quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Desperte o Sagrado que há em si!


Desperte o Sagrado que há em si!

img net








A plenitude. A alegria de viver. A paz em seu coração é o fruto da autenticidade. Da entrega verdadeira ao seu plano de vida consciente e inteiro.

São atitudes que não se comparam com penachos fugazes. Importância passageira. Dinheiro em demasia, carregando arrogância. Orgulho e superioridade escusada. Uma vida de aparências que valoriza o ter e não o ser.


Filósofos. Físicos. Professores. Médicos. Mentes iluminadas, distintas em todo o mundo, apresentam a inteligência espiritual ligada ao ser e afirmam:
“a inteligência espiritual colectiva é baixa na sociedade moderna. Vivemos numa cultura espiritualmente estúpida, mas podemos agir para elevar o nosso quociente espiritual”.

Além disso, felizmente, homens da ciência, figuras notáveis na NASA,
Grandes conhecedores de informática e áreas notáveis de influência no mundo, como Gregg Braden e muitos outros, consideram que chegou o momento de demonstrar e concluir, sem dúvidas, que a Ciência passeia de braço dado, com a espiritualidade, numa ligação estreita, ao longo dos tempos, mas que agora emerge, corrigindo posturas arrogantes e indesejáveis.

Cientistas de várias partes do mundo, concluíram que todos temos um PONTO DE DEUS, no cérebro!
 (Quem quiser certificar-se busque nas revistas Newsweek e Fortune sobre este assunto…)

Esta área situa-se nos lobos temporais e faz-nos buscar um significado e valores para as nossas vidas, dizem.

Liga-se por isso, à experiência espiritual.

Sabemos que tudo que influencia inteligência, se liga ao cérebro, na sua rede neural.

Há um tipo de organização neural que tem a ver com o pensamento lógico. Racional.
A sua expressão mais ou menos desenvolvida determina o QI, mais alto ou mais pobrezinho, motivo de distinção entre os ditos mais e os menos inteligentes.

Percebeu-se que os indivíduos de inteligência intelectual notável, podiam não ser os mais bem sucedidos…Faltava-lhes emoção. A inteligência do coração.
“O pensamento associativo, afectado por hábitos, reconhecedor de padrões, emotivo”, determinando o QE, apresentava excelentes resultados de sucesso.

Actualmente, o QS, a inteligência espiritual vem trazer uma nova luz. Uma visão que dá sentido à existência humana. Que amplia as suas capacidades. Que lhe dá uma força e um alcance fora dos limites habituais. O pensamento criativo revogador. Formulador de regras, que transformam a vida.

A inteligência espiritual não tem nada a ver com religião, mas integridade pessoal. Traz consigo a escolha de direccionar os nossos actos e acção, para um modelo de autenticidade responsável, contendo em si um fim maior, valorizando e dando sentido à existência humana, neste Planeta.

De momento, são tantos os desafios, como as oportunidades, para mudar com êxito, a vida pessoal. A vida da comunidade e do mundo.

Quem não desperta para esta mudança torna-se “gordo e estúpido”, danificam o mundo de todas as maneiras e por omissão, segundo dizem os estudiosos desta nova expressão da inteligência humana.

Ter alto quociente espiritual (QS) implica uma vida cheia de sentido, mais rica, assim como adequado senso de finalidade e direcção pessoal. 
O altruísmo e um ideal compassivo, assim como a alegria que lhes corresponde, brotam da existência de um QS perfeito.
Ele alarga horizontes. 
A criatividade aumenta.
Impulsiona quem a possui, levando a uma abordagem dos problemas que agora são resolvidos, segundo critérios de valores e orientação particulares.
As crenças e os valores éticos nascem deste nobre quociente espiritual que se liga à necessidade humana de ter um propósito para viver, sem cair num niilismo deprimente. Sem outra saída, que não seja um materialismo vazio. Feroz, sempre insatisfeito.

Os pioneiros e estudiosos destas matérias identificam dez qualidades comuns de pessoas, espiritualmente inteligentes:

·      “Praticam e estimulam o autoconhecimento profundo.
·      São conduzidas por valores humanos. São idealistas e crêem na vida.
·      Têm capacidade de encarar desafios e utilizar a adversidade a seu favor.
·      São holísticas - têm a visão do todo integrado e percepção da unidade.
·      Celebram a adversidade como fonte de beleza e aprendizado”.
·      Têm independência de pensamento e comportamento
·      Perguntam sempre “por quê”e “para quê”. São agentes de transformações.
·      Têm capacidade de colocar as coisas e os temas num contexto mais amplo.
·      Têm espontaneidade de gestos e atitudes e são equilibrados emocionalmente.
·      São sensíveis, fraternos e compassivos.”

·      Espero ainda escrever sobre os princípios da inteligência espiritual. Entretanto, deixo-vos com este pensamento de Augusto Cury

   Coimbra, 1 de Fevereiro 2018 - Lucinda Ferreira
imag net

Sem comentários:

Enviar um comentário