quinta-feira, 9 de abril de 2015

O grande Desafio!



  (Imagens da net)

O Grande Desafio!


Se alguém não se incomoda com o problema do sofrimento, isto se deve a uma razão entre duas: ou tem um coração duro ou é um cabeça-dura.
(Studdert Kennedy)




Bateu no meu coração o desejo de escrever sobre a CRUZ!

Lembro-me quando era criança da minha Mãe me ensinar a fazer o sinal da cruz antes de sair de casa, ao sair da cama, como símbolo de protecção e ligação ao Céu.

Na verdade os espíritos do mal detestam a Cruz. Até se diz popularmente foge disto ou daquilo, como o diabo da Cruz.

Ultimamente têm sido muitas coincidências na minha vida, ligadas à Cruz.

Aquando da minha estadia em Paris desenvolvendo um projecto intitulado Dimensão Europeia em Educação, tive ocasião de me deslocar à Normandia Oeste, a Douzelet.
Era um monte arredondado. Maninho. Quase deserto.Havia muita gente que chegava por uma única razão: adorar a Cruz!
Lá no alto erguia-se uma grande Cruz!
Segundo me contou a minha amiga francesa, esta fora erigida a pedido do Céu sempre com o mesmo intuito: despertar os homens para o mistério da vida e da criação.
Por muitos lugares do mundo, este símbolo sacratíssimo faz pensar na maior loucura de amor, jamais vivida.

Há 2015 anos, Alguém livre. Com uma condição humana como qualquer um de nós, mas possuidor de uma natureza Crística em íntima conexão com o Criador, veio a este planeta Terra com uma missão particular.
Trocar  posturas. Inverter comportamentos.Fazer a mudança ou melhor dar um sentido diferente à existência , abrindo possibilidades de evolução rápida para os que desejarem  pelo perdão. Pelo Amor, encurtar caminho e tocar o divino para seu único interesse e serem feliz.
Trocava-se a lei do dente por dente e olho por olho “ pela suave e doce lei do Amor!
Uma lei que não reconhecia diferenças entre os pobres.
Os pecadores.
 Os escravos e os grandes senhores dos privilégios.
Concedia-se assim igual  dignidade a todos!

A classe dos sacerdotes. Dos fanáticos.Dos instalados. Dos orgulhosos não tinha espaço para a Sua mensagem 
Que afronta e ousadia, afirmar-se um carpinteiro de Nazaré ,  como o Filho do Altíssimo!
A ordem fora invertida. Poucos o perceberam
E se ainda assim o seu reino fosse tão  poderoso e se pusesse em causa os instalados?O poder estabelecido?

Havia que exterminar tal "embusteiro" que ainda por cima, era de tal maneira sedutor que arrastava multidões onde quer que chegasse.

Apenas lhe foram dados três anos para anunciar a Sua doutrina que hoje permeia os corações, espalhados pelo mundo inteiro!

As provas duma força interior eram tais, os testemunhos eram tão fortes e evidentes que o perigo crescia entre os poderosos.
O ódio foi-se acumulando até que Ele que bem sabia ao que vinha e qual era a Sua missão, não hesitou.Na sua total liberdade, foi até ao fim.

Era livre para fazer ou não a vontade do Pai, restabelecer a ponte interrompida pela desobediência, a fraqueza e o orgulho, entre os Homens e Deus Criador!

E assim foi. No limite até os que O seguiam o traíram. 
O abandonaram na sua maior dor.

Mas Ele não desistiu.Por isso Lhe devemos todos sem excepção, (!) gratidão e o melhor de nós mesmos. 

Resta-.nos uma consolação a nós Mulheres. Fomos nós que nunca arredámos pé de junto da Cruz de Jesus Cristo. João talvez até tivesse ficado a convite de uma das mulheres presentes…Não sabemos.
Sabemos que Pedro O negou três vezes. Que Judas O entregou.Que os discípulos abandonaram o seu Mestre, adormecendo, quando Ele lhes anunciou o que ia acontecer .

 Depois de sofrer a maior violência em humilhação profunda, aceitou em silêncio sem reagir , a dor física até transpirar sangue! No limite do sofrimento, expirou na Cruz cravado de pregos nos pés e nas mãos!

O diálogo final com o Seu Pai,  foi de uma dignidade ímpar!
Na maior crueldade ainda apela ao perdão para os que o torturam sem qualquer razão para isso.

A  descoberta da Sua personalidade como Humano é de uma grandeza suprema. Bondade. Equilíbrio .Sensibilidade e Compaixão, tudo documentado como um ser que vivenciou como nós a fome. A sede. A dor. A carência. A traição. A tristeza. O abandono. A fidelidade a um ideal, enfim todas as vicissitudes de uma criatura humana, serve –nos de exemplo. Encorajamento. Modelo.Incitamento a prosseguir mesmo na maior dificuldade., perante a morte!

Acaba pregado numa Cruz num sofrimento extremo. Ao expirar  implora ao Supremo  Criador , a misericórdia para com os seus irmãos da Terra: 
“Pai, perdoai –lhes , porque não sabem o que fazem”.

Não vou alongar me mais. As minhas palavras são tão ínfimas. 

Quem tiver coração. Sensibilidade. Inteligência. For autêntico tem que se questionar sobre esta realidade que não pode ser ignorada.Ela diz respeito a todos nós , como seres criados para sermos felizes , mesmo que para isso tenhamos que atravessar o deserto. Abandonados. Desgastados. Traídos. Magoados. Injustiçados. Tenhamos que enfrentar abismos. Tempestades. Nunca podemos desistir.

 Ninguém nem nada nos pode separar do amor de Deus !

A Cruz é. Foi. Será o sinal eterno. O Símbolo de grandeza de um Ser que só podia ser Divino.

A Cruz é ainda a imagem de tudo o que a passagem por este plano de nós exige.

Assisti há dias a um acto de veneração da Cruz. Encheu-me de uma ternura imensa e ao mesmo tempo de uma gratidão sem limite. Uma coragem antes desconhecida.Assim como o desejo de aprofundar cada vez mais esta loucura amorosa de Jesus Cristo por cada um de nós.

  Este encorajamento. As lições a reter e sobretudo a certeza que depois da Cruz há sempre uma Ressurreição!


Não são palavras, são vivências duras a nossa vida.E cada um tem a sua cruz ...

Ninguém pode fugir ao sofrimento, mas esta lição de puro Amor é a única coisa que dá sentido às nossas vidas, Amigos leitores!
Lucinda Ferreira

Sem comentários:

Enviar um comentário