir, discutindo com os utentes.
Sentia-se tristeza neste ambiente.
Descobrir alguém especial, era o oásis.
Nesta enchente de entradas e saídas, durante 15 dias, descobri algumas profissionais que fiz questão de assinalar no livro das sugestões.
Espero que isso posa ajudar na selecção de pessoal, quando muitos são dispensados
Uma delas, tocou- me especialmente: uma senhora que fazia limpeza… Contou me que teve 3 filhos. Uma era médica, outra professora numa universidade e seu filho era dono de uma empresa!
Não vou esquecer mais as suas maneiras meigas e atentas para todos os utentes em dificuldade que a cruzavam.
Também eu, sempre que podia, aproveitava para ajudar quem estivesse mais atrapalhado. Eu era das mais novas do grupo
Reparei que as criaturas estão tão mal habituadas que até têm medo de quem as ajuda.
Outra, sensibilizou me bastante, quando me disse: ‘nunca mais vou esquece la ‘ (…) só porque todos os dias a ajudava numa sua dificuldade simples.
Pergunto –me se este desconcerto e agressividade dos mais velhos, não estará ligado ao abandono e falta de amor da família e da sociedade em geral para com os mais idosos.
……………………………………………………………………………………………………………
Naquela zona, todos vivem da riqueza das ÁGUAS TERMAIS.
São os que trabalham directamente nas Termas, os comerciantes, os que vão melhorando as suas casas, graças aos arrendamentos aos aquistas, os que vendem os seus produtos…
Depois já há figuras típicas do local.
Uma senhora já de alguma idade, guarda severa e pouco simpática, que está sempre na Igreja ‘e que se julga dona de Nosso Senhor’, invejosita para toda a gente, por sinal e estranhamente antipática… Até assusta.
Felizmente que o assistente religioso é bem diferente e Nosso Senhor no seu silêncio acolhe a todos.
Ama a todos.
Até ‘à dona de Nosso Senhor’, coitada que ainda não sabe, nem consegue acolher com amor e simpatia quem visita a Casa de Deus por amor.
Outra ‘rezadeira’ , com uma personalidade muito interessante, achava que devia receber dinheiro por orar pelos outros…
Comia e bebia muito bem (...) dançava e pulava, embora velhota, sabia de experiencia própria, que ‘cordeiro manso mama na mãe, nas tias e amigas, em todas’… e assim era.
Enquanto rezava, ia intervalando para falar do padre que andava de namoro com …
De facto o discurso focava sempre a 3.ª pessoa.
Quando se encontravam 2 pessoas, era certo que falavam de alguém…


….e ainda me falta contar muitas mais coisas…
…mas fica para a próxima


O POVO PORTUGUES já não lava no rio, nem talha com seu machado as tábuas do seu caixão…como dizia o poeta Homem de Mello a Amália Rodrigues cantava tão sentiamente...
Vem tudo da China que é mais baratinho…

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Se eu tivesse umas sandálias ...ia a Sidney...


Há muitos anos, assisti a uma peça de Teatro , intitulada 'O PORTEIRO'.

O autor era Pinter.

Aquela peça ficou tão gravada na minha memória, como uma liçaõ de vida ... que aliás ainda não consigo pôr em prática, o que só me dá dissabores. ..

..mas o refrão da peça era ..

: SE eu tivesse uma sandálias ..ia a Sidney...


Justamente a história que acho que ainda hoje se repete, era a seguinte:


- dois irmãos nobres e bondosos viviam na sua casa de família sozinhos...

Bateram à porta . Foram abrir.

Bom, deram a sua esmola , mas o pedinte insistia repetindo o refrão:


Se eu tivesse umas sandlias ia a Sidney...


Condoidos os benfeitores, prestam toda a atençao ao pedinte e lá lhe dão as sandálias.

..mas este não se fica por ali e vai pedindo sempre mais e mais!

...de tal forma vai evoluindo nas suas exigência, que acaba por pôr os seus benfeitores na rua , apoderando se da casa e de tudo que nela existia...

Pois muito bem.


A minha empregada e amiga , insiste para que eu escreva as peripécias ligadas às pessoas que entram em minha casa , para eu ajudar...

Garanto vos que são histórias de abuso , roubo, ingratidão e de alguma tristeza...que nem quero expor aqui.

E não é por que eu não saiba a história do camponês que agasalhou a cobra e esta lhe picou e o matou...e até conheço a peça de PINTER..,mas não há maneira de ter juízo.

De qualquer modo, penso que há que ter cuidado com quem metemos na nossa casa.

Entram como cordeiros e são lobos vorazes.

Tudo são lições eu sei,mas caras por vezes.

Olha aquela senhora médica que criou o menino abandonado e este depois já um senhor bem colocado socialmente , na calada da noite, enquanto ela dorme, corta lhe o pescoço com uma faca...

Que Deus nos livre de quem não nos sabemos livrar!

Mais vale só do que mal acompanhado, não é mesmo?

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Grito!


Grito no deserto


‘Deixai vir a mim as Criancinhas…porque delas é o Reino dos céus ’
Jesus Cristo

Neste momento, não sei o que diria Jesus sobre as Criancinhas, os Paizinhos, as Famílias, a Sociedade, o Estado …
Pois. As Criancinhas obesas. Doentes. Com níveis de colesterol, tensões arteriais, diabetes e outras doenças de alguns adultos…
Crianças com longevidade comprometida. Estados sobrecarregados com acréscimo de doenças…assistência …medicamentos necessários nestes casos…sofrimento para as crianças mal-educadas por pais irresponsáveis. Apressados. Competitivos.
Tudo isto sofrido por bebés cidadãos e cidadãos bebes…
Não sabia que um Bebé tem um cartão de cidadão, com mil responsabilidades e os pais quase são castigados por terem um filho?
Bom, mas o que íamos a dizer, é que há pais que culpam as crianças por estas serem obesas quando eles é que são os grandes responsáveis.
E não só eles, como o Estado em que vivemos, porque permite publicidade enganosa a produtos altamente perigosos para a saúde das Crianças.
E se ao menos aprendêssemos com os países nórdicos que ao constatarem este estado de coisas, impuseram restrições a essa publicidade….
As Crianças manipuladas, usadas, altamente influenciáveis , só comem o que lhes faz mal, mas…sabe bem.
Por que razão?
Por que não têm que lhes dê atenção. Quem as ensine com paciência e carinho.
Descarta-se assim a falta de atenção e de tempo, com guloseimas e mil prendas e prendinhas que só lhes causa danos .
Os pais inconscientes não amam os filhos.
A sopa, os legumes, os horários respeitados e a refeição em família, onde se vê isso ? Onde e quando se dialoga com serenidade e se aprendem as boas maneiras?!
Educação alimentar nas Escolas existe?
E as máquinas infernais que só vomitam batata frita, doces e refrigerantes, cheios de açúcar, aditivos, cafeína altamente comprometedores para a saúde dos mais pequeninos, onde se encontram?
E como se alimentação deficiente não bastasse, as crianças raramente vão brincar ao jardim.
Esse sedentarismo maldito das televisões e afins (…) que não as deixa queimar as calorias…e as torna obesas. Doentes. As vezes ainda são rotuladas de hiperactivas…depois de tantas horas encurraladas na ‘gaiola ‘ sem ar puro…
Vão para psicóloga que tirou o curso e precisa de emprego…
Sim . Há dias escutava na rádio o elogio dos pais que se queixavam ao psicólogo , por incapacidade para controlarem os filhos…
Que tristeza. Coitadas das Criancinha, hein!
Passam o tempo a dar ao dedo no computador ou feitas patetas frente
ás televisões , sem terem quem as acompanhe e saiba discernir com eles, o que está bem e menos bem,…
Até já os Bebés gramam toda enxurrada que sai desse quadrado cheio de violência e desaforos, por vezes…
Coitadas das Criancinhas…
Bebes que são postos frente à televisão, quando os pais chegam a casa e não querem que os incomodem…
Vão me desculpar, mas depois não se queixem de grandes dissabores que os Filhos lhes dão.
Como não hão dar, se ninguém os ama e lhes liga?
Até as minhas gatas quando não lhes dou atenção fazem disparates para chamarem a minha atenção, quanto mais o ser humano que precisa de amor e cuidados tão especiais para se desenvolver e crescer em harmonia.
Os pais só pensam nas carreiras, em ganhar dinheiro, em se realizarem. Os filhos são uns apêndices incómodos?
Já nem falo nos pais/avós, que estão a esta hora, no estaleiro, desde que precisem de algum cuidado…
Desculpem a dureza, mas dói a alma ao ver tanto egoísmo.
Tanta sujeira.
Onde estão os testemunhos dos Avós? Dos valores e das raízes que se transmitiam?
Os mais velhos eram respeitados . Amados.
Transmitiam os valores. O carinho e o respeito circulavam nas famílias!
Agora são empecilhos descartáveis .
Vão para o estaleiro…as vezes até onde só mesmo cheira a velhos …Visitá- los nem pensar. Não há tempo . AH deles que se queixem , porque ainda são penalizados…
Que crueldade , sem limite!
Onde estão as raízes da Família, escola de gente boa?
Trabalhadora. Disciplinada…Compassiva?
Devo vir do outro Planeta com esta conversa que nem chega a entrar por um ouvido para sair por outro , porque ninguém quer ‘seca’…
Não é mesmo?
Coitadas das Criancinhas…e dos velhinhos seus Avós…
…………………………………………………………………………………………………………
‘Deve estar gaga esta senhora com esta conversa’…


..mas os meus Filhos estiveram sempre em primeiro lugar na minha vida e os meus Pais estiveram do meu lado até ao fim…
Oxalá me acontecesse o mesmo…



segunda-feira, 18 de outubro de 2010

So um allo de amizade e ...saudade


Queridos amigos:

Ha quanto tp nao venho ao meu blog...

O computer queimou e...apenas em pensamento , temos estdo juntos. ..

Espero q tenmham realizado mt e vivido mt mais...

A saudade também doi...

Agora , madrugada dentro, em q nao durmo , venho sauda los com carinhop e prometer voltar logo q possivel , pq logo, logo vou para termas e lá fica dificil vir ao meu blog...

Entretanto penso em vós com amor e desejo vos mt mt Paz, Amor, Saude e mt s realizaçoes!

Beijos no coraçao para todos os meus amigos

Lucinda

domingo, 19 de setembro de 2010

gtyuj'plç«+'p«´´´´~´~~

sábado, 18 de setembro de 2010

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Tropical Nature Relaxation Music

Queridos amigos , ofereço mais esta escolha calmante e bela. Ultimamente tenho mil coisas urgentes a fazer q nao me deixam soltar a criatividade.

Desejo q gostem .

Aquele abraço amigo de sempre

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

528 Hz Frequency Transformation and Miracles (DNA Repair)

Para mim, tudo tem cor e som.

e foi por isso q tentei dar uma nova face ao meu blog.

Um ano, 365 dias...Muitas palavras e imagens sentidas, partilhadas já estão espalhadas no éter , como quem atira pétalas de flor ao vento, para enfeitar o espírito dos amigos e amigas q me lêem.

Tudo mt simples , pq como diz Buffon : O estilo é o homem...

Mt obrigada.

Assim como os meus filhos me ensinaram e ensinam a ser mulher,mãe,pessoa, tb os amigos q me lêem me ensinam a escrever , a sonhar e a inventar a vida .

E como a rotina , é inimiga dos neurónios , vou tentar surpreender com coisinhas diferentes.

Algumas serão descobertas q me deram muita alegria.

Direi sp quem são os autores como exige o respeito pelo outro e pelo seu trabalho .

A probidade q aprendi i mt cedo é algo q me diz mt.

Tb não gosto q se apropriem das minhas coisas sem dizerem a verdade .

Mas bem , deixo vos este video q acho verdadeiramente surpreendemente .

Espero q gostem da nova face do meu blog q vos ofereço com mt amor.

domingo, 12 de setembro de 2010

Et Les Oiseaux Chantaient(Relaxing music) Retirado da net

Posted by Picasa

Meu computer rebentou...




Gosto mt de viver no tempo das máquinas...mas qd avariam, perco um pouco a paciência.




O meu computer é o meu professor da paciência .




Estou quase licenciada, pois tantas sao as partidas q ele me prega..




Desta vez , foi mesmo para o lixo, obrigando me a comprar outro...etc etc.




Confesso que ate senti a sua falta,mas nao lhe posso dar a entender esta coisa , senao ele...abusa...




Acho que ele é enigmático. Inesgotável e sp cheio de surpresas...

Ele obriga me a estar sp cada vez mais atenta , pq há sp mais qq coisa q ainda desconheço acerca dele e q preciso aprender.




Não digo para o dominar ,mas para usufruir o mais q for capaz das possibilidades q me oferece..




Bem e para que ele não pense q nao gosto dele ou que nao lhe quero todo o bem, vou lhe oferecer uma das minhas ultimas imagens e dp um dia destes, volto fresca e cheias de novidades.


Aí vai entao .


E já agora agradeço-lhe , ao meu computardor , dar me tb a oportunidade de partilhar com os meus amigos, mais uma das minhas fotos...

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Posted by Picasa

Ser criança...

SER CRIANÇA...



Ainda era mt pequena e queria ter mts filhos...

A vida nao me ajudou a tanto.

Desde mt cedo q lia , lia obras q me ajudassem a saber educar os meus filhos q "adorava" e "adoro".

A eles agradeço do fundo do coraçao,terem me coroado de mae!

Acho q foi a obra prima da minha vida.



Qd partir para outro plano, seráo eles ainda o objecto do meu amor nao com apego,mas como ligaçao visceral e eterna..

Tb a minha mae e avo materna q nunca conheci,mas q mt amo, nem eu sei bem o motivo (...,) vivem inteiras em mim.

Comunica minha mae comigo ainda hoje e tenho a certeza q é real e nao estou alucinada.

As ultimas 3 vezes ficaram tao vivas q sao uma referencia importante.

É sp em ocasioes especiais de grande necessidade que Deus permite essa bençao pela qual estou mt grata...



Acho q comigo e meus filhos tb vai ser assim, se o bom Deus o permitir.

Alias esta perto o tempo em que lendo o pensamento uns dos outros, nao podera haver mais mentira e a harmonia nascera na Humanidade. Quem nao evoluir pelo amor, evoloui pela dor obrigatoriamente.



Mas hoje ia falar de Crianças...e ja me enchi da alegria q é ter tido 2 crianças maravilhosas e parecer q estou a fugir ao tema,mas elas eram as minhas doces e mt amadas crianças q eu fazia participar em tudo q lhes podia dar pistas para a vida.

Do mesmo modo todos os meninos q me passaram pela mao , como professora , tiveram esta minha atitude sp presente.

O mesmo no coro dos pequenos cantores de coimbra, dte 13 anos...

Sera por isso q ainda hoje recebo comovida, postais q dizem : "Todo o amor semeado cedo ou tarde florescerá."



Alias so terem saude, os nossos filhos, ja é uma bençao tb para agradecer...

Mas saber q qd partes, deixas alguem q valeu a pena amar ,pelo que o meu legado à Humanidade , considero-o grande so por estas duas pessoas, sob todos os aspectos...

E quem os conhece sabe q falo a verdade!



Mas bem , hoje fico mt mt triste pelas violencias q as crianças sofrem por tds os motivos. As vezes ate por excesso de "beneficios", imaginem...



Reparo q por excesso de trabalho, pelas metas de realizaçao demasiado altas em detrimento do tp gasto com os filhos, os meninos sao entregues a televisao q nem sabe , nem se preocupa com o mal q faz as crianças pela falta de preocupaçao pela informaçao q se passa , pelo abuso da falta de discernimento das crianças perante publicidades e programas destabilizadores, destruidores dos valores mais elementares...

Tudo conduzindo ao abismo e as crianças sem se poderem defender!

Ficam as crianças ligadas., paradas frente as tvs , nas consolas e nas jogos , sem brincarem no jardim..saltarem e darem vasão à sua energia.

Resulta tanto mal com a falta de mobilidade,com a falta de contacto com a natureza, com a falta de ligaçao nas brincadeiras com os pais.

Desta falta de mobilidade, resultam fenómenos de excesso de peso e consequentemente tdas as as doenças q tds sabem q dai resulta.

Do tipo de alimentação, é q terrível!

Na província, na maioria dos restaurantes...imaginem, ja não se vende sopa...

Fritos...fast food.. e toda a espécie de comida e de bebidas plasticas , é o que ha para oferecer as crianças...

Elas gordas, mal alimentadas, irritantes, irritadas, sujeitas a um barulho ensurdecedor e de enlouquecer, sem horas de sono,sem disciplina ,nem rspeito pelo seu debil sistema nervoso, é arripiante!

E quem abre a boca para opinar, e dar uma pista saudavel e diferente,é careta, velho e autoritario...



Tristeza q faz chorar de dor , pelos sem voz...pelos ignorantes, inconscientes, criminosos e incapazes de dar amor as crianças q vieram ao mundo por seu intermedio.

Indignos de serem pais, desculpem!

Pobres Crianças, q por vezes ate tem tudo e sao criadas num egoismo feroz , q é outra forma de pobreza infinita....

Pobres Crianças sem amor e sem rumo ...



































terça-feira, 3 de agosto de 2010

As flores do meu jardim são todas para o vós...

Uma imagem vale por mil palavras...
Hoje apeteceu me falar com as flores e ir com os meus 4 gatos, fotografar as flores do meu jardim...
Gostam?
Pois, são todas para vós com um carinho imenso
Vossa
Lindamar
Posted by Picasa

As flores do meu jardim que eiu adoro fotografar para vós...

Posted by Picasa
Posted by Picasa
Posted by Picasa

Flores do meu jardim!

Posted by Picasa

domingo, 1 de agosto de 2010

iIMPRESSÔES...




Hoje, embora contrariando este meu jeito e hábito de estar sempre fechada em casa, tive um convite de minha Filha e Genro e fui com meus netos a uma feira...



Não a uma Feira livre, como já fui algumas vezes e ia quando era pequenita e até gostava.



Hoje era uma Feira , num recinto fechado.
Logo para entrar, era necessário pagar um bilhete...
Havia seguranças e polícia por todo o lado, mas o que mais me chocou , foi o barulho ensurdecedor, apenas semelhante ao barulho do Carnaval na Ilha de Trinita nas Caraíbas, que me obrigou a recolher imediatamente ao Barco.
Parecia um inferno. O coração ficava tão agredido que disparava em taquicardia.



Hoje, era semelhante.
O que valia é que a feira era encostada a um cemitério e os mortos...fisicamente também não reclamavam.
Se o nosso espírito após a morte, não tivesse caracteristicas especiais , tornava a morrer de certeza...
De qualquer modo , não há um controle sanitário que ponha mão nestes desmandos e exageros , agressões para saúde pública com decibeis malucos e fora de qualquer gosto ou propósito.
É ver quem berra mais alto!


Mas , meus amigos , espantem-se, aqueles visitantes levavam bébés de menos de 3 meses, porque eram tão pequeninos que fazia dó a ignorância daqueles pais ,que não sabem o mal que estão fazendo áqueles inocentes .
Os seus sistemas nervosos, os seus desiquilíbrios, as suas doenças, problemas de cansaço, falta de atenção e tantos outros densconcertos nascem todos nesta falta de higiene sonora e de respeito pelos seus sistemas nervosos necessitados de silencio, paz , ambientes normais e não de gente que só ouve aos berros!


Mas a coisa não ficava por aqui: famílias inteiras passevam no alcatrão que fervia, com os seus carrinhos de bébes que deviam ter sede, choravam ,mas lá tinham que ir na "procissão".



Mais à frente, uma menina de tenra idade, cheia de pulseiras de ouro e mais ouro, (...) sentada no carrinho , era obrigada a comer pastéis cheios de creme que a mãe e avó lhe metiam pela boca abaixo com insistência , embora a bébé fizesse menção de não querer tanto doce...cremes ali ao calor, sabe Deus em que condições(!!!!)



Os Homens bebiam cerveja, cerveja, cerveja e os mais jovens, cocacola, cocacola, cocacola...se faz mal ou bem , que se lixe...(...) desculpem o palavrão ,mas irrita tanta ignorância.



Toda gente se perdia num mar de carros ...
Muitas considerações assaltaram o meu espírito , sem querer ser preconceituosa,mas talvez como educadora, me tivesse ficado esta preocupação de respeitar os mais novos que nos são confiados.
É que esta gente faz os meninos, pq isso não custa nada,mas depois educá-los ?


Eles não sabem , nem nunca ninguém lhes disse que a educação, o equilíbrio, e o respeito de uma crianças se aprendem 20 anos antes, pela educação dos pais...


Depois não me venham dizer que vivem mal os portugueses ,porque a maneira como se conduzem , se comportam , nem parece.
Depois o propósito e o despropósito da maneira de vestir maluca completamente deselegante e disparatada, as maneiras...meu Deus!
Por onde anda o tal Povo Português? Os Jovens ? As raparigas, futuras mães amanhã? Os pais...
O que me parece é que q televisão e o seu descalabro que se espalha sem critérios ,nem ninguém a comentar ou dar umas dicas de bom senso e de maneiras, faz desta gentinha simples , inculta e com ares de novos ricos, faz destas pessoas seres que não sabem para onde caminham, nem quem são ,nem o que andam a fazer ao cimo da terra...
Pronto. Meia bola e força. Pé na tábua e seja o que for , logo se vê...
Amanhã vão todos ao futebol...
Os mais jovens se for preciso, como não têm emprego, roubam, matam, esfolam, drogam-se e já está . Se rebentarem não faz mal ,porque também não há ideais.
A miúda até bateu na mãe , não foi?


Enfim...fiquei francamente triste com tudo o que observei deste Povo Português que sempre primou pela honestidade, trabalho, acolhimento e gente boa!
Gente de valores...hoje não sei por onde andavam , porque a imagem que passavam não me pareceu essa.
Oxalá que eu esteja enganada...

sábado, 31 de julho de 2010

De passagem pela cidade do Porto







A cidade invicta , q sempre recusou o jugo estrangeiro, é uma cidade com uma alma e uma energia bem especial.



Mal cruzamos a Ponte da Arrábida, a Afurada à esquerda ( idos de sul para Norte), promete um passeio cheio de frescura ao longo do rio, nestes dias quentes , mt quentes.
Lá ao fundo a entrada da barra e o mar de mansinho inundando a cidade generosamente.



À direita, o casario ao longo do rio que se estende a perder de vista , é também um convite à descoberta.



Várias são as Pontes que atravessam o Douro que vindo de Espanha, nos brinda com suas águas fartas e profundas.



De vez em enquando , subo a corrente até à Régua,mas aquelas descidas das comportas com um desnível de 34 metros , nunca me agradam mesmo nada...



O carácter das pessoas do Porto, é franco e amigável completamente diferente das sofisticadas gentes do sul, de Lisboa concretamente. Até se diz que estas comem na gaveta...Imagine-se. Mas lá que há muita afectatação e menos abertura do que no Porto, é certo.



Reparo ainda no Porto, que o pequeno comércio continua vivo e com algum movimento, apesar das grandes superfícies , onde mesmo nós aqui de Coimbra, vamos mts vezes para adquirir produtos que nos faltam por estes lados .



De qualquer maneira , gosto da paisagem aberta e ampla de águas, penetrando por um lado e por outro...



Com este calor insuportável que tem estado aqui por Portugal, no Porto parecia um inferno. Lume subia do chão da calçada e o ar abafado até fazia temer momentos piores, porque no ar o fumo dos incêndios, deixava um friso largo para os lados do mar. Um escuro assustador e um cheiro que se confundia com torradas , andava no ar nas ruas, mesmo durante a noite.



De qualquer modo , o mágico passeio junto ao mar, próximo do Castelo do Queijo á noitinha ou pela noite fora, fazia esquecer a caloreira dos dias abafados e insuportávies.



No Passeio Alegre, junto à Foz, passeva a Polícia regalada, onde nem era necessária (...), entre gente civilizada empurrando o carrinho dos bébés ou passeando os seus lindos cães de estimação felizes com seus donos.



Passeavam os velhos de mão dada, as teenagers desengonçadas quase nuas, as crianças, os ricos e os menos ricos.Todos.



É verdade que carros de alta cilindarada se alinhavam ao longo do passeio, mas o Porto só em zonas mt especiais parece pobre, pq dá sp a noção de um sítio sem prolemas.



Quando se deu um volta, à noite, pelos lado de Vila Nova de Gaia, as esplanadas estavam plenas de gente , comendo e bebendo animadas. De vez em quando alguém tocava nas esplanadas, enquanto os turistas aproveitavam para dançar a Lambada!



E assim entre cervejas e marisco, a vida sorria e a noite avançava calma e animada. Relaxada.



Também só se podia estar perto da água . Dentro de casa, era um forno ,mal de desligava o ar condicionado.



................................................................................................................



Uma nota especial marca sempre este Porto escuro,mas belo no seu conjunto.



São as gaivotas cruzando o céu da cidade, dando pios tais que na primeira noite, já nem me lembrava, me fizeram temer pela sorte de algum cachorrinho em sofrimento. Qd acordei e reparei pela manhã, eram as gaivotas com seus silvos agudos, típicos , à procura de comida nos caixotes do lixo.



Recordei como em Den Haag, os patos que cruzam no ar , sobre as nossas cabeças , laçam sons típicos, tal como aqui no Porto as nossas amigas gaivotas espalham estes silvos agudos, gritos na noite que até assustam quando vamos de Coimbra , cidade silenciosa e calma .
Mas o Porto é muito mais .
Isto é só um convite, pq cada um de nós , descobre sempre o espaço com aquilo que se é .
Cada um busca o que mais lhe interessa e ali no Porto, há para todos os gostos.
Boa viagem!

sábado, 17 de julho de 2010

Crónica: O Homem grande chorou...


Fica mais um flash, antes de continuar o nosso assunto sobre a Dama dos Véus e da Foice...


Hoje é um assunto q não é muito agradável... mas a vida é feita de tudo




Crónica do homem grande

Orgulhamo-nos tolamente de convencer os outros daquilo que nós próprios não pensamos e sentimos”
Vauvenargues

Quando a escrita se torna como um tubo de respiração, uma válvula, ela está sempre presente em nós.
Onde quer que estejamos, parece que a câmara está sempre a registar, mesmo que disso não tenhamos consciência.
Depois quando estamos mais calmos, vem tudo à tona e somos pressionados a passar para a escrita, o tal registo.
Então desta vez o que se passa? O homem grande chorou.
O homem grande estava muito decepcionado, porque ela o tinha abandonado.
Ela, em quem depositara tanta confiança.
Ela, com quem dera tantos passeios.
Ela, com quem passara tão bons bocados.
Ela, que visitava todas as noites.
Ela, de quem esperava companhia.
Ela, de quem esperava todo o apoio.
Ela, a quem até dera uma casa!

Fiquei com pena do homem grande que estava tão triste e falava de abandono. Desilusão.

Mas depois, conhecendo melhor a sua história, percebi que quem com ferros mata, com ferros morre e que estão todos bem uns para os outros.
Merecem-se.
Talvez fosse importante é quebrar estas cadeias…
E porquê?
Porque nascera tudo torto.
O tal homem grande tinha um compromisso de família.
Mas como é apanágio de alguns homens com costela de árabe, querem ter mais do que uma mulher, não por amor verdadeiro ,mas para irem variando.
Como alguém um dia me “explicou”, que um homem precisa de várias mulheres na sua vida.
“ Uma mulher é a mãe dos nossos filhos.
Outra, é a nossa empregada.
Outra é a nossa amante, a do prazer”.

E para além disto tudo, ainda há a história dos patrimónios.
Dos bens, que é uma trapalhada e que têm de se preservar (…). Sobretudo, quando ela é que trás a maior fatia, isto não se pode perder nada.
Acrescentamos ainda esta coisa linda: a fachada social. Salvar as aparências de ser um chefe de família de palavra, honrado e fiel, que não abandona o lar.
Bem, e dão-se uma voltas (…) e são todos muito felizes.
Mas um dia, a coisa rompe-se.
A casa vem abaixo.
E como é que elas se sentem as duas “princesas”?
A que fica em casa, desenvolve doenças graves, porque vira contra si própria toda a raiva que não controla e não exprime para não perder o “príncipe”, o chefe de família.
Foi assim que foi educada. A mulher fica em casa. Ao homem tudo se suporta.
Tida pelo príncipe, como azeda e muito “chata”, enquanto educa os filhos sozinha, ainda vai estando mais acompanhada, porque de resto está sempre sozinha.
E propósito de azeda, ocorre-me algo que li em Vauvenargues e que diz: “Não há pessoas mais azedas do que as que são doces por interesse” (…)
Pois.
…………………………………………………………………………………………………………....
A outra princesa vai gozando e explorando o mais que pode a situação, que sempre está muito clara na sua cabeça, como transitória e oportuna. E vai aproveitando. A certa altura, começa a ver que o homem grande fica velho, muito velho, porque sempre foi mais velho desde o princípio...
Ora muito bem: já temos um bom trabalho.
Uma boa casa.
Muito bons conhecimentos.
Segurança e outro, (uma boa mina) debaixo de olho.
E agora que as coisas do corpo já não funcionam, o que é que resta?
A parte material.
Há que pôr os olhos ao resto, porque ele abunda por toda a parte…A princesa não é cega e está dentro de todos os segredos e jogadas.
Conhece heranças e muitas outras facilidades (…).
E a certa altura, pergunta:
- Como é, vamos partilhar?
Assegurar esta coisa material, que é a única coisa que sempre contou para ambos, dado que se passou por cima do resto…
Aí, o homem grande e velho, quer controlar. Segurar a barra e meter tudo no mesmo saco.
Nem se recorda que passara por cima de tudo: roubara a rapariga ao marido …
Enganara a companheira.
Brincava aos casais.
Era tudo muito bom, mas a brincar. Ao faz de conta…

Mas se o contracto, era o do prazer que para ele mudava de face e agora necessitava de ternura e carinho, atenção?
Para ela, os interesses eram diferentes, porque estava fresca e para usar e durar e a cabecinha muito fresca.
Era só o vil metal, os bens, a segurança, a abundância que a motivavam.
A casinha já lá cantava, mas queria muito mais e mais, porque isso era o que não faltava ao homem grande…
Mas também não lhe faltava a inconsciência, ganância, o controle, o apego, burrice e fraqueza e aí…chorou.

Ela depois de esticar a corda e pôr as cartas na mesa, foi peremptória:
- Ou pões os bens no meu nome ou acaba aqui tudo!
Aqui, o homem grande chorou.
Aqui, o homem grande não aguentou tanta “generosidade”.
Usou-a naturalmente e até lhe pagara…
Ela também o usou, mas agora não estava mais para o aturar. Já não precisava mais dele. Tudo acabara.

Então o homem grande chorou…
……………………………………………………..
Esta seria uma história baseada na malandragem secreta de um homem grande com costela de árabe, se não fosse a observação que se faz do percurso seguinte do homem grande.
Ele é velho, mas aprendeu bem e refinou.
Tem um comportamento semelhante ao dela: não dá ponto sem nó.
Quando dá uma pequena chouriça, espera sempre que lhe dêem um porco.
Senão desaparece. É incapaz de doar seja o que for.
Habituado a receber unicamente.
Qualquer pequeno favor, fora sempre muito bem pago. Por que não?
Como poderia agora perceber o que é generosidade? Amor incondicional?
Na sua cabecinha isso seria ser palerma... ser usado…não ter qualquer possibilidade de ser usado…
E o mundo é apenas baseado em troca por troca.
Não cabe nas cabeças, nem nos corações destes homens grandes, serem generosos sem porquê… só porque sim.
Foram treinados para viver neste mundo, como sendo o centro do mundo, só para lucrar. Receber.
Só conhecem esta única realidade.
Um materialismo confrangedor.
É assim o testemunho que passam a seus filhos, aos netos ... que não têm qualquer referência para a mudança.
E ainda são capazes de se dizerem crentes em Deus …mas fazem deste plano terráqueo, a única realidade.
Concluímos desta análise do Homem grande, que afinal ele teve o que semeara.
Os semelhantes se atraem.
O abandono que sofreu por parte da princesa magalona que o usou, tal como ele fizera a ela, a quem até ajudara a destruir a sua família. Só põe graça e brincadeira.

Por outro lado, esquecemos facilmente que quando morremos, não se levam as casas que nos deram (…), os carros, os títulos, a importância social, mas o que somos no nosso mais íntimo e no silêncio, que ninguém senão nós mesmos e Deus conhecem.

Era bom que os homens grandes fossem também grandes homens de estatura moral e sempre iguais a si mesmos, como modelos de grandeza e real bondade generosa!
Isso afinal, é só para palermas, no entender do homem grande….

sexta-feira, 16 de julho de 2010

O Cigano Triste


Embora o assunto das participações anteriores ainda não esteja completo, hoje interrompo, depois de ter vivido o episódioa real de um amigo que partiu e que ficou lá no cemitério debaixo da terra
E a propósito, na Missa de corpo presente, o Senhor Padre referiu quer normalmente julgamos o morto e dizemos : era uma boa opessoa ou...não era...pensam isso.
Mas de facto , aquela situação devia servir para nos pormos em causa e nos julgarmos tb a nós e nos preparamos para a grande viagem
Os Pensamentos, palavras e actos ficarão registados no grande filme em que nada escapa e que se apresenta naquele momento de partida.
Mas bem, hoje conto um episódio que me aconteceu que também nos faz pensar..
Aí fica com a estima de sempre pelos meus amigos que me lêem ou seguem
...

O Cigano Triste

Há muitos meses que o vejo sempre só e triste.
Passa devagarinho. Atravessa a rua. Sobe a encosta e…entra no cemitério. Fica aí bastante tempo. Depois todo vestido de negro, barba longa e chapéu de abas largas, volta para trás e segue sempre o mesmo caminho.
Hoje, vi-o sentado sozinho, triste, no banco da rua.
Fui sentar me do seu lado e comecei a conversar com ele.
- Há sete meses que a sua Glória partira.
Estavam na cama e pelas quatro da manhã, ela fora à casa de banho. De manhã, já tinha partido.
Era boa demais. Só pensava nos outros, mais do que nela – continuava contando-me, com as lágrimas correndo, o meu novo amigo Senhor António.
Disse-me que tinha dois filhos e um neto, mas que raramente os via.
A filha estava na Figueira e o filho “vivia aí com uma rapariga”...
Pareceu me muito isolado e por isso a única coisa que enchia o seu coração era aquela saudade e recordação que animava todos os dias, na sua visita fiel e sempre à mesma hora.
Com cinquenta anos , de barba longa e um pouca branca, estava sem propósito para viver, mais do que fosse recordar. A sua Glória partira com quarenta e sete anos…
Perguntei-lhe se ele acreditava que nós não morremos, apenas mudamos de roupa, como o actor.

Um dia, ele vai encontrar a sua Glória, formosa, feliz e ainda mais bela e acolhedora…
Disse-me que sim com convicção, embora triste.
Estivemos por ali um bocado.

As pessoas passavam e olhavam para nós, porque todos viam o homem do fato preto m, na sua dor, passar todas as tardes à mesma hora, mas nunca ninguém falara com ele, nem da sua dor…
Tudo isto me fez sentir muito leve , como se voasse.
Depois fiquei a pensar, como o amor vive nos corações dos humanos e como há homens que estimam tão mal suas esposas e como este senhor ainda depois de morta, continua fiel a um amor que vivera com verdade e intensamente, acredito.


Que beleza o amor no coração humano!
Como eu daria a vida por um amor intenso e verdadeiro como este…
E como este senhor me fez também gostar da sua Glória.


No final, várias vezes, cheio de emoção, agradeceu-me pela minha companhia e pelas minhas palavras, como se quem tivesse ficado a ganhar não fosse eu própria, cheia de compaixão, por poder escutar um irmão isolado e triste cheio de mágoa e saudade.
Um coração amante e fiel enternece vivamente quem o escuta com atenção.
Quando cheguei a casa, ainda a sua imagem me acompanhava.
Foram os meus gatos que me acolheram com amor e me esperavam com a alegria de sempre, também eles fiéis e cheios de amor para trocarmos.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Alegria da partilha e da sintonia


Um comentario de alguém q mt amo e cruzei um dia no meu caminho...

Querida Lucinda

Obrigada por este artigo.


Li-o e , adorei as passagens das diferentes fases do desencarnar.
Este é um tópico que me fascina realmente.

Vai mandando e continua com a tua missão de ajudar os outros. Tu és formidável.
Um beijinho e até sempre
Ana Júlia Sança

Consulate General of Portugal in Toront

A Dama dos Véus e da Foice ..cada vez mais bela


Conforme prometemos, cá estamos com mais um avanço na nossa pesquisa sobre este tema, que nos diz respeito a todos sem excepção...


A Dama dos Véus e da Foice


(ART.º 5/6)



“Todo o homem que aceitou a morte é dono dos acontecimentos”Monier
“Na vida, as coisas passam, nós ficamos. Na morte, elas ficam nós passamos.”Grantland Rice



Vimos como a Bíblia, nos apresenta a continuação desta vida na Terra.
Veremos agora, como depois de um filósofo do séc.V a.C, já nos falara desse mesmo facto, o Livro Tibetanos dos Mortos também aborda o mesmo assunto.
Ainda para Platão, o nascimento, sono e esquecimento, é a entrada do espírito vindo de esferas elevadas, divinas, de uma grande consciência para uma menor consciência. Desperta e acorda no momento da morte, em que as coisas são reconhecidas prontamente e com uma grande lucidez!
Platão diz ainda outra coisa que me fascina.
A linguagem humana é inadequada para exprimir as realidades da “outra margem”…As palavras ocultam em vez de revelarem a natureza interior das coisas.
Recordo também Saint Exupéry quando diz : “O essencial é invisível. Apenas podemos ver o essencial com os olhos do coração”.
……………………………………………………………………………………………………….
O Livro Tibetano dos Mortos remonta aos confins dos séculos e no Tibete pré-histórico, é compilado por sábios, baseados na oralidade.
No séc.VIII d.C. surge então aparentemente escrito, para imediatamente ser escondido e tido como um dos maiores segredos!
Lido nos momentos finais da vida, este Livro servia para ajudar a pessoa a bem morrer e instruir os familiares a deixarem partir em paz sem pesar nem amor egoísta, o morto que assim livre de preocupações, podia seguir o seu novo destino maravilhoso…
O Livro Tibetanos dos Mortos apresenta vários estágios percorridos pela alma, após a morte.
Após o abandono do corpo, a consciência ouve sons e barulhos envoltos numa iluminação cinzenta e nebulosa.
Surpreendida, não percebe e fica confuso. Ouve e vê os familiares preparando o funeral. Quer comunicar, mas ninguém o consegue ver ou ouvir!
Quando percebe que está morto, pensa para onde deve ir e…deprime. Durante algum tempo, fica perto dos familiares. Observa que ainda está num corpo brilhante, mas agora com possibilidades incríveis!
Viaja instantaneamente. Atravessa rochas, paredes e montanhas. Percepção e pensamento são menos limitados. A mente é muito lúcida. Os sentidos apurados. Perfeitos e próximos da natureza divina. Todas as suas limitações sentidas na vida física desapareceram. Agora é ágil. Seu corpo adquiriu poderes alargados. Cruza seres em situação semelhante e encontra a Luz clara e pura.
Ora é justamente aqui que o Livro ajuda e aconselha a pessoa que parte, a sentir apenas compaixão e amor pelos outros…
Como num espelho, todas as suas acções sem possibilidade de fraude, aí são reflectidas para que ele próprio e os seres que vão julgá-lo possam ver nitidamente…
Mais perto de nós, entre 1688 e 1772, nascido em Estocolmo, Emanuel Swedenborg, notável nos campos da Anatomia, Fisiologia e Psicologia, fala-nos da sua comunicação com entidades espirituais do Além.
Fala-nos da vida depois da morte e das experiências que viveu fora do corpo.
Relata como os sentidos físicos cessam, mas como o pensamento, a memória, as sensações, as percepções ficam mais aguçados, não havendo ainda as dificuldades do tempo e do espaço.
Refere ainda a sua comunicação com os anjos, como uma espécie de transferência directa de pensamento de grande nitidez, mas que ninguém senão esse espírito, pode ouvir.
Diz que a sua vida passada, desde a infância até à velhice - o que pensou, disse ou fez - é-lhe mostrada em pormenor, sem possibilidade de ocultar seja o que for.
A memória interior é viva e é visto tudo numa luz tão clara como o dia!
“Não há nada que esteja escondido no mundo que não seja manifestado depois da morte”
Como todos os que viveram experiências de quase morte, refere que após a passagem para “a outra margem”, se encontram os espíritos de amigos e familiares que conhecemos e nos reconhecem, prestando serviço de encaminhamento e esclarecimento para o Além.
A Luz de verdade e compreensão é referida, a Luz do Senhor que permeia o Além.
“Uma luz de brilho inefável que ele próprio viu!”
………………………………………………………………………………………………………..
Bom e mais coisas que ficarão para a próxima, como conclusão do nosso trabalho.
Até lá, boa leitura para todos os nossos amigos
E...vale a pena reflectir, porque a morte, todos a temos certa.
Aquele abraço de sempre
linmare@edicomail.net
Blog: http://lucinda-umaponteparaoinfinito.blogspot.com



domingo, 11 de julho de 2010

A Dama dos Véus e da Foice


Ainda não se foi embora a nossa amiga , Dama dos Véus e da Foice...
Para quem segue esta temática que iniciei há dias aqui vai.



A DAMA DOS VÉUS E DA FOICE


(art.4/6)

“Não basta ter sido bom quando se deixa o mundo. È preciso deixar o mundo melhor” Bertold Brecht
“Morrer é mudar de corpo , como os actores mudam de roupa.”Autor desconhecido


Se a busca do Conhecimento e da auto-realização são eternas, embora em planos diferentes. É bom aproveitar o tempo e começar já.
Transformados, apaixonados e gratos pela vida, sabendo que depois desta missão terrena, uma vida maravilhosa nos espera de acordo com o grau do que se evolui aqui, é bom preparar as coisas o melhor possível.
Lembro-me da Irmã Paula Maria com mais de cem anos, uma religiosa do meu colégio, que nos contava uma história de um ricaço que chegou ao outro plano depois da morte, e surpreendeu-se ao ver o seu jardineiro num palácio e ele numa palhota.
Então compreendera que o humilde jardineiro fora paciente, atento e honesto no seu trabalho. Por isso mandara muitas pedrinhas para cima para fazer a sua “casa”. Enquanto o reclamante, orgulhoso, autoritário, avarento, ao contrário, só pensava em si e na ganância de mais e mais e por isso não enviara qualquer material para a construção da nova “morada”.
Daí a diferença do “conforto” ou “desconforto”, na eternidade.
Mas voltando à minha busca sobre esta temática da Morte, que a muitos assusta e outros evitam por medo, como me aconteceu a mim durante anos, para quem estiver interessado, partilharei a minha caminhada que é simples e que neste espaço terá que ser resumida.
Primeiro agradeço Deus pela Fé, que é um dom.
Depois digo-lhes que começaríamos por analisar o paralelismo impressionante entre acontecimentos relatados na literatura e em obras ancestrais de diversas culturas, eras e civilizações.
Começaríamos por algumas passagens da Bíblia, como o Livro mais lido e discutido acerca do aspecto espiritual do homem e da vida.
E vemos como no Antigo Testamento, se fala da vida e da morte, sem deixar qualquer dúvida.
“Os teus mortos viverão, os teus mortos ressuscitarão; despertai e exultai, os que habitais no pó, porque (…) a terra lançará de si os mortos”.( Isaías 26,19)
“E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para a vida eterna, outros para a vergonha e o desprezo eternos.”(Daniel 12, 2)
Ora aqui vemos como o corpo físico ressuscitará, após um longo sono. Também se compara a tal passagem escura que todos os casos de quase -morte identificam, como o tal ”vale da sombra da morte”.
Já no Novo Testamento, Jesus diz “Eu sou a Luz do mundo”…
E o testemunho se Paulo de Tarso também fala de Luz…
“Ao meio dia, ó rei, vi no caminho uma luz do céu, que excedia o esplendor do Sol, cuja claridade me envolveu a mim e aos que vinham comigo. E, caindo nós todos por terra, ouvi uma voz que me falava, e em língua hebraica dizia: ” Saulo, Saulo por que me persegues? Como te deve custar tropeçar nesses espinhos.
E eu disse: Quem és, Senhor?
E Ele respondeu: Eu sou Jesus, a quem tu persegues, mas levanta-te e põe-te sobre os teus pés, porque te apareci por isto, para te pôr por ministro e testemunha das coisas que tens visto como daquelas pelas quais te aparecerei ainda.
Por isso, ó rei Agripa, não fui desobediente à visão celestial…
E dizendo eles isto em sua defesa, proclamou Festo em alta voz:
Estás louco, Paulo. As muitas letras te fazem delirar.
Mas ele disse: Não deliro, ó potentíssimo Festo; antes digo palavras de verdade e de um são juízo.” (Actos 26,13-26.)
Notemos três coisas:
- Semelhança no encontro com o tal Ser de Luz, que as pessoas que experimentam quase morte, relatam;
- Paulo é desacreditado e ridicularizado, como o são muitas pessoas, que contam as suas visões de quase morte.
- Como esse encontro é transformador. Muda a vida das pessoas, tal como aconteceu a Paulo, inflamado pelo amor ao próximo.
Pode ainda surgir a curiosidade de saber que tipos de corpo terão os mortos?
Na Epistola I aos Coríntios, 15 , 35 -52 poderemos compreender melhor…
´”Como ressuscitarão os mortos? E com que corpos virão?
-Insensato (…) quando semeias, não semeias o corpo que há-de nascer, mas o simples grão (…) mas Deus dá-lhe o corpo como quer a cada semente o seu próprio corpo (…) E há corpos celestes e corpos terrestres (…) Assim também a ressurreição de entre os mortos. O corpo é semeado corruptível, mas ressuscita incorruptível; é semeado desprezível, mas ressuscita glorioso semeado na fraqueza, mas ressuscita cheio de força; semeado corpo animal, mas ressuscita corpo espiritual. Se há corpo animal, há também corpo espiritual (…) Vou revelar-vos um mistério: na verdade, nem todos morreremos, mas todos seremos transformados; num momento, num abrir e fechar de olhos, ao som da trombeta final; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis e nós seremos transformados.”
Notamos então a natureza imaterial do corpo espiritual, belo, perfeito, forte, sem qualquer limitação.
E se não quisermos apenas ficar no reino das descrições Bíblicas , podemos para os mais cépticos, apresentar a postura de Platão, um dos maiores pensadores de todos os tempos e que viveu em Atenas entre 428 a 348 a.C.
Platão acreditava sem reservas, na lógica, no uso da razão e à argumentação para chegar à verdade e á sabedoria.
Juntava a esta atitude um certo carácter visionário e rematava dizendo, que a verdade final só pode ser alcançada, na experiencia quase mística de iluminação e descoberta, com acesso a planos mais elevados da realidade. Aliás, Platão via o corpo físico como veículo temporário da alma e interessava-se pelo destino final desta.
O destino após a morte física do corpo, aparece nos seus diferentes Diálogos – Fédon, Górgias e A República.
Platão aborda o conceito de tempo e de eternidade e conclui que aquilo a que chamamos tempo, é apenas “ um reflexo fugidio e irreal da eternidade”.
Mais, Platão fala da possibilidade que a alma tem de conversar com outros espíritos.
Diz que algumas pessoas esperam ser levadas no momento da morte, num barco através de uma massa de água até “ à outra margem”.
………………………………………………………………………………………………………………Continuaremos no próximo número, ainda com a postura de Platão perante a passagem dos humanos por este Planeta.
Aquele abraço de sempre, a todos os leitores
linmare@edicomail.net