quarta-feira, 29 de julho de 2009

Sobre o significadio da vida


Hoje a minha reflexão matinal veio na sequência de algo que me ocorria várias vezes ao espírito. Aquela vozinha que diz tudo o que precisamos saber para chegarmos à nossa essência.

Então estava me a falhar qualquer coisa.

O que é que estou a fazer da minha vida que ainda tenho para viver? Desta licença que se pode extinguir de um momemto para o outro...

Então pensei: só avaliamos o que é viver , quando chegamos ao limite de poder deixar de viver.

Há 2 semanas, o meu coração, fosse pelo que fosse, (talvez pelo calor também como aprendi em MEDICINA Tradicional Chinesa em que se diz, que quem sofre do coração, pode partir mais facilmente ao meio dia dos sis mais quentes,), vacilou e ...assutou.me um pouco.

Então isso fez-me rever como é bom estar vivo e agradecer por esrte facto.

Mas mais do que isso , depois havia que dar significado à vida que se vive.

E pensei de novo:

Há várias coisas.Precisamos de liberdade, fraternidade e esperança. Mas às vezes estes conceitos parecem tão abstractos para se porem em marcha...não é mesmo?

Só á medida que a consciência se alarga e se afina, é que vamos entendendo as coisas que sabíamos de cor, mas não percebíamos bem.

É nisso também que tento investir no di a dia. Mas voltando ao significado da vida , para além daqueles conceitos em marcha, o outro segredo é percebermos que o interior de cada um de nós, é o lugar mais sagrado, mais estranho ,mais viciante e mágico!

É dentro do peito de cada um de nós, que reside toda a SABEDORIA!

Para isso há que abrir o coração.

Ontem recebi a visita da minha amiga Paula que me dizia no meio de uma simplicidade extrema: 'Sinto.me inundada de luz! Que grande privilégio,mas também que entrega tão verdadeira. Que lindo!

Iso é mesmo um opç

ao. Algo que se deseja muito e se consegue. O que recebemos depende da nossa abertura somente.

Neste caminho poderá haver dúvidas, hesitações, descidas,mas a luz chega com certeza, se insistimos. Se descobrimos o rumo ele será irreversível!

Depis pendei ainda: o que é que me distingue dos animais?

O medo da morte não é, porque eles também fogem do seu predador ,mas sim o facto do homem poder dar significado à sua vida . Só isto o diferencia do animal.