quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Para vos desejar boa Festa de fim de Ano


Sou eu mesma q venho desejar vos uma festa tao feliz quanto esta q apresentei em Setembro de 2009
Rão Kyao e o Coro dos Antigos Orfeonistas em Coimbra

POEMA por Lucinda Ferreira


POEMA por Lucinda ferreira




Dos beijos
Que eram beijos
Nasceram flores…
O sémen
Tornou-se fruto!
O amor rompeu
A escuridão
Do tempo e da dor.
A seara floriu
O trigo já é pão!
Escondeu-se.
Arca sagrada
Mora no meu coração.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

sábado, 18 de dezembro de 2010

Iris cientifica


Íris Científica, um Livro a não perder!


"Investigação Científica é a estrela que dirige os passos dos caminheiros nas diversas estradas que a Ciência vai abrindo na rosa das sucessivas divisões do saber humano”


“Quem se dedica a problemas da Investigação científica anda alheado do mundo, preso à sua vida… Tudo se reduz a obter novas aquisições científicas a bem da Humanidade sofredora”



“Os Museus por modestos que sejam são centros de educação e regalo espiritual



Íris Científica é o título de um Livro cheio de Poesia e de segredos do Universo.
A sua autoria pertence ao investigador científico da Universidade de Coimbra e comunicador de Ciência, Dr. Antonio Piedade.
Vinte e três momentos especiais expressos com uma destreza singular, descodificados e apresentados com um entusiasmo e um saber tais, que fazem desta leitura, uma aventura apaixonante para qualquer um de nós.
Estamos sempre desejosos de saber mais e mais, esperando que o livro não termine logo…
Divide-se este trabalho em Momentos, Explorando o Universo e a Magia da Vida .
António Gedeão abre esta compilação tão especial, marcando o tom da profundidade e do poético, numa abordagem nova do científico, antes de tão difícil penetração e tão distante. Coisa de laboratório de sábios penas.
Quem não lembra ainda Pedra Filosofal e Lágrima de Preta, divulgando conceitos em lindas canções?
O científico tornado acessível para qualquer um de nós, de um modo novo. Simples. Encantatório.
Só quem sabe muito do assunto, tem o dom da escrita e a paixão por esta temática, consegue de um modo tão agradável e persistente, levar tanto de nós a penetrar assuntos tão densos e desconhecidos, como o faz Antonio Piedade.
São estes motivos que tornam este Livro, um presente de Natal ( ou do novo ano que desponta um dia destes…) cheio de encanto e originalidade.
E nem por isso terá que despender tanto assim.
Basta comunicar com o autor, Dr. António Piedade , pelo email apiedade@ci.uc.pt e por oito euros terá o livro em sua casa com portes pagos inclusivamente.
Pode também pedir por smn, para o número de telemóvel, número 91 8325 606.
A meu ver, seria também uma sugestão para as Escolas adquirirem IRIS CIENTIFICA e colocarem este Livrinho de apenas cento e poucas paginas, nas Bibliotecas, ao serviço dos mais novos que assim vão sendo despertados para novas realidades da nossa Terra, nossa Casa e Mãe amorosa e cheia de generosidade e por vezes tão abandonada!
E os novos investigadores, cientistas e grandes homens capazes de mudar o mundo, estão aí.
São os nossos filhos e os nossos netos que temos que estimular e que começam muitas vezes por um clic muito simples , como a leitura de um livro, um professor estimulante e apaixonado, pelo modo agradável como divulga a ciência para os mais miúdos, as sessões nos museus , como o vem fazendo o nosso Museu da Ciência em Coimbra e de que um dos meus netos é fan incondicional, embora pequenino ainda.
Naturalmente que a nossa gratidão, abertura, aceitação a esta temática da investigação cientifica, são um estímulo para quem assim se dedica de alma e coração a esta tarefa de investigar. Sistematizar. Traduzir e divulgar esses conhecimentos sobre Ciência, como o faz o Dr. Antonio Piedade que generosamente vai partilhando novos saberes nos jornais - Diário de Coimbra e Despertar.
A ele, o nosso muito obrigada.
Lucinda Ferreira
linmare@edicomail.net
blog: http://lucinda.umaponteparaoinfinito.blogspot.com
Nota:
1- O que é trabalho de investigação?
R- A investigação é definida pela efectivação de um processo que mediante a aplicação de uma determinada metodologia e de técnicas adequadas procura obter dados fiéis, objectivos e relevantes, para conhecer e compreender um determinado objecto. Os princípios e processos empíricos de descoberta e demonstração considerados característicos ou necessários para investigação, envolvem a observação de fenómenos, a formulação de uma hipótese relativo aos fenómenos, experimentação para demonstrar a verdade ou falsidade da hipótese e uma conclusão que valida ou modifica a hipótese.
2- Para que serve?

R- O conhecimento obtido pela investigação deve contribuir para a ampliação do conhecimento já acumulado e para construção, reformulação e transformação de teorias, bem como estar disponível para a comunidade que pretende servir. Deve contribuir para a formação de consciência crítica, ou seja, do espírito crítico do pesquisador, de todas as comunidades em geral e sobretudo do grupo no qual acontece.

domingo, 12 de dezembro de 2010

Musica substitui medicamentos?...


Musica e Saúde



Que tipo de música é útil e para quem?


"Todos sabemos que a música não só pode melhorar a qualidade de vida (QV),
mas também origina efeitos diferentes sobre a freqüência cardíaca (FC) e sua
variabilidade (VFC)
A música e as suas frases rítmicas são monitorizadas de forma
consistente por variáveis fisiológicas. Respostas automáticas estão sincronizadas
Dm a música, o que pode, portanto, transmitir emoções através de excitação
utonómica durante crescendos ou frases rítmicas.
maior modulação da FC, VFC e modulações da acíividade nervosa autonómica
srdíaea foram reveladas com um efeito maior para a execução da música do que a
arcepção musical.
As reacções à música são consideradas subjectivas, mas estudos
sugerem que as variáveis cardio-respiratórias são influenciadas em diferentes
circunstâncias
Tem sido demonstrado que a música relaxante diminuí significativamente o nível de ansiedade
numa configuração de pré-operatório, em maior medida, que o midazolam administrado por via oral (p <0,001).>


sábado, 4 de dezembro de 2010

POVO QUE JA NAO LAVAS NO RIO 2.ªparte


POVO QUE JÁ NÃO LAVAS NO RIO…
(2/3)artigo


Um homem não pode fazer o certo numa área da vida, enquanto está ocupado em fazer o errado em outra. A vida é um todo indivisível.”
Mahatma Gandhi


Onde quer que esteja, faça o que fizer, vivo intensamente. Tudo registado no fundo de uma gavetinha qualquer. Depois é só aceder…
Habituei-me a observar, sem julgar.
É, porque é. E tudo é interessante.
Alguns gestos, acções, alegram-me mais do que outros.
A sintonia, afinidades, preferências semelhantes dão um colorido diferente à vida, mas tudo é muito importante.
Estamos todos irremediavelmente ligados, daí o eco em nós.
O Universo é um todo e somos responsáveis sempre pelo todo, até nos nossos pensamentos mais secretos.
Os pensamentos são algo muito importante. São uma energia muito forte!
Influenciam em primeiro lugar o ser pensante. Depois o resto do mundo.
………………………………………………………………………………………………………
Conselhos só se dão quando no-los pedem. De resto só em caso de vida ou morte, se arriscam…mas ainda assim, quando é em matéria da minha área, às vezes descuido-me...
E cá vai a continuação do meu registo aquando da minha estadia nas Termas.
………………………………………………………………………………………………………….
Sempre que podia, aproveitava para ajudar quem estivesse mais atrapalhado.
Penso e tento viver, como Ruben Alves quando diz:
A vida, para ser bela, deve estar cercada de verdade, de bondade, de liberdade. Esses são as coisas pelas quais vale a pena morrer “… e viver…
Eu era das mais novas do grupo.
Reparei que as criaturas estão tão mal habituadas, que até têm medo de quem as ajuda.
Como eu as entendo…
Outra senhora, sensibilizou me quando me disse:
‘Nunca mais vou esquece la ‘ (…) só porque todos os dias a ajudava com um gesto muito simples, numa sua dificuldade. (…)
Pergunto me se o desconcerto e agressividade que observei na maioria dos mais velhos, não estarão ligados ao abandono e falta de amor da família e da sociedade em geral, para com os mais idosos.
Somos feitos de barro e sopro. Um feixe de surpreendentes emoções. Interrogo me se o tempo anunciado do espírito, ainda demorará muito…
E logo percebo que é preciso acreditar num mundo melhor.Tentarmos, cada um de nós, mudar. O somatório dessas mudanças há-de certamente trazer a aurora de um Tempo Novo de amor e solidariedade!
Se é verdade que há muita treva e densidade à nossa volta, também há muita gente fazendo um sério e dedicado treino para uma mudança profunda nos padrões de pensamento e atitudes no seu dia a dia.
Jean- Yves Leloup dizia:
Tudo o que fazemos sem AMOR é tempo perdido. Tudo o que fazemos com AMOR é a eternidade reencontrada.
Afinal uma vela só tem valor quando acesa.
Às vezes, até penso como Jean Paul Sartre que não é o que fizeram de mim o que mais importa, mas importa o que eu faço com o que fizeram de mim’…
E lá vamos na caminhada, aprendendo as lições de vida.
E “não vale a pena fazer planos para a vida , para não estragar os planos que a vida tem para cada um de nós”.
O homem põe e Deus dispõe.
……………………………………………………………………………………………………………
Naquela zona, todos vivem da riqueza das ÁGUAS TERMAIS.
Quem trabalha directamente nas Termas, os comerciantes, os que vão melhorando as suas casas, graças aos arrendamentos aos aquistas, os que vendem os seus produtos…
Há figuras típicas que passamos a visitar periodicamente.
Uma senhora já de alguma idade, guarda severa, que ainda não aprendeu a ser amável, que está sempre na Igreja ‘e que se julga dona de Nosso Senhor’, invejosita para toda a gente por sinal e estranhamente antipática… Até assusta.
Felizmente o assistente religioso é bem diferente e Nosso Senhor no seu silêncio acolhe a todos.
Até ‘à dona de Nosso Senhor’, coitada que ainda não sabe, nem consegue acolher com amor e simpatia, quem visita a Casa de Deus por Amor.
Outra ‘rezadeira’ , com uma personalidade muito interessante, achava que devia receber dinheiro por orar pelos outros…
Comia e bebia muito bem (...) dançava e pulava ainda melhor .
Embora velhota, sabia de experiencia própria, que ‘cordeirinho manso mama na mãe, nas tias e amigas, em todas’… e assim era com esta senhora.
Enquanto rezava, intervalava falando do padre que andava de namoro com …
De facto o discurso focava sempre a terceira pessoa…ausente…
Quando se encontravam duas pessoas, era certo que falavam de alguém…embora estivessem sempre a rezar.
Não sei que modelos espirituais formam e informam estas ‘pobres’ gentes.(…)
Havia também o tipo de “chica esperta”, emigrante, arrogante e desagradável, sabendo sempre tudo, possuindo tudo e que se metia com todas as pessoas magoando-as, sendo inconveniente. Atrevida a opinar. Criticar. Humilhar. Ser dura com os menos espertos, na sua opinião.
A sua energia era tão desagradável que todos fugiam dela. Quando foi embora, sentira-se um grande alívio, no geral.
È que mesmo em silêncio, todos nós emanamos uma energia que plasma o ambientem em que nos movemos. Os mais atentos apercebem-se e sentem isso facilmente…
Aquela criatura seria assim, pelas circunstâncias da sua vida e o pelos círculos atrasados em que habitualmente se movia (…).
Na terra de cegos quem tem um olho é rei, mas depois ela extrapolava em excesso para quem nem sequer conhecia…
Tive pena de ela não deixar descobrir o seu lado solar.
Cada um de nós tem um lado lunar e outro solar.
Ela também devia ter um lado lindo, só que não deixou que a identificássemos pelo seu melhor.
E lá se foi a emigrante rabugenta...
Nós ficámos na caminhada, prosseguindo nos tratamentos até novo encontro.
...Se pudesse ser um encontro imediato mais simpático, não seria pior…
… Aquele abraço de sempre aos meus fiéis leitores !

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

As árvóres são minhas irmãs...







As árvores são minhas irmãs




. “A Natureza é o único livro que oferece conteúdo valioso em todas as suas folhas”.

Goethe
.Quando agredida, a Natureza não se defende. Apenas se vinga”
Albert Einsteisn
. “Para dar ordens à Natureza é preciso saber obedecer-lhe”
Francis Bacon



Estava no meu computador, quando a minha casa abanou.
Assustou-me, confesso.
O dia estava chuvoso. Triste. As janelas fechadas. O aquecimento ligado. Os meus gatos todos ao meu redor , no calorinho.
Entretanto, abri a janela.
O coração deu um pulo.
Os olhos marejaram-se de lágrimas...
”A minha Palmeira” acabava de ser abatida.
Aquela mesma Palmeira pela qual tanto lutei aquando da destruição do velho casarão da Conchada, onde vi crescer tantas pessoas cheias de dificuldades e sem qualquer conforto e que hoje têm filhos bem colocados .
Integrado, suponho num Projecto Europeu contra Pobreza , ergue-se hoje um edifício cheio de dignidade, que alberga ainda alguns filhos do Velho Casarão, mas também outras gentes .
E a linda e fiel Palmeira como um guardião vindo de longe no tempo - talvez 100 anos… - identificava o local , como uma sentinela.
Ao vê-la caiar assim sem porquê, a minha alma chorou.
Imediatamente, lancei o meu SOS para a QUERCUS, Junta de Freguesia e Câmara Municipal.
Durante uns tempos de sofrimento, surpresa e interrogações impotentes brotando do fundo do meu ser, chorei a “minha Palmeira”que avistava de a minha janela e que todos os dias de manhã saudava com carinho.

Passados umas horas, o telefone tocou.
Era o Director de Serviços do Ambiente e Qualidade de Vida da Câmara Municipal que gentilmente me ligava.
Embora já um Senhor, pai de família de jovens já bem crescidos, para mim ele continuava a ser aquele menino simpático, brincalhão, alegre e delicado que um dia tivera como aluno e por quem tenho muito carinho.
Aliás também a sua Mãe, minha Professora me marcara pela sua exigência, honestidade e dedicação.
Seu Pai , um militar distinto, era duro e exigente na educação do Toju e por isso sei que a preocupação de hoje do profissional atento e consciente, tem a minha gratidão e merecem -me todo o crédito as suas decisões, sem sombra de dúvida.
Então foi -me explicado que a nossa querida Palmeira, teve que ser sacrificada, dado um vírus altamente contagiante a ter atingido…

Atingiu a ela e a outras estátuas memorandas, espalhadas pela nossa cidade.
O vírus vindo do Egipto é responsável pela morte das Palmeiras do Algarve, Vila Nova de Poiares e aqui agora em Coimbra.
Mas não se fica por aqui…
Também os Plátanos vão ter que ser abatidos pela mesma razão: vírus assassino do mundo verde da nossa Terra.
E a desgraça vai alastrando e não escapam as laranjeiras.
Imaginem um vírus, designado pelo vírus da tristeza dos citrinos.

E já agora transcrevo, algo interessante sobre este assunto.
Ora leia..
“Escaravelho mata palmeiras algarvias


Praga de insectos deslocou-se do sul de Espanha, e foi detectada em Albufeira e Portimão. No país vizinho, escaravelhos foram responsáveis por milhões de euros de prejuízo.





Existem, pelo menos, cinco focos de escaravelhos considerados “mortais” para várias espécies de palmeiras, já detectados pela Direcção Regional de Agricultura do Algarve. A praga de insectos do grupo dos gorgulhos foi encontrada pela primeira vez, de acordo com o jornal “Expresso”, na Freguesia de Guia, Albufeira, no passado mês de Agosto.
Em finais de Setembro, a Direcção Regional de Agricultura e Pescas (DRAP) do Algarve voltou a detectar a presença de Rynchophorus Ferrugineus (nome científico) em palmeiras no concelho de Albufeira, com dois focos, e no de Portimão, com três.
Ao mesmo jornal, um especialista em insectos do Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos (Cibio), da Universidade do Porto, afirmou que a espécie "é maior do que a generalidade das espécies de gorgulhos presentes em Portugal" e pode ter sido introduzida no país acidentalmente, através do comércio de plantas, ou pode tratar-se de uma progressão a partir de Espanha”, disse José Manuel Grosso-Silva.
O mesmo especialista acrescenta que o combate com químicos não é totalmente eficaz, razão pela qual é difícil acabar com a praga.
Especialistas da DRAP do Algarve vão discutir o assunto, de 22 a 26 deste mês, no V Congresso Nacional de Entomologia Aplicada, em Cartagena, Espanha, e efectuam uma visita técnica à região de Málaga, para tentar combater a chegada da praga às palmeiras algarvias.
Um escaravelho mortal
Proveniente do sudeste asiático, o Rynchophorus Ferrugineus tem uma preferência especial pela Palmeira das Canárias, muito comum em Portugal e Espanha.
A sua acção centra-se na base das folhas e interior do caule, e é especialmente preocupante porque bastam dois a três meses para que consiga secar uma árvore.
O problema adensa-se porque é difícil a identificar a infestação antes de uma fase avançada. Acabada “a refeição”, o escaravelho asiático desloca-se para outras palmeiras nas proximidades, tendo por base o olfacto.
A praga foi detectada na zona de Alicante em 1995, e propagou-se no sul do país tendo provocado avultados prejuízos. O combate à praga custou aos espanhóis cerca de 16 milhões de euros.
A Comissão Europeia já reagiu à praga e publicou em Maio medidas de emergência, entre elas a obrigatoriedade de quarentena no país de origem (se for um país terceiro) durante um ano antes da importação, e de mais um ano no Estado receptor, para tentar evitar a propagação do escaravelho asiático.”
…………………………………………………………………………………………………… Que mais nos irá acontecer?
Sobretudo as nossa queridas árvores, com a sua beleza e o oxigénio que tão generosamente nos oferecem.
Que será delas e de nós…
Lucinda ferreira