terça-feira, 30 de junho de 2009

Uma ponte para o infinito




Uma Ponte para o Infinito….


Será que o tempo existe mesmo, ou será uma ilusão?
O tempo existe para nós ou nós é que existimos para o tempo?
O tempo é curto para quem ama. Para quem é feliz.
O tempo é longo. Cáustico. Para quem sofre. Vive sem horizonte. Na solidão. Põe o seu centro nos outros.
O tempo é carrasco para quem está privado da liberdade.
Hoje, o tempo parece que voa para jovens e idosos.
Ainda ‘ontem’ nossos filhos nasceram, já estamos quase de partida!
Seus filhos já cresceram. Os pais estão calvos. Nós cansados. Gastos.
Os meninos querem que o tempo passe depressa. Os mais velhos gostariam de poder parar o tempo. Ainda sentem que têm tanto para fazer. O tempo urge!
E ...corremos…corremos…corremos e tão pouco se faz.
- Quanto ainda há para fazer?
- Será que ainda temos tempo?
Vergastam-nos com pressas, os segundos. Os minutos. As horas. Os dias. Os meses. Os anos que fogem vertiginosamente.
Ainda ontem chegámos. Não tarda, temos que ir andando…
E não fica cá ninguém!
Todos tivemos a nossa oportunidade para evoluir. Escolher a luz. A sombra . As trevas.
Quando a ‘licença’ terminar nesta fase, nada mais poderemos acrescentar.
O tempo é um navio para a eternidade. Se embarcamos nele, guardando no nosso coração, o segredo da descoberta agradecida, podemos ir longe. Se não , ficamos na praia. Inúteis. Sós. Estagnados. Descentrados. Doentes. Infelizes sempre culpando os outros, tantas vezes.
O tempo é semelhante às águas de um rio. Ninguém se pode banhar duas vezes na mesma água. Esse é o problema. A urgência que nos pressiona a todos.
Já encontrou a sua bússola de que lhes falei há dias?
Então há que aproveitar. Agradecer. Rentabilizar a oportunidade…enquanto há tempo.
A nossa ‘mãezinha’ até nos podia ter enviado pelo cano de esgoto, para o mundo do silêncio. Do nada…relativamente a este plano. Se não mandou, então há que aproveitar sem perda deste tal tempo que não volta nunca mais ! Não há desculpas. Isto é para todos nós!
Há muito tempo, descobri um texto de autor anónimo que vou partilhar, por me parecer oportuno.
‘Procura tempo para pensar. È a fonte do poder.
Procura tempo para ler. È a fonte da inteligência.
Procura tempo para orar. É a maior força sobre a Terra.
Procura tempo para amar e ser amado. É o privilégio que Deus concede a cada um.
Procura tempo para servir . É o caminho da bondade.
Procura tempo para rir. É a música do espírito.
Procura tempo para dar. Um dia é demasiado curto para ser egoísta.
Procura tempo para trabalhar. É o preço do sucesso.’
Há um tempo para dar...receber...amar… sofrer(?)…
Fica o recado com ocupação para todos os gostos. Todas as ocasiões.
Construir. Edificar. Enriquecer o lugar onde nos encontramos. Os momentos que vivemos sós, através do pensamento…Ou quando comunicamos com os outros.
Dizia-se que nesta passagem pelo planeta, era necessário ter um filho. Plantar uma árvore. Escrever um livro.
Ora aí está mais uma sugestão de um programa, para todos nós.
Às vezes, queremos tudo muito rápido, mas as coisas só chegam no momento certo, para nosso bem e dos outros. O Universo tem um tempo diferente do nosso. Sem ansiedades. Sem encrencas.
Há que confiar no tempo . Faça o seu melhor. Depois entregue . Viva!
O melhor virá sempre ao seu encontro. Mesmo que não seja o que pediu.
Se observarmos como nasce. Cresce. Fortalece. Floresce. Dá frutos, uma árvore, temos a resposta para as nossas pressas.
A partir da noção de tempo, crescem em nós algumas sensações.
Uma sensação de efemeridade : o tempo passa rápido e não pode ser recuperado! Algo irreparável. Há que vivê-lo intensamente. Aproveitá-lo. Agradecer-lhe.
Uma sensação inexorável de incapacidade de sair do tempo ou de o controlar: estás dentro dele. Não podes existir fora dele.
Daí então, a necessidade de aproveitarmos a força do tempo e nunca lutar contra ele.
A nossa vida é feita de tempo.
Enquanto ficamos à toa (...) a vida vai-se encurtando cada vez mais.
Não há nada pior que nos possa acontecer.
Tempo, ponte para a eternidade. Para o desconhecido…
O TEMPO é nosso amigo!
Obrigada, Tempo que ganhei ao gastar-te, a fim de partilhar estas PALAVRAS com os leitores!