sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Se eu tivesse umas sandálias ...ia a Sidney...


Há muitos anos, assisti a uma peça de Teatro , intitulada 'O PORTEIRO'.

O autor era Pinter.

Aquela peça ficou tão gravada na minha memória, como uma liçaõ de vida ... que aliás ainda não consigo pôr em prática, o que só me dá dissabores. ..

..mas o refrão da peça era ..

: SE eu tivesse uma sandálias ..ia a Sidney...


Justamente a história que acho que ainda hoje se repete, era a seguinte:


- dois irmãos nobres e bondosos viviam na sua casa de família sozinhos...

Bateram à porta . Foram abrir.

Bom, deram a sua esmola , mas o pedinte insistia repetindo o refrão:


Se eu tivesse umas sandlias ia a Sidney...


Condoidos os benfeitores, prestam toda a atençao ao pedinte e lá lhe dão as sandálias.

..mas este não se fica por ali e vai pedindo sempre mais e mais!

...de tal forma vai evoluindo nas suas exigência, que acaba por pôr os seus benfeitores na rua , apoderando se da casa e de tudo que nela existia...

Pois muito bem.


A minha empregada e amiga , insiste para que eu escreva as peripécias ligadas às pessoas que entram em minha casa , para eu ajudar...

Garanto vos que são histórias de abuso , roubo, ingratidão e de alguma tristeza...que nem quero expor aqui.

E não é por que eu não saiba a história do camponês que agasalhou a cobra e esta lhe picou e o matou...e até conheço a peça de PINTER..,mas não há maneira de ter juízo.

De qualquer modo, penso que há que ter cuidado com quem metemos na nossa casa.

Entram como cordeiros e são lobos vorazes.

Tudo são lições eu sei,mas caras por vezes.

Olha aquela senhora médica que criou o menino abandonado e este depois já um senhor bem colocado socialmente , na calada da noite, enquanto ela dorme, corta lhe o pescoço com uma faca...

Que Deus nos livre de quem não nos sabemos livrar!

Mais vale só do que mal acompanhado, não é mesmo?