domingo, 24 de abril de 2011

Outra Dimensão






OUTRA DIMENSÃO





O vento
Empurra O PORTÁO
E NA SOLIDÃO
PENSO
QUE É O MEU AMOR
QUE CHEGA DE MANSINHO…
No caminho
Escondeu-se
Perdeu-se
Na miragem da vida.
Sem guarida
Braços abertos
Enlaço o perfume
Misturado
Na brisa que passa.
Tudo é virtual!
A vida abafada
Embrulhada
Redobrada
Encolhe-se sobre si mesma.
Tanta coisa por fazer!
Segredos Tesouros
Guardados
Escondidos
Morrendo em dor
Sem nunca nascer.
E tudo por fazer.
Dizer…
Irmã Morte
Não venhas
Antes que amanheça
Permaneça em mim
Fundo.
Permanente.
A certeza.
A leveza.
A solidão não existe.
Persiste…
Anoitece
Deixa-me ser
Livre
Nunca esperar por ninguém
Não sofrer
Não ter ilusão
Solidão
O vento
Empurra o portão
Abro gentil
Ligeira
Verdadeira
Já estou noutra dimensão.













Domingo de Pascoa, 3h tarde em profunda solidão humana
Só quando batemos no mais fundo do abismo, encontramos Deus na sua nudez mais verdadeira
24 Abril2011