quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

"Mecanismos da alegria"




Mecanismo da alegria”




Hoje, o Príncipe
Veio ver-me…
Vinha vestido de luz.
Todo o seu ser
Resplandecia
A sua essência emergia
Pura. Nua .
Sem porquê.
Oferecia-se-me
Em taça dourada
Simples
Perfumada.
Os olhos brilhavam
Húmidos
Profundos
Como aquele mar
Que trago escondido
No fundo do peito
Aquele amor perfeito
Que não tem princípio nem fim.
Cativo.
Anónimo. Simples.Antigo.
Assim…
3.12.09

Aceitação



"A ACEITAÇÃO

Até ao sistema de perdas eu já expliquei. Pois hoje, quero falar-te da sequência. Do que acontece a partir da perda. Para nós, cá em cima, a perda é sinónimo de fragilidade. O ser perde para se fragilizar. E fragilizar para quê? Para obrigar a ir lá dentro, ao centro do sentimento, aceitar, aceitar que as coisas acontecem, e vivenciar o que tiver de vivenciar nesse momento.
Se a pessoa não se fragiliza, se não se conecta com a sua emoção, nesse caso, as perdas vão sendo cada vez maiores, para que se dê o ponto de contacto. O ponto de contacto é o momento preciso em que a resistência baixa para zero, e o ser se conecta com ele próprio, com o que verdadeiramente sente, e é iniciado o processo de aceitação.
O processo de aceitação é quando a pessoa interioriza que não é nada perante o Universo na sua totalidade. Quando percebe que se as perdas lhe aconteceram foi porque as atraiu, nesta ou noutra encarnação. Quando interioriza que tudo se vai transformar na sua vida ao mudar de atitude, passará a agir de forma muito mais autêntica e universalista.
Ao aceitar, o ser começa a abrir-se para o infinito, para as novas dimensões. E é lá que vai buscar inspiração e luz para iniciar o próximo processo pós-perda. O processo de ascensão."
JC