quarta-feira, 22 de março de 2017

Os números e as letras

Os números e as letras 
 imgs net


  "Um homem pode o que sabe”Anónimo.
 

No 1.º ano do Liceu, contactei com diferentes matérias. Sentia-me fascinada com tanta novidade.

Se a Astronomia, desvendando segredos sobre os  astros me seduzia, a Botânica e os segredos das plantas, encantavam-me. 
A Química era outra paixão.
 A História, uma aventura (Derrotas. Vitórias. Conquistas), vivida por Reis e Rainhas de verdade, ia alargando horizontes. A Geografia, um convite a muitas das viagens, algumas das quais, consegui realizar.
Conhecer o corpo humano no seu funcionamento, que emoção!
 A Zoologia e a Mineralogia cheias de mistérios. A Geometria, Matemática alargando o pensamento abstracto, era outro amor não menos real. 

Era o bichinho do Conhecimento,  que fará parte de mim até ao fim…

Quando, no exercício do auto-conhecimento, descobri a Numerologia, quis descobrir os seus fundamentos.
 Como nascera...
 Qual a sua função e alcance...

 Além da Radiostesia, Quirologia, entre outras áreas que me chamaram a atenção, esta verdadeiramente cativou-me, pela sua evidência na minha vida.

Livros e livros destas áreas fazem parte da minha Biblioteca, há anos. Gosto e muito estudo. Cursos. Reflexão. Prática, têm-me feito sentir e perceber, como sabemos tão pouco do mundo. Das pessoas que nos rodeiam.

 Apenas afloramos aparências. Máscaras, antes de mergulharmos, pela Numerologia, no iceberg submerso do ser humano.

Inicialmente, apenas levada pelo raciocínio lógico ocidental, comecei por duvidar. Sorrir. Depois fui obrigada a aceitar, constatando o seu valor. Evidência.

 Com algum espanto, observava que aquela era a realidade mais pura, ali mesmo à minha frente!

Como poderiam enganar-se homens tão sábios, que nos precederam há tantos séculos, ao estudarem os números (as letras também se convertem em números. Aliás, os Latinos. Gregos e Hebreus utilizavam o alfabeto para contar) , pilares-base da nossa civilização?

Caldeus. Egípcios. Hebreus. Chineses. Hindus. Latinos. Gregos, apoiados nos números, construíram Templos. Catedrais. Pirâmides, tocando o divino.

Alquimistas. Pedreiros. Arquitectos utilizaram o número de ouro, sob o princípio da divina proporção, exprimindo assim o equilíbrio entre a Beleza. O Saber e o Poder.

Foram obrigados a concluir que os números exprimem forças e ideias!

No séc. VI a. c. , já Pitágoras dizia que “Tudo se ordena segundo números”, pois o acaso não existe! Correspondências entre a Filosofia. A Música e a Aritmética eram reais.

Os doutores judeus estudam o mistério dos números, na Cabala. Os números “revelam o sentido escondido da Bíblia, código secreto dado aos homens pelo próprio Deus”.

No início do séc. XX, no Ocidente, a Numerologia, como estudo de personalidade. Temperamento, irrompe com força!

Sobretudo no Canadá. Brasil. USA. Austrália. Grão-Bretanha. Caraíbas e vários países da Europa, tem um papel importante, no estudo do auto-conhecimento. Compatibilidades. Personalidade, de quem nos rodeia. Empresas. Casamentos. Associações. Relações. Orientação profissional. Estudo da influência dos números na nossa vida quotidiana. Ciclos de vida e caminho de vida, o que faz toda a diferença na nossa evolução.

Baseia-se nas duas correntes maiores: a Cabala Hebraica (corrente mística fundada sobre 22 letras e 10 números de base) e a Escola Pitagórica (com o número de ouro e as suas aplicações na Música e na Arquitectura).

No fundo, a razão e o valor da grande expansão da Numerologia, depende de quem é arguto. Determinado. Gosta de alcançar os seus objectivos com precisão. Quer ser consciente das suas forças e fraquezas a trabalhar, a fim de  se tornar um vencedor e por isso recorre a estes estudos.

Descobre que pode sair do labirinto, com uma bússola exacta. Rápida sempre à mão, a Numerologia!

Passa a compreender melhor, o mundo em que vive.

Acessa a conclusões globais. Rápidas. Preciosas. Certeiras. Adequadas ao sucesso e à felicidade. É de grande utilidade, tal como no estudo da Psicologia, mas neste caso, ao fim de muito tempo, conforme eu própria constatei, quer pelo estudo, quer pela aplicação.
.................................................................................................
Quando tiver a sua Carta Numerológica, vai certificar-se de tudo o que lhe digo.

A mudança e a diferença que podem fazer na sua vida e no seu despertar, se assim o almeja, são fantásticas.
Isto é válido para toda a gente.

Já fiz mais de mil e tal cartas. 
Guardo a gratidão e os testemunhos de quem beneficiou deste estudo.
"O começo é a metade do todo…Não basta fazer coisas boas - é preciso fazê-las bem” anónimo"
 Comece já!
(ladyvalleflor@gmail.com) ….Lucinda Ferreira 22.3.17


sábado, 18 de março de 2017

Tudo virado de pernas para o ar…

Textos e pretextos



 Tudo virado de pernas para o ar… 

img net

As pessoas felizes lembram o passado com gratidão, alegram-se com o presente e encaram o futuro sem medo.Epicuro




·      Temos dentro de nós um íman, atraindo tudo o que precisamos para evoluir.

·      Perceber a alquimia da vida, é agradecer a quem nos obriga a aflorar o bem e a dor antiga, que carregamos, e que precisamos descartar, ao ter consciência dela!

·      Alguém o elogia publicamente de algo lindo. Valioso. Diferente. Positivo, que o caracteriza. Embora nunca tivesse pensado nisso, soube-lhe bem.

AGRADEÇA! A gratidão é a virtude das almas nobres.Esopo

·      Em contrapartida, alguém se apressa com a lupa da inveja. Denigre. Irrita-se, porque não suporta quem o suplanta. Procura encontrar erros na forma de quem se expressa, desvalorizando a pessoa, a fim de invalidar as suas afirmações, que o incomodaram.


.Agradeça!

·      Antes de mais, não fique chocado. Os garotos, só atiram pedras à árvore carregada de frutos.

·      Entretanto entra dentro de si. Observe simplesmente o desconforto que isso lhe valeu, inicialmente.

·      De repente, fazendo luz no espírito. Apelando ao  interior. Ao  “Eu Superior”. Fechando os olhos e entrando em conexão consigo.

·      Lembra-se que tem um íman no seu peito, que atrai pessoas. Situações, quando isso é necessário para evoluir.

·      Percebe, que o seu propósito de vida primeiro, é a purificação de todos os atributos feios, do seu ego: raiva. Inveja. Julgamento. Ciúme. Apego. Orgulho. Vitimização e todo aquele rol de coisas, que tem que mudar em cada momento, pois pode nem haver amanhã…

·      Depois dessa tarefa com o aperfeiçoamento do Ego, vêm de imediato os relacionamentos com os outros: a família. Os vizinhos. Os colegas. Colaboradores. Enfim, todos os que cruza no seu caminho.

·      Esse é o laboratório, onde afloram as emoções inadiáveis para serem processadas. Resolvidas.

·      É nesta altura que percebe o significado. O papel daquela crítica. Desse desencontro menos confortável.

·      Aquele incómodo antigo, escondido no subconsciente, estava à espera de oportunidade para ser resolvido conscientemente. Saltou!

E a gratidão se renova. Aumenta cada vez mais e mais, em cada segundo da nossa existência, por estas oportunidades.

·       A GRATIDÃO muda a química do seu ser. As moléculas da sua emoção laboram agora a seu favor.

·       A endorfina, o hormónio do prazer, e do bem estar,  é um dos neurotransmissores mais estudados nos últimos anos pelos neurocientistas, oferece agora benefícios ao seu corpo humano (...), no dia a dia,quando se purifica. Se entrega conscientemente e com GRATIDÃO a tudo e a todos, a uma mudança de vida!

·        Empenhado na transformação do seu antigo Ego egoísta. Materialista. Vitimizado. Maldizente. Ganancioso… todos os atributos e comportamentos indesejáveis.

·        Nos relacionamentos, purificando. Professando emoções castrantes. Agressivas. Negativas, bem antigas, que agora o deixam liberto e grato, tudo muda para si e para o mundo em que se insere.

·        Não podemos mudar os outros, mas podemos mudar a nós mesmos. Consequentemente o mundo se transforma à nossa volta, com repercussões até ao infinito.

·      Assim temos que bendizer. Agradecer, a quem nos ajuda, embora com desconforto.

·      Se serve para libertar de mais um peso, depois de processado, deixa de magoar, só podia ser isso que se precisava. Temos que agradecer, sem parar!

·      Isto esclarece, como não há mais lugar para a maledicência. Murmuração. Crítica, a quem quer que possa  molestar nos…

·      Vire tudo de pernas para o ar e…SEJA FELIZ, pois outros o seguirão!

E lembre-se sempre: “A gratidão é um fruto de grande cultura; não se encontra entre gente vulgar”.Samuel Johnson

Lucinda Ferreira 
Coimbra, 18 de Março de 2017


 

terça-feira, 7 de março de 2017

Escolhas



Escolhas 

imgs net



Quando a minha escolha é consciente, nenhuma repercussão me assusta. Quando não é, qualquer comentário me balança. José Eustáquio



Estar no presente, no aqui e no agora, amplia a nossa força, a todos os níveis. Faz com que nos sintamos mais seguros.
(Escute Simone de Beauvoir: “O presente não é um passado em potência, ele é o momento da escolha e da ação”. )


È nesta frequência, que as nossas ESCOLHAS são autênticas.

Escolher com a essência. Autenticidade daquilo que somos, no âmago, liberta grande energia.
Com uma força inconfundível, escolhemos pelo que somos.

Por esta razão, nada há que abale quem escolhe pela luz que carrega em si.

Com um entusiasmo avassalador, vindo das nossas profundezas, nada pode desmobilizar ou abalar, quem escolhe com responsabilidade. Com alegria. Com aquilo que é, envolvendo-se em absoluto.

A auto-estima sai reforçada. Gera-se mais e mais energia para novas escolhas, num exercício sagrado. Sem fim. Com resultados até ao infinito.

O movimento ondulatório lançado em direcção ao Universo, sai cada vez mais reforçado.

Da escolha desinteressada e coerente, com quem se é, acciona-se o “motor” da vida. Liberta-se uma energia imparável, gerando mais e mais alegria e força de viver, com toda a veemência!

Como consequência, o Universo devolve uma potência cada vez maior. Abundante. Promissora. Segura. Cheia de abundância e novas conquistas, para o SER.

Esta reflexão curta, a caminho da autenticidade, incide na Escolha, pelo que se é, produzindo benefícios para o próprio e para o mundo em que vivemos.

Abundância. Coerência num Universo mais acolhedor, devolvendo eficácia. Paz. Bem estar, em cada momento, em que isso acontece.

Nunca se desculpe, pensando ou dizendo que não tem liberdade para escolher.
Isso é a opção prioritária da existência. Lute para alcançar essa consciência. Abandone velhos hábitos, ainda que mais cómodos materialmente. Mesmo que aparentemente no início, traga aparentes prejuízos materiais, bem depressa alcança a plenitude do ser, que diferente do ter, é infinitamente mais valiosa, arrastando consigo um estado de ser que antes não conhecera.

 Atento, perante a abertura da consciência,  verá que bem depressa a compensação lhe trará abastança, em todos os campos , coisa que antes nunca experimentara.

Escolha de acordo com quem é de verdade, respeitando-se, respeitando os outros, a Deus e a todo o Universo, surpresas começarão a bater à porta do seu coração!
Boas ESCOLHAS!
Atente em Marcel Proust: “Em amor é um erro falar-se de uma má escolha, uma vez que, havendo escolha, ela tem de ser sempre má.”
…e percebe a razão…

/ de Março 2017

Lucinda Ferreira

segunda-feira, 6 de março de 2017

ENCONTRO

    
ENCONTRO




 Ser feliz é encontrar força no perdão, esperanças nas batalhas, segurança no palco do medo, amor nos desencontros. É agradecer a Deus a cada minuto pelo milagre da vida. ― Fernando Pessoa


Ela era humilde. Discreta. Um farol para todos nós. Sobretudo para o meu Pai.
Tive a sorte de ter tido uma Mãe que era toda Amor!

Amava as flores. Os animais. As pessoas, fossem elas quem fossem. Não me lembro de alguma vez, ouvir a minha Mãe julgar quem quer que fosse. Criticar ou maldizer o que acontecesse de menos bom. Era uma pessoa encantada pela vida e com a vida!

Tinha um sentido estético apuradíssimo. Gostava muito quando ela enfeitava as jarras.
Cantava muito bem. Bordava ainda melhor, a “richelieu”. Era fiel às suas amigas de criança, a quem nunca esquecia de saudar no seu aniversário. De enviar algo bordado por ela. Elas também não a esqueciam. Aprendeu a ler sozinha. Depois ensinou as amigas a ler e a escrever.

Era órfã de pai e a minha Avó Jesuina morreu de parto. A sua vida fora bem acidentada. O amor não devia abundar para ela.
Mas Deus a cumulou de bênçãos. De dons. Encheu o seu coração de amor.
Fê-la especial!

Tinha uma relação de encantamento, com Deus. Escrupulosa no cumprimento dos seus deveres. Era no tempo em que só se podia comungar o Corpo de Jesus, após 24h de jejum, o que ela observava com rigor.

Enfim, o seu modo de amar é que me tocou e me toca ainda hoje.

O amor não tem a ver com o vigor físico.
("Para amar você bastou um olhar... Agora para esquecer, só mesmo se eu morrer.")

Quanto mais velhinha era, mais o seu amor se manifestava para com todos. Meus Filhos eram o objecto primeiro do seu maior carinho. Ajudou me  a criá-los, já que eu tinha que trabalhar muito para a Família.

Revia-se, até às lágrimas, sempre que ouvia cantar, os meninos inesquecíveis para mim, do Coro dos Pequenos Cantores, que eram o meu terceiro Filho muito amado!

Hoje, o meu coração enche – se de alegria. Sinto como é bom amar! Mesmo que alguém não retribuía, não faz mal. Só o acto de amar transforma a nossa vida numa festa. Este estado vibratório muda tudo à nossa volta. Contagia os mais sensíveis. De repente, a paixão irrompe como um dique. Muitas pessoas estão tristes. Passado um pouco, retomam a alegria, como se lhes entrasse pelos poros, o amor que elas são, congelado nos seus peitos,  de repente se incendeia. A alma rejubila.

Todos temos essa possibilidade. È só aceder ao que mora no mais fundo do nosso ser. 

A Tribo começa a crescer…nem que seja do outro lado do Planeta.

Amar sem por quê. Se há por quê, também já não é amor.

Ele salta pelos olhos. Não suporta estar acorrentado. Não quer ser importante. Não quer dar nas vistas. Não quer possuir nada. Ele é ser, não é ter. Se encontrar eco, multiplica-se sem parar até ao infinito. Inunda o mundo inteiro.
É como um pedrinha que cai no lago, cuja ondulação só morre na margem.

Contenta-se com uma flor. Com a simplicidade de uma criança. Com um abraço sincero. Com o sorriso brilhante de uns olhos gastos pela idade. Não conhece tristeza, pois a Fonte o enche de certezas.
 A pessoa é só o canal desse amor, que ao passar enche de luz quem o alberga e todos os que estão à sua volta. È um autêntico paradoxo, pois enriquece pelo que dá.

Existir nessa condição permanentemente amorosa, é viver em estado de graça.
Quem ama, nunca envelhece! Nem que tenha cento e tal anos. Ama a vida. Sente gratidão por ela. Essa força mágica enfeita os dias de quem a sente. Semeia esperança. Paz. Bem-estar. Entusiasmo (= estar cheio de Deus).Saúde.

Levanto-me de manhã e vou ao meu jardim, ver se alguma flor abriu. Faço-lhe a minha declaração de amor. Com ternura, falo com ela. Beijo-a carinhosamente. Ela sorri-me. Fica mais linda…

Este é o meu testemunho.
Deixe o seu coração expressar o seu amor, quando isso for sincero e algo ou alguém o tocar.

Se não entenderem essa linguagem, não fique triste. Significa que esse irmão, irmã, ainda não transcendeu a materialidade, mas tenha esperança que assim como o calor derrete a neve, também a força do afecto, se no fundo desse ser, houver esse registo, a beleza que nele mora acaba por desabrochar.

Todo o amor semeado, cedo ou tarde florescerá, dizia me uma aluna, num postal que enviou e que ainda guardo.

È como se fôssemos numa corrida e passássemos a luz ao outro.

(Nunca é tarde, nunca é demais; Onde estou, onde estás; Meu amor vem me buscar. Chico Buarque )

Depois, será ele a passar ao próximo, não duvide.

Carisma é encantamento. È a felicidade que não cabe dentro de nós, a jorrar para os outros. Tem que se manifestar obrigatoriamente. Quer ver todos libertos. Felizes.

Seja bem-vindo. Entre na nossa Tribo!
Não é por raciocínios lógicos. É pelo coração que encontramos o nosso Caminho!
Deixo algo de um dos autores da minha eleição, Carlos Drummond de Andrade:
Carlos Drummond de Andrade

Nota: Sinto que no encontro, comemorando os 100 anos do nosso do Querido Jornal O DESPERTAR, o amor se soltou. Circulou entre todos os presentes! Foi lindo demais! Obrigada a todos os que fizeram destes momentos, um encontro memorável.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Quem é que cuida do seu Templo?

 Textos e pretextos


Quem é que cuida do seu Templo?
img net


Pitágoras



Chegou de mansinho.
Bateu à porta do coração, um pouco timidamente.
Stressado, nem deu pela presença daquele amigo tão dedicado e silencioso.
Mas ele não desistiu. Insistiu mais uma vez. Não queria usar o sinal habitual que assusta e irrita…
Como por mais que insistisse, ninguém o ouvia, teve que redobrar. Aumentar os sinais. A dor, como alerta.


Aí, o seu dono assustado. Irritado. Febril, recorreu ao hospital. Ao médico, que tentou silenciar os sintomas, com uma redobrada agressão, administrando químicos que iam desorientando o corpo do paciente visitante, que só reconhecia as coisas naturais e não outras substâncias, que naturalmente criariam outros desequilíbrios.
A agressividade foi subindo de tom, até que foi aconselhada, uma cirurgia. O técnico esfregava as mãos. Cortar, era o que ele mais gostava.

Por seu lado, o paciente torcendo-se com dores, esperava o dia, em que tudo podia acontecer! Poderia ficar muito bem, ou até perder a vida… Uma cirurgia é sempre uma aposta com duas saídas possíveis.

Havia contudo, quem sentisse que cortar, era a maior agressão que o homem podia ter inventado, ignorando as verdades mais profundas. Antigas, no que concerne à vida humana!

 O homem tem o poder de mudar tudo na sua vida, dada a intensa interacção entre a mente e o corpo. Entre o corpo e a mente.
Mais. A dor é um aviso amoroso do corpo, para dizer que algo está errado no pensamento. No comportamento humano, que interage nas células, criando o desequilibro. A doença.

Por outro lado, quem provoca a doença, também, ao ter consciência desse facto, pode aprender a reverter esse fenómeno.

Assim sendo, ao despertar para o respeito pelo corpo, que tem que se aprender a escutar os seus sinais, pode e deve mudar muita coisa na sua vida…

A dor é sempre a exasperação de um estado avançado de abuso do corpo.
As dores e as doenças falam do nosso modo de pensar. De agir. De julgar ou apreciar os outros. Da valorização da vida. Do prazer. Da gratidão, com que esta é acolhida ou não.

Não existe hereditariedade no que respeita a doenças. Sabe-se agora, que é a adopção dos mesmos modos de pensar e de agir dos parentes, que naturalmente causa as mesmas agressões no corpo, resultando nas mesmas as doenças. No entanto, se perceber este mecanismo simples, pode mudar o indesejável.

A chave para tudo isto, é o despertar A consciência do nosso corpo e da atitude correcta a ter com ele, no que diz respeito a hábitos saudáveis. Alimentação correcta (Não alimentos processados. Coca cola e refrigerantes. Açúcar. Gorduras. Álcool em excesso…. Hábitos de descanso e de tudo aquilo que você muito bem sabe, que tem que respeitar…). Tudo isto faz a diferença de uma nova humanidade com saúde.

Na escuta diária do corpo, feita com muito amor, ele diz nos no silêncio do nosso coração, o que temos que fazer e não fazer, para mudar a vida! Para ser saudável. Feliz.

Afinal não é através do corpo que abraçamos? Saboreamos a boa comida com o corpo? Cheiramos. Inebriamo-nos com as flores que abrem para todos nós, com o nosso corpo…E todas as outras funções conhecidas.

Então, na realidade, ninguém conhece tão bem ou melhor que você, o seu corpo! Ele é o TEMPLO do seu espírito.

De que é que está à espera, para o reverenciar? Dialogar com ele? Estabelecer uma aliança sólida, com o seu melhor amigo, que permite que esteja vivo?

Amar o seu corpo é a maneira mais correcta de manter a saúde e ser feliz!

Não perca mais tempo, se gosta de estar vivo. Ser saudável.

 C.ª 7.2.17 Lucinda Ferreira                                             img net


segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Saia uma Rapidinha...Culpa. Dependência.


Saia uma Rapidinha…Culpa. Dependência. 

i
 imgs net



Antidepressivos tratam a dor depressão, mas não curam o sentimento de culpa e nem tratam a angústia da solidão.Augusto Cury
A raiva é um sentimento muito poderoso, mas é a culpa que nos destrói. Stefan Salvatore





·        A culpa é EGO.
 A pessoa que sente culpa, sente-se indispensável em tudo!

·        A Culpa “é a tentativa inconsciente do ser para se tornar poderoso e imprescindível”.

E quando é que existe a culpa?

·      A culpa surge quando fazemos uma coisa e pensamos que devíamos estar a fazer outra, dai o conflito permanente. O culpado sofre, mas… culpa os outros também.

·      Normalmente pensa:
se  eu sou obrigado a fazer. A cuidar do que não gosto, o outro também tem que ser responsabilizado...

·      A pessoa culpa-se pelo que devia ter feito. Pelo que fez. Por tudo que os outros precisam.
Já dizia Confúcio que o homem superior atribui a culpa a si próprio; o homem comum, aos outros…
( Enquanto Luigi Pirandello afirma “É próprio da natureza humana, lamentavelmente, sentir necessidade de culpar os outros dos nossos desastres e das nossas desventuras”).

·       Quem se sente culpado, dificilmente relaxa, nem deixa os outros relaxar. A culpa não deixa a pessoa viver. Respirar.

A culpa não deixa EVOLUIR!

O que fazer para se livrar da culpa?

·      Deixar de ser tão exigente consigo próprio.
·      Deixar de ser tão exigente com os outros.
·      Perceber que fazer tudo pelo outro, o impede de experimentar. Lutar, para solucionar os seus problemas. Levar a ajuda ao extremo, acaba por prejudicar o outro!
·      Perceber a perda de energia, quando se passa a vida a auto - culpabilizar-se, em vez de trabalhar o seu crescimento interior.

·      Conectar-se com o seu interior.
 Reflectir. 
Silenciar esta problemática, vai libertá-lo de um grande peso.

·      Vai passar a sentir a vida mais leve.
·      Escute mais o seu coração.

·      De qualquer modo, essa atitude de se sentir culpado, é uma forma de dependência cruel. Uma autêntica prisão.

·      A culpa é pesada. Feia. Faz as pessoas infelizes. Sofridas. Tensas. É para mandar embora bem depressa.

Escolhe viver no cárcere quem e culpa!

Fiquemos com esta dica importante:  “A culpa não está no sentimento, mas no consentimento”.São Bernardo

!6.Janeiro 17 Lucinda Ferreira