terça-feira, 8 de setembro de 2009

Eleições em 27 de setembro 09

Recomecei hoje com as minhas participações no Rádio Clube Português, 98.4.
Falei sobre eleições.
Tenciono escrever , na minha colaboração habitual no Jornal DESPERTAR, um artigo sobre esta temática.
Não porque pretenda ensinar nada a ninguém
- embora esta coisa de ter sido professora tantos anos, por vezes deixe traços de parecer que estamos a querer ensinar algo. Longe de mim. Sempre aprendo com toda a gente. Sempre que fui professora , tentei despertar o que estava latente dentro de cada estudante, para o a ajudar a descobrir tudo o que ele sabia e de que ainda não tinha tido consciência -
mas acho que é muito oportuno reflectir em conjunto, nestas realidades tão importantes nas nossas vidas e de nossos filhos e netos...
Em primeiro lugar , há que ter noções, aprofundar conceitos como DEMOCRACIA, VOTO, ELEIÇÃO .

Depois aperceber-se das técnicas de manipulação nesta coisa do voto.
Saber por que se vota neste e não naquele.

**Será por opinião própria?
**Manipulação eleitoral?
**Consciência?
**Impulso?
**Identidade colectiva?
**Ideologia?
O que motiva afinal, a escolha do nosso voto?
Muita gente, neste momento já está a estudar, elaborar estratégias para entender , como funciona o seu processo de decisão.

Na Psicologia Política desenvolvem-se estudos referentes aos diferentes processos de subjectivação para a escolha do voto.
O pensamento, a acção e as emoções humanas entram todas nestas análises sistematizadas, para alcançar objectivos bem definidos que a ignorância dos mais distraídos ou dos menos cultos, nem lhes passa pela cabeça.
Actos, conversas subliminares ou estratégias, estão na base da captação de votos.
Diz-se e muito bem , que os males da ignorância popular, estão em relação directa com a má qualidade da democracia vigente.
A qualidade da participação é insatisfatória?

Então a qualidade da democracia actual é insatisfatória.
...........................................................................................................................
A minha reflexão sobre esta temática vai continuar.
Hoje, já estou um pouco cansada .


Deixarei apenas a transcrição de Bertold Brecht (1898-1956), in Analfabeto político , num pequeno trecho que diz assim:

NAO VOTO. PORQUÊ?

O pior analfabeto
é o analfabeto político.
Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos.
Ele não sabe que o custo da vida ,
o preço do feijão, do peixe, da farinha, da renda da sua casa, dos sapatos e dos remédios dependem das decisões políticas.

O analfabeto político é tão burro que se orgulha
e estufa o peito dizendo
que odeia a política.

Não sabe o imbecil que,
da sua ignorância política,
nasce a prostituta, o menor abandonado,
o pior de todos os bandidos,
que é o político vigarista, pilantra ( como diriam nosso irmaos brasileiros), corrupto e lacaio
das empresas nacionais e multinacionais.

..Enfim, viver na Polis implica interessar-se por todo o mundo que nos rodeia sem apatia nem demissões.
O voto é mesmo um dever cívico.
que escolher em consciência, os governantes que apresentam as melhores propostas relativas à realidade social e individual.

..................................................................................................................................
.Votar em branco, implica a aceitação do sistema político vigente, mas descontentamento com a oferta política disponível.
Muita atenção a este comportamento...