terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

NORAS e SOGRAS: os seus segredos


Textos e pretextos
img net

NORAS e SOGRAS: os seus segredos



“Existirá algo mais agradável do que ter alguém com quem falar de tudo como se estivéssemos falando connosco mesmos?” Marco Túlio Cicero
O

   



·      Nas guerras de alecrim e manjerona, tecidas de ciúmes disfarçados e até maldosos por vezes, há lugar para crueldades escusadas, entre noras e sogras.

·      Duas mulheres amam o mesmo homem. Isso nem sempre é pacífico, para mal de todos. Sobretudo o pobre do Filho e Marido, dividido, nem sabe como gerir aquele surdo ou declarado mal-estar, quando não é pior que isso, em guerra declarada.

·      Assim, lembrei me de uma história…
·       
·      Num destes casos bicudos, a Nora, sem respeito pelos mais velhos e gratidão pela mulher que lhe deu o seu companheiro, irritada com todos, depois de ter experimentado os métodos mais incríveis usados, dando a beber ao marido algumas mezinhas. Secreções íntimas, sem resultado, recorreu à bruxa, para a tirar do embaraço. Resolver a situação de uma vez por todas. e foi procurar uma bruxa...

·      Nora: - Não aguento mais, aquela velha maldita, que põe doida. Nunca mais morre! Estou farta. Já virei os meus filhos contra ela para a danar. Quando foi a minha casa, embora tenha sido ela que a ajudou a comprar, desta vez espantei-a para sempre.
·      Fiz barulho até as tantas, para que não pudesse descansar. Usei todas as estratégias para a assustar. Quero tratar mal o seu filho ate me apetecer. Não quero que ela descubra o que me apetece fazer… Quem manda sou eu . Não é ela. Mas o que eu quero mesmo, é matá-la! Pago o que for preciso!

·      Bruxa: - Não seja por isso. Vamos dar cabo da velha. – Respondeu prontamente, esfregando as mãos, pelo que ia receber, acalmando a Nora inflamada. Mazinha e frustradona.

·      Receitou o tradicional chá fatídico, para dar uma gotinha disfarçadamente, todos os dias, sem dar nas vistas. No entanto, havia duas condições para dar certo.

·      Bruxa:- Para não ser denunciada, nem levantar suspeitas, convém ser de uma extrema gentileza, pois de contrário, vão desconfiar que terá sido você, que vão matou a senhora sua Sogra…

·      Cobrou chorudos honorários pelo conselho, pois era uma bruxa conceituada. De renome.

·      A Nora lá foi toda contente, com a certeza que aquela maldita velha, sua Sogra, desta vez ia desta para melhor. Não haveria mais partilha. Quem mandava no marido, era ela. Sem ninguém que impedisse ou se apercebesse das suas frustrações, para mandar. Controlar e fazer o que muito bem lhe apetecesse, pois o marido era mansinho. Dele se ocupava ela, sem problema desde que a espertalhona Sogra a deixasse à solta.
·      ……………………………………………………………………………..
·      Sempre mansinha. De boas falas e maneiras. Educada e gentil, nunca se esquecia da gota de chá assassina, na comida da Sogra.

·      O tempo foi passando. A senhora sua Sogra, ao sentir se tão bem tratada, não cabia em si de feliz. Distinguia a Nora de todas as maneiras, cobrindo-a de atenções. Carinho. Prendas. Falando dela maravilhas para toda a gente. Esta Nora era uma verdadeira filha que ela muito amava.

·       O bom ambiente começou a reinar entre todos. A paz e o amor tornaram os netos mais educados e amorosos. Vivia-se uma nova era, naquela família. O marido passou a adorar a esposa, por ver o respeito e carinho, que dedicava à sua Mãe.

·      A Nora aflita e feliz, pelo ambiente maravilhoso criado pela Sogra, em grande parte, correu para a bruxa.

·      Nora :- Por favor, acuda me!
·      Será que posso acabar com o feitiço? O efeito do chá que venho dando à minha Sogra!?
·      Ela tornou-se para mim, uma Mãe dulcíssima. A Mãe que eu nunca tive. Não posso perdê-la. Sem ela não conseguiríamos agora viver.

·      Bruxa: - Vamos ver o que se pode fazer, minha Senhora.- Acrescentou pausadamente, a fim de fazer reflectir a Nora.

·      - Nora: - Por favor, dou-lhe tudo o que for preciso, para a salvar!

·      Bruxa:- Bom, na verdade, esse chá era inofensivo, mas teria que ser assim durante um tempo, para perceber, que não temos poder para mudar os outros, mas sim para mudarmos a nós mesmos!

·      E o segredo. O milagre é que ao mudarmos, os outros e o mundo, também mudam.

·      A Nora compensou a dobrar tudo, o que tinha pago inicialmente. Chorou de alegria e gratidão por poupar a mãe do seu Marido. Voltou para casa aliviada e contente.

·      A partir daí, foi a festa da vida para todas da Família. Ela passou a ajudar outros, sem dificuldade, com a força da convicção de quem vivendo tão feliz, necessitava contagiar os outros.

·      A alegria só é grande quando partilhada.
………………………………………………………………………
·      Esta BRUXINHA deu receita para todos e não se paga mais nada.
·      Experimentar não custa. Comece já hoje.

·      Lembre-se que a sua Sogra é a Mãe do seu Marido. È a Avó dos seus Filhos. O sangue dela está misturador com o seu, mesmo que você a trate mal, por ignorância. Amanhã, espere que lhe façam o mesmo a si… Cuidado!


Respeito, amizade, carinho, vontade de estar perto, saudades,pensar em ter um futuro junto aquela pessoa, e muitas outras coisas indescritiveis do coração.ISSO É O AMOR. anefre
·       
·       Coimbra, 27 de Fevereiro de 2018

·      Lucinda Ferreira



imgs net


Sem comentários:

Enviar um comentário