terça-feira, 7 de março de 2017

Escolhas



Escolhas 

imgs net



Quando a minha escolha é consciente, nenhuma repercussão me assusta. Quando não é, qualquer comentário me balança. José Eustáquio



Estar no presente, no aqui e no agora, amplia a nossa força, a todos os níveis. Faz com que nos sintamos mais seguros.
(Escute Simone de Beauvoir: “O presente não é um passado em potência, ele é o momento da escolha e da ação”. )


È nesta frequência, que as nossas ESCOLHAS são autênticas.

Escolher com a essência. Autenticidade daquilo que somos, no âmago, liberta grande energia.
Com uma força inconfundível, escolhemos pelo que somos.

Por esta razão, nada há que abale quem escolhe pela luz que carrega em si.

Com um entusiasmo avassalador, vindo das nossas profundezas, nada pode desmobilizar ou abalar, quem escolhe com responsabilidade. Com alegria. Com aquilo que é, envolvendo-se em absoluto.

A auto-estima sai reforçada. Gera-se mais e mais energia para novas escolhas, num exercício sagrado. Sem fim. Com resultados até ao infinito.

O movimento ondulatório lançado em direcção ao Universo, sai cada vez mais reforçado.

Da escolha desinteressada e coerente, com quem se é, acciona-se o “motor” da vida. Liberta-se uma energia imparável, gerando mais e mais alegria e força de viver, com toda a veemência!

Como consequência, o Universo devolve uma potência cada vez maior. Abundante. Promissora. Segura. Cheia de abundância e novas conquistas, para o SER.

Esta reflexão curta, a caminho da autenticidade, incide na Escolha, pelo que se é, produzindo benefícios para o próprio e para o mundo em que vivemos.

Abundância. Coerência num Universo mais acolhedor, devolvendo eficácia. Paz. Bem estar, em cada momento, em que isso acontece.

Nunca se desculpe, pensando ou dizendo que não tem liberdade para escolher.
Isso é a opção prioritária da existência. Lute para alcançar essa consciência. Abandone velhos hábitos, ainda que mais cómodos materialmente. Mesmo que aparentemente no início, traga aparentes prejuízos materiais, bem depressa alcança a plenitude do ser, que diferente do ter, é infinitamente mais valiosa, arrastando consigo um estado de ser que antes não conhecera.

 Atento, perante a abertura da consciência,  verá que bem depressa a compensação lhe trará abastança, em todos os campos , coisa que antes nunca experimentara.

Escolha de acordo com quem é de verdade, respeitando-se, respeitando os outros, a Deus e a todo o Universo, surpresas começarão a bater à porta do seu coração!
Boas ESCOLHAS!
Atente em Marcel Proust: “Em amor é um erro falar-se de uma má escolha, uma vez que, havendo escolha, ela tem de ser sempre má.”
…e percebe a razão…

/ de Março 2017

Lucinda Ferreira

Sem comentários:

Enviar um comentário