quarta-feira, 10 de maio de 2017

Páre! Escute! Olhe!

Textos e pretextos 


Páre! Escute! Olhe! 

 O momento certo para relaxar é precisamente quando não tem tempo. Sydney J. Harris 
 (imgens net)



Por pouco, não fiquei esmagada por ele. Já sofri, por causa dele, estragos de vária ordem.
Ataca sorrateiramente, sem pedir licença, mas a culpa é nossa…
Não escolhe idades. Já no ventre materno, faz as suas investidas, que se perpetuam e saem muito caras.


Provoca adições intermináveis. Fumo Bebida. Sexo. Trabalho. Compras. Fala. Fala sem sentido, empurrado pelo nada. Obriga a comer desalmadamente ou então deixa-se mesmo de comer.

Corremos todos, sem saber para onde, nem porquê, mas tudo continua a correr!

Veja se consegue descobrir a quem em refiro…

Será que ele o deixa dormir? Ou tem que recorrer à sua amiga droguinha?

Sabe a razão por que ele nos controla, sem conseguirmos fugir das suas terríveis garras?
Simplesmente, porque nos esquecemos quem somos.
Falta-nos uma consciência ligada a um campo quântico de inteligência!

Aqui reside a nossa maior beleza e encanto, que muitos desconhecem. Se possuir este conhecimento, acede a tudo que deseja ou necessita, com o simples clic de um pensamento, sem se cansar um pingo!

 Muitos já conseguiram esses “milagres”.

Quem se esquece de quem realmente é, ignorando a sua força interior, vive precariamente, em modo de sobrevivência.

No início, a humanidade para escapar ao ataque das feras, activava a fuga ou a defesa, reagindo ao ambiente exterior, através do nosso sistema de alarme. 

Hoje, as feras são diferentes, (dentro de nós na atitude), mas a ilusão continua a activar o nosso sistema de alarme…

Vive-se  desadaptado, estando sempre a fugir do perigo.
Não é a fera real, mas a agressividade imparável que criamos à nossa volta e sobretudo a dentro do peito, pela maneira como encaramos a vida, pois não sabemos quem somos!

Accionados por um simples pensamento, “privilégio” ou desgraça do homem, em comparação com os animais, lá chega o tal senhor...
.
Antecipamos ou revemos memórias, que nos causam o mesmo susto que uma grande fera!
  
Registos prejudiciais traduzidos em ansiedade (viver no futuro) ou em depressão (vivendo no passado), são o flagelo do nosso tempo. 

Puxamos sem parar, o gatilho do STRESS! Não contra um leão, mas contra uma ameaça imparável, real ou imaginária.

A tradução dessa impaciência dá-se no trânsito.
Na fúria contra o chefe. Contra o marido ou contra a esposa.
Contra a falta de dinheiro. Contra os amigos que se afastam com egoísmo.
Descobre-se. Inventa-se algo de negativo do passado ou do presente, verdadeiro ou ilusório, desencadeando raiva. Ódio. Ressentimento. Desespero. Tristeza. Frustração e sei lá que rosário complicado e...
Lá está o rei stress no comando!
(Mas..."Quando se está sob stress crônico, a vida se torna mais curta". Dean Ornish)
O pior é que se o animal desactiva este estado destruidor, logo que o perigo passa, o ser humano reforça-o a cada momento.

Ora como o STRESS altera a química do nosso corpo, desencadeando uma série de acções nocivas levando ao esgotamento, a doença surge irremediavelmente, por nossa culpa.

O sistema nervoso alerta para o perigo: o coração acelera (arritmia, tensão alta, etc), bombeando grandes quantidades de sangue para os membros, em detrimento do corpo que se desequilibra.

Surge dor de estômago e de cabeça. Insónia. Nervosismo incontrolável. As reacções ao STRESS variam. Nenhum corpo o aguenta, durante muito tempo sem mandar os seus sinais.

Por que razão é que surge o stress?
·      Mobilizamos constantemente a nossa energia apenas para o mundo exterior!
·      Vivemos apenas dos cinco sentidos, num estado materialista, esquecendo quem somos: um ser espiritual a fazer uma experiência na matéria!

O sistema digestivo. Endócrino e imunitário que comandam o nosso interior não conseguem compensar, por falta de energia, a renovação e a regeneração do corpo. E lá se cai no cancro. Sempre constipados ou naquele rol de doenças auto-imunes (artrite reumatóide, esclerose múltipla e cada doença pior que a outra…) e outras maleitas terríveis, agora ditas raras.´~

Revivemos situações traumáticas. Alimentamos ressentimentos. Julgamentos. Negatividade. Auto-agressões e maus pensamentos. É-se incapaz de perdoar, ignorando e bebendo o veneno do ódio, a contar que o outro morra…

Perde-se o equilíbrio químico, pois sabe-se que tudo o que se colhe e fabrica no pensamento, no neo córtex, passa ao límbico, sede das emoções e química que passarão ao cerebelo (na parte inferior o arquivo, subconsciente) onde se gera o nosso estado de ser, personalidade, cuja inconsciência deste funcionamento e anteconhecimento levam ao acumulo de mais stress…
“O stress deve ser uma força motivadora e poderosa, não um obstáculo.”  Se este pode ser necessário, em momentos e doses benéficas, exagerando, além de mexer com os botões genéticos, transforma-se numa praga maldita. Num comportamento circular, inadequado e prejudicial.

O auto conhecimento é fundamental. Se não perceber quem é, e obsessivo insistir em viver no passado, no futuro, e NÃO NO AQUI e AGORA, se não aprender a apagar da mente o que o incomoda, matutando na sua promoção. Sempre focado em algo que tem que fazer. Preocupado com isto ou com aquilo, as substâncias químicas não perdoam.

E muito mais, mas para já, previna-se, pela sua rica saúde:
PÁRE! ESCUTE! OlHE! 
…Senão o stress vai trucidá-lo!




“O objectivo do stress não é magoá-lo, mas sim alertar que está na hora de voltar ao coração e começar a amar”. Sara Paddison
Lucinda Ferreira,  Coimbra, 10 maio 2017



sexta-feira, 14 de abril de 2017

Pedido de divulgação - I Jornadas Estudos Internacionais sobre Direito de Estrangeiros e Crimigração


Caixa de entrada
x

M J

Anexos27/03
para mimMaria
Caras Senhoras e Senhores,

Agradecemos a divulgação do curso que irá começar dia 24 de Abril na Universidade Autónoma de Lisboa.
Muito obrigada,
Maria João Guia

Inscrições e informações: http://autonoma.pt/academy/?id=3785&section=/Autonoma_Academy/Oferta_Formativa/Direito/jornadasinternacionais&mid=765

24 a 28 de Abril de 2017

I Jornadas Estudos Internacionais sobre Direito de Estrangeiros e Crimigração

Coordenação: Manuel Guedes Valente, Universidade Autónoma de Lisboa | Maria João Guia, Universidade de Coimbra | Renata Almeida da Costa, Unilasalle

Estas primeiras jornadas visam dotar os formandos de conhecimentos globais e específicos sobre o fenómeno das migrações no mundo e, em específico, na Europa e em Portugal. Abordar-se-ão
temas sobre direito de estrangeiros, como o direito de asilo, tráfico de pessoas e direitos das vítimas de crimes, as migrações de países terceiros e o mundo do trabalho, a detenção e reclusão de imigrantes, a criminalização de imigrantes e o fenómeno da crimigração. Pretende-se levar os formandos a duas visitas de estudo que envolvem os temas abordados e haverá uma tarde em que os docentes estarão disponíveis para sugerir aos formandos o aperfeiçoamento dos seus trabalhos de investigação.



Nota:
 Pediu-me, a minha Filha, que divulgasse esta notícia.
Se alguém estiver interessado, p.f. enviar e-mail para: ladyvalleflor@gmail.com que lhes será esclarecido o que desejar.

sábado, 1 de abril de 2017

Só faltava mais esta…


Textos e pretextos

Só faltava mais esta…

 imags net

A verdadeira compaixão não consiste em sofrer pelo outro. Se ajudamos uma pessoa que sofre e nos deixamos invadir por seu sofrimento, é que somos ineficazes e estamos tão somente reforçando nosso ego.Dalai Lama



·     Vai surpreender alguns leitores esta reflexão. No final, vai gostar. Vai querer experimentar. Mudar. Só tem a ganhar. Isto, porque entendeu a verdade mais profunda do que se quer transmitir!

·     -Ai, é uma pessoa muito sentimental. Quando desabafa, até lhe vêm as lágrimas aos olhos. Tem muita pena dos pobrezinhos. Tem muito dó. Iguala-se a ele, apenas no mais deprimente.”. (Condói-se muito, mas nunca passa das palavras, à acção).
·     Coitadinhos. E nestas lamúrias, situa os outros, por baixo, não os vendo como a dignidade que merecem.
·     - Ah, sim. É simpática. – responde outra sentimentalona. Sentimentalão. E todos se julgam pessoas excepcionais, com o sentimento à flor da pele. Mortos de dor, no seu íntimo. Valorizam muito o sofrimento. Os seus iguais dizem: “Olha, como tem sentimento!”
·     Na realidade, esse sentimentalismo só prejudica a sua vida (e até a dos outros. Faz destes o caixote do lixo, com suas queixas constantes). È sempre uma vítima.
·     (Agora, a partir do momento que tem consciência disso, fará tudo para sair, se quiser mesmo ser feliz, livre de masoquismos doentios)
·      Esse sentimentalismo restringe. Prende. Fica lamentando tudo e todos. Mostra isso de pior, para toda a gente. Acha que isso é lindo. Que atrai mais simpatia.
·      Não percebe que está mergulhado num poço de dor. Sofrimento de que precisa de sair! As suas atitudes são o resultado das suas crenças. Alimenta a convicção de que ser sentimental é bom. (É só ouvir o fado português, bem choradinho).
·     Será que para o sentimental a vida é um drama ou uma comédia?
·     Raramente se situa no presente (aqui e agora.) Recorda muito as dores do passado, às quais é muito sensível. “Aqueles tempos… Aquele ambiente. Aquele namorado que era um autêntico príncipe” (se casassem, até seria sapo)
·     Especialistas afirmam que estas pessoas precisam de ajuda. Estão fora do contexto. Da realidade. Com equilíbrio algo duvidoso. Atraem necessariamente por sincronicidade, as mesmas energias de gente igual. O Sentimentalista nivela-se, com o outro, no que ele tem de inferior.
·     Normalmente estas criaturas tiveram um pai reclamando por tudo e de todos. A mãe chorava facilmente, pois lembrava-se muito do passado. Das situações ruins.
·      O sentimental sente muitas saudades. Esgota aí sua energia. Acaba por ter dificuldade em atingir os seus objectivos. Construir algo bom. Fica parado. Impressionado. Deixa-se influenciar com o que o rodeia. É tóxico. As pessoas evitam-no. Enjoam-se dele.

·     Acredito que o leitor não é sentimentalista. Isso prejudicaria muito a sua vida e a dos outros.

·      Já percebeu que ser sentimental é bem diferente que ter sentimentos, o desejável!
Por que razão?

·     Ter sentimentos vem da alma. (No sentimental tudo vem da cabeça. Está preso na ilusão É um agrado. Fica bem participar na ladainha da desgraça do outro. È simpático).
·     Ter sentimento é a coerência de ser quem se é no todo. Por isso é-se alegre. Cheio de prazer. Ama-se e celebra-se a vida, nas coisas simples. A existência, que se agradece, é um recreio (embora tenha o sentido da responsabilidade e do compromisso. Escusa, sim, de se lamuriar). Essa expansão vem da alma! Cultiva uma atitude oposta à do sentimental.
·     Para quem tem sentimentos, a vida é uma comédia. Um fluir que se acolhe confiadamente. Uma brincadeira. Uma festa. Tem um propósito delineado. Quando trabalha isso é recreio e alegria. Nunca sente a luta do sentimental, que acha que quem tem sentimentos é frio….
·     Quem tem sentimento é cheio de compaixão, de verdadeiro amor, pelo outro.
·     Sabe que pessoa atrai aquele desafio difícil para evoluir. Que está a fazer uma experiência, na sua vida.
·     Sente por ele, um respeito imenso, sabendo que amanhã pode ser ele mesmo a ter o mesmo desafio. Irmana-se num amor real, feito de apreço. Estima e compaixão.
·      Sabe que isso é circunstancial Vai ser vencido. O outro vai sair fortalecido. Vencedor. Olha-o por isso num patamar superior, com admiração!
·     Quem tem sentimentos acumula energia para construir coisas boas! Esmera-se para socorrer o irmão, quando isso faz parte da sua missão. Investe nos bons sentimentos a que está atento.
·     Recorda as coisas boas da vida. Algo bom que o deixa alegre. Celebra as lições valiosas que o passado lhe trouxe, aprendizagem valiosa que o enriqueceu.

·     Portanto atenção…

·     -Se não tem energia.
·     Se não consegue alcançar os seus objectivos…
·     Se o seu corpo sofre…
·     Se sente muito dó e piedade dos tristes, não faz nada por eles, apenas os lamenta. Os vê abaixo de si…
·     Se num sentimentalismo barato, só atrai gente queixinhas… Saudosa do passado. Sempre falando dos que já partiram. Das desgraças. Das doenças… Tome consciência disso e mude!
·     Lute para ser feliz.

Nossa tarefa deveria ser nos libertarmos ... aumentando o nosso círculo de compaixão para envolver todas as criaturas viventes, toda a natureza e sua beleza. Albert Einstein

Coimbra, 31.3.17 - Lucinda Ferreira

31

quarta-feira, 22 de março de 2017

Os números e as letras

Os números e as letras 
 imgs net


  "Um homem pode o que sabe”Anónimo.
 

No 1.º ano do Liceu, contactei com diferentes matérias. Sentia-me fascinada com tanta novidade.

Se a Astronomia, desvendando segredos sobre os  astros me seduzia, a Botânica e os segredos das plantas, encantavam-me. 
A Química era outra paixão.
 A História, uma aventura (Derrotas. Vitórias. Conquistas), vivida por Reis e Rainhas de verdade, ia alargando horizontes. A Geografia, um convite a muitas das viagens, algumas das quais, consegui realizar.
Conhecer o corpo humano no seu funcionamento, que emoção!
 A Zoologia e a Mineralogia cheias de mistérios. A Geometria, Matemática alargando o pensamento abstracto, era outro amor não menos real. 

Era o bichinho do Conhecimento,  que fará parte de mim até ao fim…

Quando, no exercício do auto-conhecimento, descobri a Numerologia, quis descobrir os seus fundamentos.
 Como nascera...
 Qual a sua função e alcance...

 Além da Radiostesia, Quirologia, entre outras áreas que me chamaram a atenção, esta verdadeiramente cativou-me, pela sua evidência na minha vida.

Livros e livros destas áreas fazem parte da minha Biblioteca, há anos. Gosto e muito estudo. Cursos. Reflexão. Prática, têm-me feito sentir e perceber, como sabemos tão pouco do mundo. Das pessoas que nos rodeiam.

 Apenas afloramos aparências. Máscaras, antes de mergulharmos, pela Numerologia, no iceberg submerso do ser humano.

Inicialmente, apenas levada pelo raciocínio lógico ocidental, comecei por duvidar. Sorrir. Depois fui obrigada a aceitar, constatando o seu valor. Evidência.

 Com algum espanto, observava que aquela era a realidade mais pura, ali mesmo à minha frente!

Como poderiam enganar-se homens tão sábios, que nos precederam há tantos séculos, ao estudarem os números (as letras também se convertem em números. Aliás, os Latinos. Gregos e Hebreus utilizavam o alfabeto para contar) , pilares-base da nossa civilização?

Caldeus. Egípcios. Hebreus. Chineses. Hindus. Latinos. Gregos, apoiados nos números, construíram Templos. Catedrais. Pirâmides, tocando o divino.

Alquimistas. Pedreiros. Arquitectos utilizaram o número de ouro, sob o princípio da divina proporção, exprimindo assim o equilíbrio entre a Beleza. O Saber e o Poder.

Foram obrigados a concluir que os números exprimem forças e ideias!

No séc. VI a. c. , já Pitágoras dizia que “Tudo se ordena segundo números”, pois o acaso não existe! Correspondências entre a Filosofia. A Música e a Aritmética eram reais.

Os doutores judeus estudam o mistério dos números, na Cabala. Os números “revelam o sentido escondido da Bíblia, código secreto dado aos homens pelo próprio Deus”.

No início do séc. XX, no Ocidente, a Numerologia, como estudo de personalidade. Temperamento, irrompe com força!

Sobretudo no Canadá. Brasil. USA. Austrália. Grão-Bretanha. Caraíbas e vários países da Europa, tem um papel importante, no estudo do auto-conhecimento. Compatibilidades. Personalidade, de quem nos rodeia. Empresas. Casamentos. Associações. Relações. Orientação profissional. Estudo da influência dos números na nossa vida quotidiana. Ciclos de vida e caminho de vida, o que faz toda a diferença na nossa evolução.

Baseia-se nas duas correntes maiores: a Cabala Hebraica (corrente mística fundada sobre 22 letras e 10 números de base) e a Escola Pitagórica (com o número de ouro e as suas aplicações na Música e na Arquitectura).

No fundo, a razão e o valor da grande expansão da Numerologia, depende de quem é arguto. Determinado. Gosta de alcançar os seus objectivos com precisão. Quer ser consciente das suas forças e fraquezas a trabalhar, a fim de  se tornar um vencedor e por isso recorre a estes estudos.

Descobre que pode sair do labirinto, com uma bússola exacta. Rápida sempre à mão, a Numerologia!

Passa a compreender melhor, o mundo em que vive.

Acessa a conclusões globais. Rápidas. Preciosas. Certeiras. Adequadas ao sucesso e à felicidade. É de grande utilidade, tal como no estudo da Psicologia, mas neste caso, ao fim de muito tempo, conforme eu própria constatei, quer pelo estudo, quer pela aplicação.
.................................................................................................
Quando tiver a sua Carta Numerológica, vai certificar-se de tudo o que lhe digo.

A mudança e a diferença que podem fazer na sua vida e no seu despertar, se assim o almeja, são fantásticas.
Isto é válido para toda a gente.

Já fiz mais de mil e tal cartas. 
Guardo a gratidão e os testemunhos de quem beneficiou deste estudo.
"O começo é a metade do todo…Não basta fazer coisas boas - é preciso fazê-las bem” anónimo"
 Comece já!
(ladyvalleflor@gmail.com) ….Lucinda Ferreira 22.3.17


sábado, 18 de março de 2017

Tudo virado de pernas para o ar…

Textos e pretextos



 Tudo virado de pernas para o ar… 

img net

As pessoas felizes lembram o passado com gratidão, alegram-se com o presente e encaram o futuro sem medo.Epicuro




·      Temos dentro de nós um íman, atraindo tudo o que precisamos para evoluir.

·      Perceber a alquimia da vida, é agradecer a quem nos obriga a aflorar o bem e a dor antiga, que carregamos, e que precisamos descartar, ao ter consciência dela!

·      Alguém o elogia publicamente de algo lindo. Valioso. Diferente. Positivo, que o caracteriza. Embora nunca tivesse pensado nisso, soube-lhe bem.

AGRADEÇA! A gratidão é a virtude das almas nobres.Esopo

·      Em contrapartida, alguém se apressa com a lupa da inveja. Denigre. Irrita-se, porque não suporta quem o suplanta. Procura encontrar erros na forma de quem se expressa, desvalorizando a pessoa, a fim de invalidar as suas afirmações, que o incomodaram.


.Agradeça!

·      Antes de mais, não fique chocado. Os garotos, só atiram pedras à árvore carregada de frutos.

·      Entretanto entra dentro de si. Observe simplesmente o desconforto que isso lhe valeu, inicialmente.

·      De repente, fazendo luz no espírito. Apelando ao  interior. Ao  “Eu Superior”. Fechando os olhos e entrando em conexão consigo.

·      Lembra-se que tem um íman no seu peito, que atrai pessoas. Situações, quando isso é necessário para evoluir.

·      Percebe, que o seu propósito de vida primeiro, é a purificação de todos os atributos feios, do seu ego: raiva. Inveja. Julgamento. Ciúme. Apego. Orgulho. Vitimização e todo aquele rol de coisas, que tem que mudar em cada momento, pois pode nem haver amanhã…

·      Depois dessa tarefa com o aperfeiçoamento do Ego, vêm de imediato os relacionamentos com os outros: a família. Os vizinhos. Os colegas. Colaboradores. Enfim, todos os que cruza no seu caminho.

·      Esse é o laboratório, onde afloram as emoções inadiáveis para serem processadas. Resolvidas.

·      É nesta altura que percebe o significado. O papel daquela crítica. Desse desencontro menos confortável.

·      Aquele incómodo antigo, escondido no subconsciente, estava à espera de oportunidade para ser resolvido conscientemente. Saltou!

E a gratidão se renova. Aumenta cada vez mais e mais, em cada segundo da nossa existência, por estas oportunidades.

·       A GRATIDÃO muda a química do seu ser. As moléculas da sua emoção laboram agora a seu favor.

·       A endorfina, o hormónio do prazer, e do bem estar,  é um dos neurotransmissores mais estudados nos últimos anos pelos neurocientistas, oferece agora benefícios ao seu corpo humano (...), no dia a dia,quando se purifica. Se entrega conscientemente e com GRATIDÃO a tudo e a todos, a uma mudança de vida!

·        Empenhado na transformação do seu antigo Ego egoísta. Materialista. Vitimizado. Maldizente. Ganancioso… todos os atributos e comportamentos indesejáveis.

·        Nos relacionamentos, purificando. Professando emoções castrantes. Agressivas. Negativas, bem antigas, que agora o deixam liberto e grato, tudo muda para si e para o mundo em que se insere.

·        Não podemos mudar os outros, mas podemos mudar a nós mesmos. Consequentemente o mundo se transforma à nossa volta, com repercussões até ao infinito.

·      Assim temos que bendizer. Agradecer, a quem nos ajuda, embora com desconforto.

·      Se serve para libertar de mais um peso, depois de processado, deixa de magoar, só podia ser isso que se precisava. Temos que agradecer, sem parar!

·      Isto esclarece, como não há mais lugar para a maledicência. Murmuração. Crítica, a quem quer que possa  molestar nos…

·      Vire tudo de pernas para o ar e…SEJA FELIZ, pois outros o seguirão!

E lembre-se sempre: “A gratidão é um fruto de grande cultura; não se encontra entre gente vulgar”.Samuel Johnson

Lucinda Ferreira 
Coimbra, 18 de Março de 2017