quarta-feira, 1 de julho de 2009


Este gatinho foi um dos que foi 'morar no céu.'.....

No mês de Agosto do ano passado e já este ano, a minha vizinha da frente, que odeia animais ( assim parece , pq até trata mal e insulta quem defende essas criaturas de Deus que não sabem nem se podem defender...) mandou chamar as gaiolas do gatil da CMC que matou mais de 30 gatinhos . Eram todos os que apareciam..Debaixo quase da minha janela. Fiquei doente...porque era algo bárbaro mesmo. Houve alturas que os animais no auge do calor, entestados ao sol , ficavam fechados na gaiola um fim de semana sem comer nem beber, antes de serem mortos (...). Dp telefonei para o fa gatil e mobilizei quem pude e entao ao fim de semana deixou de estar a gaiola assassina.... Não houve pessao a quem eu nao recorresse para parar isto, pq se as pessoas estão incomodadas com os animais , tb há quem
fique incomodado com as barbaridades que se fazem aos animais e pelo que sei somos todos cidadãos que não gostam de ser incomodados. Eu fiquei doente. Ainda hoje quando pára uma carrinha em frente, parece que é o mesmo som da carrinha do canil...´
Enfim poderiam esterilizar os animais e manter a colónia de gatos. Depois vão espalhar raticida e outros químicos agressivos , pq os ratos vão proliferar?
E quem é agressivo tenm tds os direitos defendidos e quem não gosta e sofre por ver os naimais mal tratados é 'esquisistio'? Mt sensível? - como ousam dizer...
Anda tudo ao conrário. Ainda não perceberam que tantoos animais como as plantas têm o mesmo direito a viver neste Planeta como nós os humanos que tudo recebemos e pouco agradecemos e repeitamos...Custa mt viver no meio da ´barbárie...desculpem o desabafo..

Um poema para marcar presença



Poema intitulado:
O MEU CORPO TRANSPARENTE



No meu corpo de vidro transparente
Existe um jardim
De flores mimosas…perfumadas.
Sentado no banco do meu coração
O meu Amor voa de braços estendidos
Nos meus braços em forma de asas.
Depois vai de mansinho espreitar pela janela dos meus olhos.
Quando nos quedamos a olhar o mundo
Miramo-nos fundo
E tudo à nossa volta
São botões de rosa abrindo!
Quando os meus lábios se abrem num sorriso
Ele queima - me a boca com beijos
De fogo
E das nossas bocas solta-se um rio de mel
Onde as abelhas penduradas
fazem ninhos de amor
e grávidas de perfume
vão fecundar as flores que se abrem ao Sol.
Todos os dias ao alvorecer
Me espreguiço no peito do meu Amor!
Ele conhece os milímetros do meu corpo transparente
Porque eu sou a sua casa e ele mora quentinho
Dentro de mim.
Gosto de o ver feliz como uma criança
Espreitando os grilos e os ralos
Que se escondem pela noite sem fim na relva dos meus cabelos negros.
Já combinámos o meu Amor e eu
Vamos construir uma cidade dentro de mim,
Porque o nosso amor floriu para muita gente
E hoje somos um verdadeiro jardim.