quarta-feira, 6 de abril de 2011

A rua dos perfumes...


A rua dos perfumes!

O belo é uma manifestação de leis secretas da natureza, que, se não se revelassem a nós por meio do belo, permaneceriam eternamente ocultas. O homem deseja tantas coisas, e no entanto precisa de tão pouco. Autor: Goethe , Johann

Na minha rua perfumada, as glicínias, os goivos e os jasmins fazem dela um lugar mágico.

Anda um perfume no ar que encanta e prende os mais distraídos.

Das glicínias pendem cachos azuis, lilases…

O seu fino odor e beleza suave atraem zângãos que, vindos de mil paragens, misturam sons ao cantar dos passaritos repenicando nas árvores à volta, nos dias mais quentes de sol brilhante.

A glicínia vinda da Ásia Oriental e América do Norte, vivendo mais de cem anos, trepadeiras com mais de trinta metros , gosta dos locais ensolarados e estende-se hoje por todo o nosso país, para regalo dos nosso olhos e narizes…

No meu jardim quiseram elas também morar para alegrar minha alma. Agradeço-lhes e digo lhes que gosto delas…

A minha hera ficou mesmo triste, quando me viu tão entusiasmada com as florinhas brancas do jasmim…com as glicínias…

Ela que me protege, enfeita, dá sombra e me enche de diferentes verdes sempre viçosos e renovados, durante todo ano.

Dei-lhe toda a razão.

Segredei-lhe baixinho e disse-lhe que no meu coração, também havia um lugar muito especial para ela.

Ficou contente quando lhe comecei a falar do quanto me interessava por ela e das coisas que nela mais apreciava.

Sabia muito bem que lhe chamavam parasita, por que estragava as paredes, mas eu sei inclusivamente, que quando ela se enrola nas árvores, não se alimenta da sua seiva.

Felicitei-a pela sua longevidade, pois a Hera pode viver até 400 anos e tornar-se um tronco respeitável, como uma outra árvore qualquer.

Se é verdade que os seus frutos amadurecem na Primavera, é preciso muito cuidado, porque são tóxicos.

Aí, ela abanou a cabeça e confirmou preocupada.

As flores amarelo-esverdeadas rompem em Setembro-Outubro e são bem lindas, embora pequeninas…

Ficou feliz a minha Hera, quando lhe falei do quanto era apreciada pelas suas qualidades como analgésico, antiespasmódico e emenagogo.


Escutou sorrindo ainda, quando lhe disse que era muito apreciada em banhos e situações de bronquite, celulite, hipertensão, queimaduras, queimaduras solares, reumatismo, tosse convulsa, bronquite, edemas e até no tratamento do cabelo…

Riu-se a minha Hera, quando

lhe falei da tradição que conta como ela escondia e protegia sob a sua folhagem, duendes e fadas.

Sabia ainda que ela protegia as casas de espíritos malignos e era tida como símbolo de fidelidade e longevidade.

Tal como a vinha, estava a Hera ligada ao deus Baco.

As suas folhas dum verde brilhante, dão um toque insubstituível nos arranjos de momentos especiais, em que ela entra sempre como convidada.

As minhas flores são muito variadas.

Sabem bem quanto as amo.

Trato-as com esmero e carinho…

Estou lhes grata pela alegria que me dão.

As orquídeas desfazem-se em flores para me compensar.

Os nossos segredos, só nós os conhecemos…

linmare@edicomail.net http://lucinda-umaponteparaoinfinito.blogspot.com