quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Uma linguagem universal - a música


Anda Música no ar

Fracas são as palavras quando queremos falar do que mais amamos.
Não consigo imaginar, como seria viver sem música na minha vida , no mais íntimo do meu ser.
Sinto que a minha mãe me deve ter cantado para me embalar quando era bebé ou mesmo quando vivia junto do seu coração. Ela gostava muito de cantar e cantava bem. A voz humana é o instrumento mais belo que transportamos sempre connosco.
Mas o que é a Música?
Surgiu este termo MUSIKÉ, a partir da homenagem às nove Musas gregas.
É ciência e arte de combinar os sons dum modo agradável. O nosso ouvido capta. A inteligência é posta em acção. A nossa alma vibra e os sentimentos são fortemente influenciados.
É uma arte subjectiva e espiritual. É um dos meios por excelência para desenvolver a inteligência e promover a integração do ser.
Harmonia, melodia e ritmo são as suas componentes. A elas se prendem aspectos específicos do ser humano.
A harmonia, ordem ou estrutura musical, contribui activamente para a afirmação, reestruturação da ordem mental do homem.
A melodia estimula a afectividade.
O ritmo induz ao movimento corporal.
E é Platão que assim remata neste capítulo:
«A música é um meio mais poderoso do que qualquer outro porque o ritmo e a harmonia têm a sua sede na alma. Ela enriquece esta última, confere-lhe a graça e ilumina aquele que recebe uma verdadeira educação.» ………………………………………………………………………………É a Música uma linguagem universal e um factor de entendimento entre os humanos das mais diversas culturas. Conforme dados antropológicos, desde as primeiras civilizações que há notícias da Música, usada em rituais como o nascimento, casamento, morte, recuperação de doença, fertilidade. Mais tarde, serve de louvor a lideres e há notícia de ser utilizada nas procissões reais do antigo Egipto e Suméria. Interessante que no Egipto, a música era executada, na maioria por mulheres que eram depois sepultadas junto dos túmulos reais. Também na Assiria, os músicos gozavam de grande prestígio. Vinham na hierarquia social, logo a seguir aos reis e aos sacerdotes.
Em Roma, o teatro, a luta de gladiadores, os malabaristas e acrobatas de rua, tinham sempre música como acompanhamento. O próprio Nero, no ano 65, deu um concerto em Pompeia . No ano seguinte fez uma tournée pela Grécia como cantor e tocando cítara.
Mais perto de nós, o escritor Sándor Márai, nascido em 1900, na sua obra As velas ardem até ao fim, uma das suas personagens revolta-se contar a música, justamente pela sua magia e poder!
‘…odeio a música. Odeio essa linguagem melodiosa e incompreensível que certas pessoas utilizam para comunicar, para dizer algo informal e irregular, sim, ás vezes penso que através da música, exprimem algo de indecente e imoral. Olha para os seus rostos que se transformam tão estranhamente quando ouvem música.’
Já o iluminado Platão dissera que a música era uma lei moral.
Ela dá uma alma aos nossos corações. Asa ao nosso pensamento e energia à nossa imaginação. É encanto na tristeza, na alegria, na vida , em todas as ocasiões. Ela é a essência do tempo. Eleva-se acima de tudo o que existe de forma invisível, mas entretanto ela é deslumbrante e apaixonadamente eterna.
Por ela existir em cada fibra do meu ser, também não me quero separar dela nunca!
Gostaria de ter música na despedida da minha passagem por este planeta Terra.
Ter muita música no meu funeral. Música instrumental e música coral. Certamente o meu espírito em alegria, se transformará em raio de sol colorido, perdido no espaço imenso! Além disso Santo Agostinho dizia que ‘cantar é rezar duas vezes’.
‘Quando a minha voz se calar com a morte, o meu coração continuará falando’.
Quem sabe até, confundida no pó das estrelas, aí escute também, a sua música especial…
… terminamos com as palavras de Sergei Rachmaninov:
«A música é suficiente para uma vida; mas uma vida nunca é suficiente para a música»



















segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Hoje, encontrei uma amiga que nunca esqueci!


Foi de facto uma alegria, encontrar a minha amiga, Dr.ª ROSA COUTINHO!


Já me tinha valido num hospital público, o que nunca esquecerei.


Rosa Coutinho desde o primeiro momento, que me chamou a atenção.

Acho que sintonizámos facilmente.

O conhecimento exerce sobre ela a mesma sedução, do que para mim.

O cuidado, a delicadeza e o coração que põe no que faz , diferencia-a de muitos prestadores de serviço na saúde.


Ainda há tempos, pude observar atitudes diferentes...

Por acaso, passou-se comigo,mas passava-se com todos os doentes.


Estava uma técnica a atender-me.

Entrou um jovem médico, que nem sequer disse boa tarde.

Entretanto começou a falar com a técnica, combinando n...coisas do seu interesse, como se ali não estivesse ninguém!

Achei que era uma falta de educação a todos os níveis, de consideração por quem estava a ser atendida, por quem chegara primeiro e a quem devia pedir licença para falar com a técnica que estava em serviço, quando ele entrou.


Fez me lembrar uma vez, há muitos anos , quando o meu Pai foi ao médico e se esqueceu de fechar a porta.

O médico repreendeu-o duramente.

Então o meu pai respondeu:

- Mas a senhora enfermeira não é quem fecha a porta?

O médico respondeu:

-A enfermeira está aqui para me servir , não é para servir os doentes (...)


Hoje também me pergunto:

Como pode o médico exercer a sua missão, a sua profissão, se não tiver doentes?

Os doentes querem ser gratos e gostar do seu médico pelo seu saber, mas também pelo seu trato delicado.


Havia um filme muito interessante - O Senhor doutor - de Mário Moreno, o Cantinflas.

Justamente a relação médico doente era tão importante nesse filme que era meia cura.

E é verdade.

Conheci o saudoso e grande Homem e Médico, DOUTOR JOSÉ LOPES CAVALHEIRO que também era assim.

Que o sejam estes miúdos médicos que deixam tanto a desejar.

Homenagem à minha amiga Paula


Hoje faz anos a minha amiga Paula ! PARABÉNS.


A todas as Paulas e (Paulos )minhas amigas, que ainda não me deram o dia do seu aniversário, desejo as maiores felicidades.


Qure a s suas realizações sejam coroados do maior exito

Beijos

Lindamar

Nota: se ainda não me deu, pf forneça me o seu dia de aniversario.

Gosto muito de saudar nesse dia tão especial.

domingo, 27 de setembro de 2009

O mundo em que vivemos


Estou agora a ouvir o programa Camara Clara, Programa II, em que se conversa com um Músico ( João Paulo Esteves da Silva) e um Escritor, Richard Zimler, judeu, com o livro , Os Anagramas de Varsóvia .
Naturalmente que me comoveu tanto horror.
Ainda ouvi Chopin, no filme ,O Pianista, escrito sobre a obra de Polanski, em que um judeu toca esta peça, conseguindo fugir á morte.
"A Arte não salva,mas consola"- dizia a apresentadora.
Aqui salvou, felizmente
Enfim,as pessoas recordam tanta crueldade...e ainda há sobreviventes que recordam esse maldito passado.

Agora fala-se do testemunho de uma senhora, Shirin Ebadi,Prémio Nobel da Paz , autora da obra GAIOLA DE OURO, em que fala do regime teocrático do Irão e de uma família islâmica. Tudo muito negro e doloroso.

Ouvi ainda falar da "Trilogia Milénio" ( O primeiro Livro: Os homens que odeiam mulheres e os dois restantes...) que denuncia o lado negro da sociedade sueca.
Pena que este jornalista , morre de ataque cardíaco, com cinquenta anos...

Mas na verdade, as pessoas andam por aqui cheio de conflitos, embora nem todas tenham talento para deixar transcrito em beleza...

Ontem conheci um estrangeiro que trabalha desesperado, para uma firma de transportes, sendo ele um um designer de a qualidade...mas o pior é que já não recebe o seu salário há dois meses.
E tem famíla! E tem uma filhinha doente.

Doeu me tanto , que prometi tentar ajudar. Ele era muito digno.
Quando já ia no meio da rua, quase só ao cimo, pede-me que me reze por ele...
Não o esqueço, naturalmente e sei que Deus o vai ajudar.

Hoje, ainda me deu mais um bac no coração.
Estava na Livraria a fazer uma pesquisa, quando sem saber como, falei com uma senhora que estava ao meu lado.
Não foi difícil. Começou a falar comigo e a contar me toda a sua vida.
Tinha 45 anos. Tinha 13 filhos!!!!!!!!!!!!!!!
Tinha vivido 8 meses em Barcelona.
Mas...agora estava na Casa Abrigo, embora ainda hoje não tivesse comido nada, porque não gostava da comida.
Vendo-me ali com os livros, fez me um pedido.
- O meu maior sonho e a solução da minha vida, é escrever sobre o livro da minha vida!
Disse-lhe que se pudesse ajudar, o faria . Dei-lhe o meu telefone.
Mas tudo me pareceu esquisito, pela sua ambição num mundo em que tanta gente escreve com qualidade.
Começou a ter filhos aos 18 anos. Foi casada 4 vezes.
Só me falava de crueldade e de maldade humana.
Perguntei-lhe e disse-me que tinha o 9.º ano.
...
Depois falei..lhe do preço da publicação do livro.
Depois perguntei quais eram os seus objectivos.
- Falar do que tanta pessoa sofre ,como ela, no mundo.
- E acha que vai vender o seu livro?
-Vou, com certeza.
Enfim fiquei a pensar , como eu adorava escrever os meus livros e não tenho força e ela , quanta força tinha!
Grande lição!
Muito obrigada, minha amiga daquela tarde na livraria....

sábado, 26 de setembro de 2009

Comprar em segunda mão


Estava agora aqui no meu canto, quando a televisão NOTICIAS, falava de Lojas que compram e vendem, em segunda mão, agora mais abundantes em Portugal.


Até que enfim que chegou até nós essa coisa boa para quem tem mais necessidades ou não gosta de pôr fora as coisas de que já não necessita.

Já dei roupa muito boa e depois fui encontrá-la no caixote do lixo...

Confesso que agora até tenho receio de dar coisas às pessoas.

Talvez se comprarem mais barato , talvez não se sintam tão descriminadas , nas suas cabeças mal formadas, desculpem.


Sempre troquei roupas com as minhas amigas, quando as crianças eram pequenas...


Há quanto tempo no Canadá e nos USA isso se faz.


Mais as pessoas, ao sábado fazem a sua GARAGE SALE.

Põe no seu jardim, as coisas que já não precisam e as pessoas vão e compram, afinal trocam , porque muita gente faz isto com toda a naturalidade.


Afinal, é nos países mais pobres, que há mais vergonha .

A mesma coisa, quando se vai ao restaurante e cresce imensa comida.

Nos USA e no Canadá , há uns anos, quando se ia ao restaurante, no final trazíamos a BAG DOG.

Agora , não.

Acabou-se a refeição. Cresceu comida. Dão te a saquinha com tudo direitinho para depois ao outro dia, teres a tua refeição preparada sem trabalho ,nem despesa. Afinal isso era mesmo teu. Já tinhas pago.


Uma vez , pedi licença para fazer isso, cá em Portugal. As pessoas com quem eu estava, ligavam-se à restauração.

Um deles era dono de 6 restaurantes. Virou-se para mim , meio zangado e disse-me.

- Isso não se pede. Isso é o lucro do restaurante...

Pois eu se estou só, peço sempre o favor de me acondicionar o que fica na travessa.

Se estou com alguém, pergunto sempre e depois vejo como reage a pessoa...

Isto faz me lembrar uma amiga, que me contava que as filhas na Escola, passavam vergonhas, quando não se apresentavam com roupas de marca...


Sugeri que ensinasse as meninas a defenderem-se e responderem:

-Tens razão. Na realidade todos os ciganos e ladrões das grandes superfícies, só andam vestidos com roupas de marca...

E é mesmo verdade.


Enfim.

Será que o hábito é que faz o monge?

Claro que não. Valha-nos a inteligência, abertura e respeito por quem , sem qualquer ofensa aos outros, assume ser económico e comedido de acordo com as suas posses e pede para que lhe deem o resto que lhe pertence.

Ou compra nas lojas em segunda mão ou compra nos chineses ou onde puder . Desde que não roube , nem fique a dever.

Há gente muito chiq , que só pode vestir marcas caras , mas que depois são caloteiras,vaidosas e pouco honestas...


Já é tempo de evoluirmos e não sermos tacanhos e "aldeões" atrasados.
E sobretudo não pautar as suas vidas pela aparência e pouca verdade.

É a tal coisa: preferes ser caloteira e empenhada ou saberes gerir a tua vida com equilíbrio e honestidade?

Por que não havemos de ser verdadeiros e assumidos, sem vergonhas e postiços fingimentos ?

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Gratidão - Obrigada, meu amor




Obrigada, meu amor!




A gratidão é um dos sentimentos mais belos que nasce num coração bem formado’.
Esta era um das muitas frases que norteavam a minha vida, nos meus tempos de colégio. Escrita na minha mesa de estudo, esta frase durante uma semana, fazia-me reflectir sobre esta verdade, sempre que olhava para ela.



Hoje, percebo o poder que o espírito tem sobre matéria. As possibilidades infinitas de transformar a realidade de todos os dias a favor de cada um de nós, através da nossas programações conscientes ou mesmo inconscientes. Aí reponho. Reforço, o alcance incrível da gratidão nas células de todos nós. Nos átomos. Nos ‘intervalos’ dos átomos que se acreditava vazios e hoje, pela física quântica, se sabe conterem uma energia tal, que nos deixa estupefactos! Então há que trabalhar a favor da nossa felicidade, aí mesmo.



Tudo está no nosso interior. As descobertas mais maravilhosas. Mágicas, estão dentro de todos nós.
Cada vez mais a ciência se aproxima da espiritualidade. De dois em dois anos, os modelos das descobertas evoluem.
Uma nova forma de pensar. Um novo sentido para as nossas vidas. Uma mudança quase radical em alguns casos, impõe-se.



Cultivar a GRATIDÃO em todos os momentos. Em todos os locais. Em todas as situações. Agradecer a tudo. A todos. Trabalha a nosso favor, sem dúvida, e é uma das mudanças importantes para toda a Humanidade, a que precisamos estar atentos.


Agradecer pelos problemas. Dificuldades. São uma lição. Um factor de crescimento. Agradecer aos inimigos porque nos obrigam a questionar-nos. Agradecer pelo que nos eleva. Pelo que nos realiza, porque cria em nós entusiasmo. Mais coragem para a luta, pelo que nos promove.


A GRATIDÃO cria uma energia positiva. Benéfica em todo o nosso ser. Uma energia de união com o todo. De serenidade. De alegria. De atenção ao mundo que nos rodeia.
Gratidão em cada segundo, porque estamos vivos.
Agradecidos a um Criador que pensou em todos os pormenores, para que nada nos faltasse, dando-nos a vida!



Para quem não acredita, recorde que os Povos primitivos ditos ‘SELVAGENS’ por muitos (…) já agradeciam à Grande Vida, reverenciando a marca do Criador em tudo que os rodeava.
O homem faz muito, através da inteligência que lhe foi concedida, mas não cria a vida. Pode clonar. Não pode criar!
Depois, os nossos Pais podiam ter-nos negado a vida.
Não! Sacrificaram-se por nós. A mãe arrisca a sua vida para fazer viver outro ser.



Se pensarmos no ar que respiramos. Temos que lhe agradecer. Se não respirarmos, o que acontece?
Morremos por asfixia. Horrível! Então há que agradecer mesmo ao ar.
- Obrigada ar, que respiro!
Mas se não tivermos Sol?
-Obrigada Sol, por nos aqueceres. Por dares vida a tudo que existe. E a chuva?
– Obrigada, Chuva!
E assim para as frutas. Os legumes. Os animais que ao serem sacrificados, sofrem para que possamos ser alimentados. Aqui há que reflectir: os animais apercebem-se da morte, desenvolvem toxinas. Ingerimos essas toxinas?



Diz-se que quem come muita carne, tem um temperamento mais agressivo. Opções…
Os indianos, antes das refeições, agradecem a tudo que chega à sua mesa. A quem trabalhou, até ali chegar aquele alimento. Depois, ao que foi sacrificado.
Solo. Rios. Mares. Montanhas. Cidades. Aldeias do meu País, obrigada!



A Terra é a casa de todos nós.
Poluímos. Matamos. Esfolamos e ficamos todos contentes. Inconscientes. Reclamando. Agredindo. Pensando mal. Falando mal do outro. Narcísicos. Egoístas ‘com o rei na barriga’. Competitivos. Cavamos assim a nossa própria desgraça. E a gratidão a tudo? A Todos? Onde está?
A Terra chora. Revolta-se… A Terra retorce-se. Grita! Há terramotos. Fogos. Cheias.


Então nós aqui em Portugal, muito temos que agradecer à Terra que nos acolhe... Nos protege!
Mesmo alguns governantes, de plástico tantas vezes, menos verdadeiros, demagogos, fingidos, cheios de verborreia para nos confundir, mesmo a esses, teremos que lhes agradecer ou porque assim eles se revelam no que são, porque não são capazes de serem diferentes ou ainda para nos apercebermos do que não queremos mais no nosso País que amamos e nos viu nascer. Onde nossos antepassados, honrados e honestos, lutaram dando as suas vidas ‘para que fosses nosso ò mar’, ó Terra sagrada!


Recordo-me de um texto ( e de muitos outros) no livro da minha segunda classe, que dizia assim:
‘Não lavro e não semeio e todos os dias como pão. Se estou doente, vêm remédios de todo o mundo para me curar.’
De facto assim é. Então, agradeço ao senhor que me limpa a rua, tal como ao médico que me atende com simplicidade. Se interessa por mim como pessoa. Ao carteiro que me traz as cartas. À senhora que me ajuda a limpar a casa…Todos são objecto do meu carinho. Da minha gratidão.


Quando penso nos meus Filhos, sinto como me ensinaram a ser mãe. Agradeço-lhes. A meus Pais. A meus antepassados. Com todo os que me cruzo ou cruzei na vida, mesmo com quem não tive a sorte de me entender tão bem, agradeço. Muito aprendi com eles, em sofrimento ou em alegria.


Agradecer à vida todas as manhãs, todas as noites pelo PRESENTE (= aquele momento) concedido, é um benéfico hábito.
Agradecer à pessoa que está ao nosso lado, cria harmonia. Na família. No trabalho. Na rua.
Obrigada ao marido. À esposa. Ao namorado. Ao amigo. Aos filhos. Aos pais. Aos avós. Aos empregados…Muito Obrigada!
O exercício da descoberta das coisas boas da nossa vida, por pior que ela seja, é saudável. Cria liberdade. Bem estar e sobretudo exercita a gratidão!



Muito obrigada a todos os leitores, por terem gasto um pouco do seu tempo, sintonizando comigo.



linmare@edicomail.net

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Alegria pela alta qualidade humana dos meus seguidores




Hoje é o dia da reunião de oração e de partilha das nossas alegrias, dificuldades e dores , na minha casa.


Até acabou mais tarde , o encontro ,mas ainda vim ao meu blog.




Todos os amigos, menos amigos e necessitados, foram nomeados e entregues a Deus, para que a Sua Luz desça sobre cada um de nós Todos.


E fazêmo-lo com amor. Sabemos bem a força da oraçao e da nossa mente quando projecta bondade sobre os outros, mas , mas...cada um também, tem que fazer algo por si mesma.


Tem que evoluir por si mesma.


A dor e o amor , só cada um de nós pode vivenciar.




Nascemos sós e morremos sós e não vamos culpar o outro, por isto ou por aquilo.


Ele ou ela foram o nosso professor naquela situação particular.


Temos que lhe agradecer , porque tínhamos que vivenciar aquela coisa difícil.


Também não vale a pena dizer que não se é feliz , porque A ou B ..não nos ""fez, ou faz feliz"


Ninguém faz feliz ou infeliz, outrém.


Cada um de nós tem que perceber que tudo o que vem à nossa vida , é uma oportunidade para reagirmos desta ou daquela maneira.


Isto é muito sério.




Tomara eu saber isto há muito mais tempo.


Muita coisa tinha sido diferente na minha vida.


Mas também não me vou culpar , porque tive que sofrer muito no fundo do poço , para chegar a estas conclusões.


Só se evoluie pelo amor ou pela dor!




Se alguém puder aproveitar com a experiência do outro , escusa de sofrer tanto, mas há a nossa liberdade .


Cada um semeia o seu futuro, com o que faz com o seu presente.




Não nos podemos deixar levar pelas ilusões ou pelo mais fácil.


ÁS vezes afiermamos uma coisa e...fazemos outra.


São Paulo dizia:


-"Não faço o Bem que quero e faço o mal que não quero".


Entao , rodear-se de quem nos ajuda a ser mais coerente, é uma ajuda.


A oração ,falar com Ele, e...escutar a resposta, ajuda muito .




Muito obrigada à querida Lucira por vir ao meu blog.


Estás sempre em nosso coração!


A distância nada mais faz que aumentar a saudade.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Viver intensamente o momento presente, eis o segredo!




Hoje, ofereci o dia a mim mesma, embora os telefones ainda me interrompessem um pouco, embora postos em "silêncio"...


Os telefones são uma tirania que nos deastabilizam.


Não nos servem. Servem-se de nós e nós até deixamos... e quando não atendemos logo, até vem logo a crítica:


-Liguei ,mas não me atendeste...


Então ontem , foi o dia sem carros na cidade e hoje , foi o menos possível o telefone, embora no meu banho, "tocassem" , vibrassem os 4 ao mesmo tempo...
Todos para me pedirem alguma coisa, naturalmente, e ainda o portão da rua a "tocar" ao mesmo tempo...


Mas na realidade, isso à parte, foi um dia maravilhoso.


O dia estava quente e luminoso.


Fui de manhã para o meu jardim, cuidar das minhas queridas flores.


Deixei os gatos todos virem dar uma volta na rua, embora sempre um pouco preocupada, porque eles são como "LaChèvre de Monsieur Seguin", que não se apercebem onde está o perigo e...depois sofrem eles e eu...


Bem, a seguir, fui ler um dos meus livros preferidos : A vida de Jesus!


Leio lentamente e quando leio , marca-me sempre e fico verdadeiramnete consolada e feliz. Também muito emocionada. Gostava de ter feito parte do grupo de Jesus, naquele tempo. Sinto-me lá no meio.
Faço agora, embora só O sinta e não O veja com estes olhos terrenos.


Hoje, chorei! Choro sempre nesta passagem que me toca particularmente, nem eu sei o motivo....


Quando Maria Madalena vai ao sepulcro e pergunta ao "hortelão":


-Roubaram o Senhor! Se sabes , diz me onde está, que quero ir buscá-Lo-.


E aquela voz doce e inconfundível...revelou-se.
Madalena aproxima-se para O tocar, mas Ele não deixa , porque ainda não tinha subido para o Pai.


Os apóstolos não acreditaram. Acharam que era uma fantasia de mulher, mas depois Ele caminhou também a seu lado e...até Lhe pediram:


- Não partas, porque anoitece.


Mas quando O reconheram, Ele partiu!
Depois da Ressurreição, algo difícil de entender para um humano sem fé, ainda ficou 40 dias.
Subiu ,mas prometeu voltar!


Comentavam depois entre si, os apóstolos a quem Ele apareceu :


- Bem nos ardia o coração, enquanto Ele falava...
Também para mim ler estes texto é um bocadinho do Céu.
DE seguida... tudo o que depois conversámos os dois, não vos posso dizer. É o nosso segredo....


Ele só fala, quando calamos tudo e O escutamos com amor.


Mas garanto- vos que Ele falou-me!


Quando eram 15h e 30, tive que ir almoçar..


Seguiu-se uma pequenina "siesta" . Também me soube muito bem.


E mais um CD de relaxamanto , dormitando lá pelas tantas...pelo meio...


Como era o meu dia, resolvi oferecer-me um filme .


Vi uma coisa que gosto muito: um policial sem crimes , nem sangue ,mas muito inteligente e interessante.:Carbúnculo Azul da colecção Sherlock Holmes.


Para quem gosta deste tipo de filmes , veja que está muito bem.


Entretanto estava um por de sol lindissimo e comtemplei com gratidão tão belo momento.


A seguir fui jantar na sala - local diferente do habitual, mas era o meu dia...-


Também comi algo que muito gostava, mas o melhor de tudo foi o DVD estupendo, lindo que me fez chorar de alegria, mais uma vez.


Love Songs de André Rieu , com 14 peças e uma sensção de que se voa...de que não se está neste plano...


Este foi um dia em que fiz as coisas que eu gosto e saboreei cada moment0, como se fosse o primeiro e o último da minha vida.


Agora partilho-os convosco.
Oxalá este testemunho vos encorage a fazer o que gostam e terem nisso o maior gozo, como eu, hoje.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Uma mulher de grandes paixões...


Um dia disseram-me que eu era uma mulher de grandes paixões!

Sim .

O tempo ajuda-nos a conhecer-nos melhor a nós próprios.

Acho que sou mesmo uma mulher de grandes paixões!


No entanto, elas levam algum tempo a despertar e a crescer na minha alma, que quando se entrega, é mesmo de uma grande fidelidade.

Também é por isso que a falta de palavra e as traições, me causam uma grande dor , numa primeira fase.

Agora distancio-me e aceito as pessoas tais como são , limitando-me a perceber que me enganei na escolha.


Mas bem , então é para dizer que mudei o meu clip de som, no meu perfil deste blog.

Não lhe digo quem canta , nem o que canta. ..

Vá lá e vai gostar, estou certa.

Quando li a biografia da senhora que canta , ainda fiquei a admirá-la muito mais. Gosto do seu timbre. Da sua mágoa e do sentimento que põe nas suas canções, sobretudo da sua temática quase sempre sobre o amor.


Ela dizia : "só consigo criar quando estou apaixonada".

Como eu a entendo...

Só que hoje tenho várias paixões. Algumas antigas, outras mais recentes.

Claro que gostava de me apaixonar na verdade por alguém, pessoa mesmo !

Mas..não sei onde se esconde...

A idade e as limitações nunca são impedimento , porque a vida passa para todos igualmente.

E...quando DEUS faz uma panela, faz sempre um testo para ela...

Onde está o meu testo, alguém pode dizer-me por favor?

Mas bom, o que eu queria dizer, não era nada disto.


Era dizer que amanhã, entre as 13 e as 14h , passa o meu flash semanal, no Radio Club Portugues , em 98.4 e também audível na net.

Ouçam e deem sugestoes.

Ontem foi tudo a correr.

As coisas que eu tinha para dizer sobre a importancia da Arte e da Cultura na educaçao , eram tantas...que se amassou um pouco a ideia , mas vá lá ouçam e ofereço-vos...com amor ...o novo clip.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Caminho seguro para a felicidade:viver aqui e agora - momento presente

Hoje, na minha reflexão da manhã , fiz descobertas muito interessantes...

Aprofundando , vemos que angústia e culpa se ligam a tudo que é passado.
A ansiedade está casada com o futuro.
Assim, vivendo o aqui e agora, com todo o nosso ser envolvido, é a soluçao para estes três males!
Ainda por cima , ao viver bem intensamente o aqui e o agora, esforçamo-nos por estar centrados
.
As nossas escolhas de cada momento, no dia a dia, é que vão condicionar o futuro.
O que se segue é sempre consequência do passado, hoje presente.
Este aqui e agora que nunca mais se repete.
Só temos uma oportunidde única em cada segundo de vida .
Então , hoje e sempre , viver bem , o melhor possível é o lema de quem quer ser feliz!
Portanto : angústia e culpa é viver no passado!
Ansiedade é viver no futuro!

Viver aqui e agora, receberemos a inspiração verdadeira para sermos quem somos de verdade!
E se nos lembrarmos que tudo que chega até nós, bom ou menos bom, tem uma finalidade de crescimento...é mais fácil ainda.
Além de que nada acontece por acaso.
Aqui e agora nos encontrámos também neste simples recado para mim mesma, que partilho com meus queridos visitantes, amigos e leitores.

domingo, 20 de setembro de 2009

Segredos do Voluntariado


Segredos do Voluntariado


O Voluntariado gera um campo vibracional imparável à nossa volta.
Só conhece esta alegria, aquele que se dá aos outros, sem porquê. Apenas por amor. Por um ideal que o empurra, sem nunca poder parar.
Do fundo do coração, receber o apelo de partilhar o que se é, muito antes de partilhar o que se tem.
Ninguém é tão pobre que não tenha nada para oferecer a outrem. Nem tão rico, que não necessite algo do outro, nem que seja do seu sorriso quente e doce.
Fazer bem a alguém, apenas uma vez por dia, alimenta a alma de felicidade. De sucesso. Experimente!
Podemos viver rodeados de conforto. De mordomias. De abundância...mas se não contribuirmos com um pouco de nós mesmos para a felicidade dos outros, nunca saborearemos essa coisa divina: a sensação de ter sido útil. Ter amado incondicionalmente quem necessita de nós.
Ainda paralela a esta postura: o êxito será tanto maior, quanto maior for a preocupação em oferecer um serviço, que traga benefício ao outro.
A lei é eterna. Imutável: aquele que dá, recebe!
No Voluntariado, a sementeira é tão rentável, que chega a receber em satisfação interior. Equilíbrio. Saúde , muito mais o que dá, do que aquele que recebe.
Se os tesouros humanos ficarem fechados a sete chaves dentro de nós, para que servem? Usando-os, ser-nos-ão devolvidos na alegria do outro. Saberemos então quanto vale esse tesouro. A vida enche-se de alegria. De paz. Redobram as capacidades, constatamos admirados. Força. Inspiração. Fortuna, tudo retorna a nós multiplicado.
Escondida. Não exteriorizada a riqueza interior, não poderá tornar felizes a nós próprios , nem aos outros.
Em grupo ou sozinhos, num ‘voluntariado por conta própria’, generosos em frases de louvor. Admiração e... um sorriso amigo com quem cruzamos. Um elogio merecido, pode fazer milagres. E quem não gosta de se sentir valorizado?
Sendo tão fácil tornar o outro feliz, por que hesitar?
Voluntariado é um estado de espírito. O desejo e a preocupação de ser útil.
Exige espaço. Disponibilidade interior, antes de tudo e apenas.
Assume formas variadas, conforme a nossa vocação, por vezes abafada durante a vida profissional activa. Quando se desempenha uma profissão, o voluntariado pode dar vazão ao nosso ser, fazendo o que mais se gosta. São só vantagens…
Mais tarde, livres de encargos de toda a ordem, ainda sobra tanto tempo e amor, para dar a quem dele precisa.
O Voluntariado é a resposta para todos serem felizes.
Para os mais jovens, descobrirem o caminho do sucesso, a todos os níveis .
A solução para um envelhecer saudável. Alegre e benfazejo.
A sensação de realização plena, para os de meia idade.
Não deixe de dar a si próprio, essa oportunidade tão simples e tão valiosa.
Goste de si, aprendendo a escutar os seus anseios mais íntimos. A escutar os outros.
Isso faz de si um ser de um grandeza tal, que nem os reis e os príncipes aí chegarão, se não servirem o Povo, nesse espírito de verdadeira realeza.
Lady Di descobriu esse segredo. Recorda-se dos seus voluntariados?
Já Isabel de Aragão curando chagas, distribuindo pão, actuando em favor de mulheres carenciadas, amou e protegeu quem disso precisava, há oitocentos anos.
E… ainda hoje sentimos esse perfume …
A compaixão. O amor incondicional é sem limites. Não conhece barreiras!
Um dos expoentes mais alto de voluntariado actual, foi a vida da irmã Teresa de Calcutá. Uma lição de amor de que ninguém duvida. Um exemplo a seguir. Um convite .Uma sugestão.
Não sofra mais. Não gaste mais dinheiro no psiquiatra. Não perca mais tempo precioso à mesa do café, a fazer comentários de ausentes, com amigas/os que nunca ajudam a crescer interiormente.
Reserve um bocadinho do seu tempo. Inscreva-se num voluntariado. Descubra o campo que mais lhe diz no seu íntimo. Entregue-se sem condições. Será a medida do que receberá.
Força! Vai ver como florescem nas suas mãos, rosas perfumadas Frutificam todos os dias da sua vida. Em sua alma brota a alegria. A saúde, o bem – estar, que outra coisa nunca lhe poderá proporcionar.
Experimente. Passe o testemunho.
O campo é muito vasto…É um apelo para todos nós.
Nos países em que os estados cuidam a valer das suas gentes, há sempre um espaço alargado para o voluntariado.
Doentes tão sós e tristes nos hospitais, para quem for mais corajoso…
Animais abandonados... e são tantos, coitadinhos.
Crianças que precisam quem lhe conte uma história. Mate a sua fome de amor.
Idosos que ficam nos ‘estaleiros’ e que dormem cabeceando. Desistem de viver. Ninguém fala com eles...
O sem abrigo, sabe-se lá bem por que razão ali foi parar...ao frio...à chuva..ao calor...à fome ... à solidão... à dor…
Os emigrantes um pouco perdidos em busca de um mundo melhor ...privados de tudo.
Os que nas prisões , sem esperança nem amor, nada aguardam da vida, revoltados e cogitando ódio e outras maldades…
Não acabará a lista de campos carecidos de voluntariado.
Não sufoque mais o seu coração.
Dê voz ao seu chamamento. Diga sim. Decida-se. Integre-se num grupo que rasgue caminhos de amor, todos os dias, ao nosso lado!
Não há barreira, nem preconceito para classe social. Nem idade. Nem empregados muito ocupados . Nem desempregados. Por mais ocupado que seja - aliás são os mais ocupados que têm sempre um tempinho para dar aos outros…
Há duas coisas que podemos partilhar: tempo e valores.
Isto prende-se com o ser e o ter.
Quem tem menos, é quem mais dá. Os que têm muito, não valorizam. Só quando perdem, vêem o quanto possuíam e não valorizavam.
Também os mais ocupados, são os mais disponíveis. Os mais atentos. Predispostos para viver com generosidade e abertura.
Programe sua vida com inteligência. Com bondade, se quer sentir-se bem consigo mesmo. Com Deus e com os Outros. Nisto tão simples, consiste a felicidade mais segura. Permanente. Este viver em ’estado de graça’ ampliado sem parar.
O voluntariado está incluído no programa de estar vivo com qualidade.
Se quer sugestões aí vão.
O GEEAK distribui todas as semanas, comida quente, de noite, aos sem SEM ABRIGO, nesta cidade.
Organiza, por mês, trinta cabazes com mercearia, fruta, carne, etc para famílias mais carenciadas. Reúne tudo o que pode, para todos os anos, enviar um contentor para África.
As Conferências de S.Vicente de Paula recebem e distribuiem alimentos e roupas a quem disso necessita.
A Associação Agir para defesa de Animais, está a recrutar voluntários para ajuda a Animais abandonados.
A Liga dos Amigos dos Hospitais está aí, para minorar o sofrimento dos doentes.
A Legião da Boa Vontade pede voluntários para fazer o bem a quem precisa.
Não é pelos frutos que nos conhecemos?
A consciência de fazermos parte de um todo, sabe bem que quando um sofre, o outro como se sente?
Quem é que não necessita de se sentir bem amado? Sentir-se em paz e bem consigo mesmo?
Programe hoje mesmo o seu VOLUNTARIADO, a sua nova contribuição para tornar o mundo mais amoroso! Pense nisso…
Boa sorte.


linmare@edicomail.net

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Eu?! Voto ou des-voto?


Eu?! Voto ou des-voto
(2.ºartg.º)



“As boas leis precisam de bons costumes. A lei sozinha não conserva a boa comunidade democrática e liberal. Precisa de ajuda daquele sentimento interior que é o senso do dever”
Norberto Bobbio
Já estamos todos muito empanturrados com debates, discursos, promessas, conversas a sério e a brincar, sobre eleições.
Não sou eu que vou abusar da paciência dos fiéis leitores, com mais palavreado.
Deixo apenas ideias avulsas, para nos darem o empurrão final, de modo a irmos mesmo votar Todos, o melhor que formos capazes.
Senão depois não nos podemos queixar, se a política corre menos bem…
Pode acontecer, mas nós cumprimos o tal dever cívico que se nos impõe.
Se não votar ou votar em branco … já sabe que VOTAR EM BRANCO, é dar força a quem está de momento no governo e nada mais do que isso.
Qual o seu contributo para que as situações mudem na sua terra, para si e para seus filhos, netos…vindouros?
Às vezes, a escolha fica menos fácil, mas vá lá, tente saber algo mais sobre os partidos e os seus projectos, as pessoas que o representam e vamos lá votar domingo, dia 27 de Setembro p.f.!
Ainda sobre esta temática.
O que é afinal o dever moral?
E a obrigação política e jurídica?
É Samuel Pufendorf que assim diz:
“O dever moral é interior. Um sentimento de obrigação interior em relação a nós mesmos, à nossa consciência.
A obrigação jurídica, política é exterior. Depende de uma autoridade externa.”
Acrescentaria ainda: Os deveres para com DEUS, para connosco mesmos ,distinguem-nos dos animais, que coitados não têm possibilidade de qualquer decisão ou escolha…
Já o não provocar prejuízo a outrém e reparar o dano causado, se inclui no dever jurídico.
Cícero, na Antiguidade , in Officciis, deu toda a atenção aos deveres.
A Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, aprovada em Assembleia Constituinte Francesa, em 26 de Agosto de 1789, fala dos fundamentos - natureza e limites da obrigação política.
Há obrigações políticas, obrigações jurídicas e obrigações morais.
A obrigação política não é dever moral, mas é de qualquer modo um dever.
Como se disse em epígrafe:
” …As boas leis precisam de bons costumes”
E nós hoje?
Não caiamos naquela, de alguém nos perguntar ou …responder:
-Então você não tem vergonha das suas acções?
E ouvir-se a resposta, em ar de desafio e até com alguma arrogância atrevida, ouvir-se:
- Claro que não tenho vergonha . E você que tem com isso?”
Lagarto! Lagarto! Que isso não aconteça por estes lados.
…………………………………………………………………………………………………….


Caímos sempre na necessidade de uma educação estruturada, ministrada por professores competentes, com o sentido de educadores, felizes por serem entendidos e compensados pelo seu alto papel na fundamentação de uma sociedade democrática, consciente, crítica, responsável e participativa. Que estas eleições nos ajudem nesta acção.
…………………………………………………………………………………………………………………
E pronto para quê mais palavras?
Antigamente Sofia Loren “dizia” , se não estou enganada:
“Pão. Amor e Fantasia”
Nós hoje queremos:
Pão. Trabalho. Saúde. Educação e Políticos Competentes e Honestos!
Político têm as suas responsabilidades e PRIVILÉGIOS de toda a espécie.
Ninguém é obrigado a candidatar-se, mas todos querem ser eleitos. Não se poupam a esforços. Uma verdadeira maratona!
Eles lá sabem o motivo….
Até são capazes de dizer, sem qualquer pudor ou vergonha, que são os melhores de todos os tempos…
Também NUNCA LHES FALTA o TRABALHO…


"Socrates só não está desempregado ,porque não é licenciado."


Para brincar , sem ofensa , só para sorrir, fica este registo irreverente dos jovens de Coimbra , num dos seus carros da Queima das Fitas p.p.!


…mas lembre-se:
TEM MESMO QUE IR VOTAR, no domingo , dia 27 de Setembro !
linmare@edicomail.net

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

As minhas viagens


Agora nem tanto, mas antes, gostava de todos os anos fazer uma grande viagem e conhecer um país novo.

Ao Canadá, USA e Brasil fui muitas vezes.
Não gosto dos países muito pobres, porque me aflige não poder fazer nada e ver tanta miséria.

Acho a velha Europa a minha casa .

Mais culta, mais segura , mais...tranquila.

A sua civilização vai melhor com a minha personalidade.

Embora o índio Tavauii, da Samoa na Indonésia, fale do Papalagui ( branco europeu)e diga aquelas coisas todas que nós sabemos das suas vivências, a verdade é que EUROPA é Europa...


Mas hoje, vou-lhes falar de um episódio que me aconteceu , da última vez que estive no CANADÀ ( 6 meses), ainda não há muito tempo.

Estava em Woodbridge , no Ontário, e um dia ia para a missa, ao domingo.

Ia à missa na Igreja dos italianos, um pouco longe do local onde morava.

Mas enfim, podia e gostava de andar e não havia perigo de andar sozinha.

A certa altura, ia pelo caminho e pensava para mim:

-Por que razão é que eu vou à missa?

E respondia para mim mesma:

- Vou para cultuar Deus , para agradecer e para renovar forças, na Eucaristia que para mim é muito importante, além de escutar atentamente a palavra de Deus que sempre nos diz qualquer coisa de pessoal, para depois meditarmos e mudar o que for necessário mudar.

De repente, mal tinha acabado de pensar estas coisas, um sapato rebentou sem possibilidade de o segurar no pé.

Pensei:

- Se volto para trás ( era longe ...) já não participo na Missa.

Ora eu ia aquele culto, não era para mostrar os sapatos e tinha mesmo que ir.

Peguei os dois sapatos na mão e fui mesmo descalça.

Fui pra o segundo lugar da frente, onde me sentava sempre , com os sapatos ao pé de mim ,mas descalça.

No momento da comunhão, perguntei-me de novo:

-Comungo ou não!?

Ora o meu respeito por Deus estava vivissimo e no meu coração , não estava no pé . E fui mesmo comungar .

Quando vinha a sair, um italiano deve-se ter apercebido do que aconteceu, porque me viu o sapato estragado na mão e disse-me simpatica e e latinamente:

- Não é por estar sem sapatos, que deixa de ser linda e simpática!

Sorri e agradeci.

Regressei descalça até casa ,mas cheia de alegria comigo mesma.

A coerência é algo que tento cultivar.

Dá segurança, acreditem!

Foi muito bom poder dizer ao meu Deus, que O amo acima de tudo e de todas as dificuldades, mesmo naquele mínimo gesto.

domingo, 13 de setembro de 2009

Ofereço-lhes Fernando Pessoa



A minha vida é a maior empresa do mundo...


Fernando Pessoa (Lisboa, 13 de junho de 1888 - Lisboa, 30 de novembro de 1935)


Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes,mas não me esqueço de que a minha vida é a maior empresa do mundo.E que posso evitar que ela vá a falência.Ser feliz é reconhecer que vale a pena viverapesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas etornar-se um autor da própria história.É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrarum oásis no recôndito da sua alma.É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.É saber falar de si mesmo.É ter coragem para ouvir um 'não'.É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.Pedras no caminho?Guardo todas, um dia vou construir um castelo...




Nota: As fotos são minhas , as palavras de F Pessoa, como já devem conhecer,mas hoje gostei deste texto que partilho




Ja tinha ouvido: qd uma porta se fecha , abre-se uma janela




Hoje ao meditar sobre alguem que gostava de ver mais perto, escutei dentro do meu coração:


.Por que insistes em ficar frente a uma porta que não se abre, se há tantas portas escancaradas à tua espera?


_ E depois também pode ser uma questão apenas de espera.


Vai em frente e põe os teus olhos numa estrela!




...é isso ..

sábado, 12 de setembro de 2009

Debate entre Socrates e Manuela Ferreira Leite


Segui atentamente este debate.


Acredito que cada um dos candidatos se manifesta na sua coerência mais funda, revelando aquilo que é no mais recôndito de si próprio.


Por mais teatral, estudado, ensaiado , previsto que se tenha sido antes de se estar em cena, há sempre algo que escapa e que se observa.

E todas as atitudes se revelam, se descobrem nos mínimos gestos, palavras, postura...

E aí podemos ver a pessoa que temos á nossa frente. Se ela nos dá garantia de cumprir promessas, de pôr os interesses do Povo acima de todas as outras conveniências.

Acredito que cada um se esforça para proceder de acordo com a sua essência, ao longo das suas realizações.
Mas agora vamos ver que tipo de pessoa à nossa frente:
Sera que uma modernidade e uma nova ética convém mais do que a segurança de uma postura alicerçada no trabalho contínuo, na seriedade de uma vida sem curvas , nem deslizes , nem equivocos?
É isso, essa identificação mais com um ou mais com outro, que depois serve para a influenciar as pessoas nos suas decisões e escolhas , enquanto votantes.
Com qual das vidas, das posturas, das atitudes nos identificamos?
Preferimos as aparências agradáveis e as posturas um bocadinho mais à esquerda, um bocadinho mais à direita, tanto faz... conforme as conveniências e os interesses pessoais ou o mesmo o interesse do momento, ou tentamos ser rigorosos , embora compreeensíveis e aceitando os outros nas diferenças, mas não transigindo no essencial?
Na verdade?
No imutável?
Aqui está a grande, grande, grande diferença.
Aqui a questão fundamental.
Quem é menos rigoroso ou quem morre pela sua palavra. ..que se calhar para muitos até isto já é tolice, qual dos dois nos dá mais garantia?
E a tal coisa: antigamente, perguntava-se: então não tem vergoonha?
E a pessoas ficava "encavacada".
Hoje responde-se com um grande descaramento, gozando ainda:
"Claro que não tenho vergonha e depois?"
É esta modernidade , esta nova ètica que...assusta um pouco.
Quanto a formações , também discutidas, ninguém é especialista e polivalente em todas as áreas, com a mesma profundidade.
Um senhor é engenheiro(?), pois sabe de engenharia .
Uma senhora é economista sabe mais de economia ( tendo claramente de se ir actualizando sempre!) .
Ela nunca reclama que sabe tudo de engenharia...

Mas o que é que mais convém à sociedade em geral?

Ao nosso País no momento actual?

Na conjuntura de hoje e de um próximo amanhã?
Observamos vários items e como se desenrola o encontro:
1 - o conteúdo do diálogo

2 - as estratégias dos discursos

3 -a personalidade, a maneira de estar de cada um deles.


Pois agradável à vista, a flexibilidade discursiva, a argumentação fácil , é certo que estamos habituados, em Sócrates.


Mais apagada, coerente, segura, autêntica, nos aparece Manuela Ferreira Leite.

Talvez mesmo ressalte uma certa inflexibilidade nesta Professora.


Socrates apoia-se na sua modernidade, optimismo, fluidez de discurso...mas o que se deixa no ar e se questiona, é se na realidade, os valores são eternos ou se por exemplo, a verdade pode ter vários rostos, se mais para um lado ou para o outro , conforme os ventos, as conveniências ...tanto faz...se isso é o que queremos , desde que que o fogo de vista seja fácil para os mais deslumbrados, menos atentos ou então com interesses implicados ...
Aqui é que entra a tal educação crítica e dos valores que os meios como a net, a tv . cinema, não podem fornecer, mas sim uma educação séria conduzida por educadores que conhecem cada um dos seus educandos ( a isto vamos voltar , sobre a importância da educaçao integral)
Será que isso dá garantia de seriedade numa coisa tão séria , como é o governo de uma Nação?
E quando o barco quase se está a afundar ? Que vale a conversa linda, a aparência agradãvel? O discurso aliciante?

Será que as conveniências são algo que se sobrepõem à verdade?

Será que essa atitude dá segurança aos governados?


Temos que ler de novo o meu blog anterior, que fala de eleições...

E depois, confiar e esperar o melhor, mas ter a certeza que somos representados por alguém fidedigno, capaz, honesto, inteligente e com uma imagem agradável e acessível, também é importante.
Mas sempre ouvi do Povo - voz do Povo , voz de Deus , de muitos anos de experiência -" AS APARÊNCIAS ILUDEM"

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

É bom ter uma paixão...ou mais do que uma será melhor ainda!







A vida vivivida sem paixão é insipida e sem interesse.



Temos que ter uma paixão!



Melhor , algumas paixões para não se ser obsecado.






Eu tenho várias, felizmente . O tempo voa. E nunca estou sem nada para fazer...ao contrário.



Mas desta vez , queria falar da paixão da leitura.



É uma coisa que nos transporta para lá da realidade ou nos faz penetrar no coraçao da realidade mais intensamente.



Aliás o Padre Antonio Vieira bem dizia: os livros são como o convívio com as pessoas. Á força de lidarmos com elas , eles, vamo-nos parecendo .



Ora a leitura é inesgotável. Depois , temos que saber que um livro é sempre o fruto do melhor, que alguém pode oferecer-nos.



Nele o autor se aprimora para dar o seu melhor e expressa directa ou inderatamente o seu sentir...o seu pensar ... a sua experiência.






Por isso o hábito da leitura começa muito cedo. Meus filhos liam os livros da formiguinha... e também aqueles livrinhos de pano para os mais pequeninos. tudo isso vai criando o amor pelos loivros.



Depois os filhos que vêem os pais ler por sistema, é certo que vão ser leitores interessados também.



Então nesta minha paixão , quero aconselhar-lhes um livro de Sandor Marai , AS VELAS ARDEM ATÈ AO FIM ... vão adorar , estou certa. Depois me dirão.






quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Hoje quero e não quero falar dos filhos...


Ainda os meus filhos não existiam e eu já os amava.


Acho que me casei e sofri muito (...) ,porque amava demais os meus filhos.


Dei todo o meu esforço. A minha vida. por eles!


Não esperava nada em especial,mas confesso que não pensava estar tão separada deles, hoje...

Meus pais sempre viveram comigo e nunca pensei que pudesse ser diferente.

A minha vida, a minha casa, tinha sempre um espaço para eles.

Era mesmo assim. Nunca poderia ser de outra maneira.

Nunca pensei abandoná-los na mão de outrém . Num lar ? Nunca!

Quando eram velhinhos e que precisavam mais de mim, pelo contrário, sentia que era quando eles mais precisavam de mim.
Deus me livre de os abandonar!

Nunca teria mais um momento de sossego na minha vida! Meus Filhos viram tudo isso...

Hoje, meu Deus...como tudo é diferente...nem posso falar nisso...porque diria de mais.
Não sou só eu, mas todas as pessoas , falam das suas experiências de abandono, de de dor ...pelos seus filhos ...desprendimento e quase ingratidão.

Mas...pensando bem, eles mesmo assim ajudam-nos a crescer.
A aprender a amar , sem esperar nada em troca.

Ensinam-nos o desprendimento...

É verdade que é um bocado à força e com muita dor ,mas esta coisa de ser mãe tem o seu aprendizado e eu agradeço a Deus por me ter deixado ser mãe.

Foi a coisa mais linda da minha vida.

Hoje, sinto -me muito só,mas certamente é uma fase de aprendizagem na vida.

Nascemos sós e morrremos sós.

O amor e a dor , ninguém pode viver por nós.

Temos que chegar ao desprendimento e ao desapego final, para onde todos caminhamos.

Kahlil Gibran tem um poema muito lindo que diz isso mesmo: Os filhos vem através de nós ,mas não nos pertencem.

Então não vale a pena queixarmo-nos.

Aliás conforme nos fizerem , assim eles vão colher o que semearem , embora nós não tenhamos o que semeámos,mas a vida é assim...

Agradeço muito a Deus por me ter dado a oportunidade de ser Mãe .
Nunca matei nenhum filho , nem nunca provoquei nenhum aborto e isso dá-me imensa paz!











1

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Eleições , outra vez....



EU?!
Voto ou des- voto?
( art.º1)

“A lei sozinha não conserva uma boa comunidade democrática e liberal. Precisa de ajuda daquele sentimento interior que é o senso do dever.”
M.Viroli

Reflexão. Desmontar o sistema, viagem à raiz da questão, de modo a atingirmos o significado , alcance, consequências, presenças, abstenções, virtude civil, direitos e deveres do Estado e dos cidadãos, significado da existência humana…Algo que se prende com eleições, votos, democracia, participação de todos nós, no processo de governo do país.
Conceitos de Democracia, voto, eleição, eleitores serão abordados.
Veremos ainda atitudes possíveis dos cidadãos, analisando as suas causas e consequências.
Identificar a raiz da questões?
… manipulação do voto…
… ignorância política . Consequências…
…razão por que outros decidem por nós…
...necessidade da busca de conhecimento…

… necessidade de aprender lição e nunca desistir…
A matéria é basta. Tocaremos , ao de leve, alguns aspectos.
Algo que leve os cidadãos, à participação lúcida, entusiasta, certos que seu voto, tem um alcance incalculável. Imprescindível ao próprio e à comunidade.
Cada cidadão não deve esperar nada de ninguém, mas buscar tudo a partir do seu senso de responsabilidade.
Parar. Buscar. Perceber o que se esconde por detrás das palavras dos políticos. Do mundo circundante que acontece diariamente.
Depois, decidir serenamente, certos que está fazendo o seu melhor , para si e seus compatriotas. E avançar!
Sentir-se responsável pelo que acontece na sua Terra . Não se demitir. Não acusar este. Aquele.
Todos somos responsáveis, querido leitor, não tenha dúvidas
……………………………………………………………………………………………………
O que é DEMOCRACIA?
É um sistema de governo no qual todos os cidadãos participam, com igualdade de direitos, em todas as decisões, discussões, na aplicação das regras políticas, económicas e sociais.
O cidadão pode intervir directamente ou através de representantes eleitos pelo Povo.
A Democracia directa exerce-se através de plebiscitos ou referendos.
A Democracia representativa, existente na maioria dos países ocidentais, onde nos incluímos também, como será?
* Os cidadãos são iguais em direitos, sem discriminação de raça, religião, língua, condição social , etc.
* Baseia-se no sufrágio universal, na igualdade perante a lei, reconhecimento e inviolabilidade dos direitos individuais, direito à livre associação e reunião, liberdade de imprensa e de palavra, bem como da aceitação da vontade maioritária e do respeito pela opinião das minorias.
Os cidadãos exercem a sua autoridade, através de membros representativos por si eleitos – deputados, presidente da república –
nos parlamentos, assembleias ou câmaras, onde estes decidem as directrizes e a política .
A Democracia popular designa as democracias socialistas em fase de transição.
A Democracia cristã orienta-se pela conciliação entre os imperativos da fé , da moral cristã e os princípios democráticos.
Tenta o ideal da Democracia integrar a igualdade política e económica, a fim de superar as diferenças de classe imperativas do desenvolvimento social.
E Eleição, como a entendemos?
* Um acto que consiste na escolha, por votação livre, de alguém para determinado cargo público. Nos regimes democráticos, a votação acontece por aclamação ou voto secreto em urnas, como é este nosso caso.
Na Eleição directa, a escolha da personagem é feita directamente pelo eleitor.
Na Eleição indirecta, os eleitores escolhem outros, como seus mandatários para que elejam os seus representantes.
Na Grécia e Roma antigas, já se realizavam eleições. O direito de voto era restrito. Apenas votavam os indivíduos com direitos de cidadania.
Na Idade Média, elegiam-se os representante municipais.
Com a revolução francesa, a prática eleitoral foi se estendendo a vários países.
Em Portugal, a 1.ª lei eleitoral foi promulgada em 1834.
E agora quem é Eleitor?
* Todo o indivíduo que preenche os requisitos legais para poder votar ou eleger alguém para cargos electivos.
Quem tem esse direito, deve e tem mesmo de exercê-lo.
O voto é um dever cívico. Escolher em consciência os governantes que representam as melhores propostas, relativamente às várias esferas sociais e individuais , é imperioso.
Veja este recado…
Bertold Brecht (1898-1956), in O Analfabeto Político?

“NÃO VOTO. PORQUÊ?

O pior analfabeto
É o analfabeto político.
Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos.
Ele não sabe que o custo da vida,
O preço do feijão, do peixe, da farinha, da renda de casa, do calçado, e dos remédios
Dependem das decisões políticas!
O analfabeto político
É tão burro que se orgulha, empertiga o peito o peito, dizendo
Que odeia a política.
Não sabe o imbecil que,
Da sua ignorância política,
nasce a prostituta, o menor abandonado,
e o pior de todos os bandidos,
que é o político vigarista,
*pilantra, corrupto e lacaio
das empresas nacionais e multinacionais.”
………………………………………………………………………………………………………………
E saiba que…
O voto em branco , manifesta o descontentamento com a oferta política disponível e implica a aceitação do sistema vigente…


terça-feira, 8 de setembro de 2009

Eleições em 27 de setembro 09

Recomecei hoje com as minhas participações no Rádio Clube Português, 98.4.
Falei sobre eleições.
Tenciono escrever , na minha colaboração habitual no Jornal DESPERTAR, um artigo sobre esta temática.
Não porque pretenda ensinar nada a ninguém
- embora esta coisa de ter sido professora tantos anos, por vezes deixe traços de parecer que estamos a querer ensinar algo. Longe de mim. Sempre aprendo com toda a gente. Sempre que fui professora , tentei despertar o que estava latente dentro de cada estudante, para o a ajudar a descobrir tudo o que ele sabia e de que ainda não tinha tido consciência -
mas acho que é muito oportuno reflectir em conjunto, nestas realidades tão importantes nas nossas vidas e de nossos filhos e netos...
Em primeiro lugar , há que ter noções, aprofundar conceitos como DEMOCRACIA, VOTO, ELEIÇÃO .

Depois aperceber-se das técnicas de manipulação nesta coisa do voto.
Saber por que se vota neste e não naquele.

**Será por opinião própria?
**Manipulação eleitoral?
**Consciência?
**Impulso?
**Identidade colectiva?
**Ideologia?
O que motiva afinal, a escolha do nosso voto?
Muita gente, neste momento já está a estudar, elaborar estratégias para entender , como funciona o seu processo de decisão.

Na Psicologia Política desenvolvem-se estudos referentes aos diferentes processos de subjectivação para a escolha do voto.
O pensamento, a acção e as emoções humanas entram todas nestas análises sistematizadas, para alcançar objectivos bem definidos que a ignorância dos mais distraídos ou dos menos cultos, nem lhes passa pela cabeça.
Actos, conversas subliminares ou estratégias, estão na base da captação de votos.
Diz-se e muito bem , que os males da ignorância popular, estão em relação directa com a má qualidade da democracia vigente.
A qualidade da participação é insatisfatória?

Então a qualidade da democracia actual é insatisfatória.
...........................................................................................................................
A minha reflexão sobre esta temática vai continuar.
Hoje, já estou um pouco cansada .


Deixarei apenas a transcrição de Bertold Brecht (1898-1956), in Analfabeto político , num pequeno trecho que diz assim:

NAO VOTO. PORQUÊ?

O pior analfabeto
é o analfabeto político.
Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos.
Ele não sabe que o custo da vida ,
o preço do feijão, do peixe, da farinha, da renda da sua casa, dos sapatos e dos remédios dependem das decisões políticas.

O analfabeto político é tão burro que se orgulha
e estufa o peito dizendo
que odeia a política.

Não sabe o imbecil que,
da sua ignorância política,
nasce a prostituta, o menor abandonado,
o pior de todos os bandidos,
que é o político vigarista, pilantra ( como diriam nosso irmaos brasileiros), corrupto e lacaio
das empresas nacionais e multinacionais.

..Enfim, viver na Polis implica interessar-se por todo o mundo que nos rodeia sem apatia nem demissões.
O voto é mesmo um dever cívico.
que escolher em consciência, os governantes que apresentam as melhores propostas relativas à realidade social e individual.

..................................................................................................................................
.Votar em branco, implica a aceitação do sistema político vigente, mas descontentamento com a oferta política disponível.
Muita atenção a este comportamento...





segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Testemunho


Hoje surgiram muitas dificuldades no meu dia, mas não desisti de resolver os problemas.

Sabem porquê?

Porque no fundo da minha alma , a sua voz falava doce, serena e segura.

- Eu estou contigo!

-Eu porei sempre no teu caminho a pessoa certa para o que necessitas.

E garanto-vos, queridos amigos, que me lêem, que vêm ao meu blog , que isto é real .

É verdade!

O carro quase queimou e nem sei o que terá ...

Despesas, esperas ,etc,mas sei que o Senhor me guardou e não se incendiou o carro, embora quando parei , parecia um rio a água a correr de dentro do carro que fervia... Uma explosão o que aconteceu.

Fiquei sem jeito e pensar como havia de resolver tal situação.

Logo me apareceu uma senhora com a filha, que muito gentilmente falaram comigo, deram conselhos, partilharam as suas experiências.

Fui às minhas compras para deixar arrefecer o carro e as emoções.

Entretanto telefonei ao meu mecânico, como habitualmente me socorre sempre que preciso.

Mas, alguém meu conhecido, apareceu no momento certo e explicou que eu podia pedir à minha companhia de seguros que me rebocasse o carro , porque ele podia se queimar e ser muito pior.

Nunca me lembraria e nem nunca fiz isso. Sempre resolvia tudo sem recorrer ao seguro, que pago pontualmente e bastante.

Claro que o devia fazer ,mas não me lembrava.

Logo a seguir não tinha maneira de vir para casa , porque táxi e isso, eram longe eu não podia andar.

Logo encontrei de novo a tal senhora e duas filhas muito amorosas que prontificaram a ajudar-me.

Conhecemo-nos melhor e creio que sou amiga delas , porque além de as sentir irmãs , foram tão próximas que a gratidão mora já no meu coração , que vibra por elas.

Como tinham que ir para longe, agradeci e logo outra pessoa me trouxe a casa.

O Senhor do pronto socorro apareceu e falou-se com o mecânico.

Agora só falta darem -me carro amanhã, porque tenho compromissos e as minhas pernas...precisam de ajuda.

Mas deixo este testemunho de gratidão, pelas pessoas que Deus pôs no meu caminho .

Pela coragem que me deu e por ter a certeza, que Ele está em mim e que sempre me acompanha e me ajuda.

O Senhor é bom e compassivo.

Eis que está à porta e bate.

Se Lhe abrirmos a porta, Ele entra e ceará connosco, todos os dias da nossa vida!