terça-feira, 14 de abril de 2015

Simples como a água...


Textos e pretextos



Simples como a água…

imgens da net

"Para comandar os homens, marcha atrás deles." (Lao Tsé)
"Comandar é servir, nada mais e nada menos." (André Malraux)



Simples como a água, mas difícil de entender e sobretudo de mudar…

Não para julgar, porém constatando e reflectindo no binómio: comando e obediência, estamos por aqui.

O ego foge do desconhecido a “sete pés”.O ego gosta do comando.
O controlador quer tudo à sua maneira.Idealiza as coisas e tem que ser como ele quer exactamente..
Traça o destino do servidor. Do que quer como resultado final e força até isso acontecer tal como programou. Se assim não acontece, o “caldo entorna-se”. As coisas correm mal.
Nem só um milímetro de desvio. Tudo à sua maneira tal como previu. O diferente, o que não controla e foge ao seu projecto, não interessa.Não tem cabimento.

O controlador não é capaz de receber. Dá ordens e espera obediência total.Tem que ser tudo como ele quer e sem desvios. Está determinado. Mais nada!

Pomo-nos agora no papel de quem obedece. De quem executa. De quem é obrigado a fazer exactamente o predeterminado.

Esta pessoa nem concorda com o modo, nem com o que tem de fazer.
No entanto por diversas circunstâncias é obrigado a obedecer.
E faz,mas trabalha sem gosto. Sem empenhamento. Sem dedicação. Aquilo até o violenta, porque não corresponde ao seu íntimo .Ao que lhe é imposto sem apelo nem opiniões. Faz por obrigação. Por necessidade. Por imposição do mais forte.

Por mais que se esforce não consegue empenhar-se.Ter alegria no que executa.

Ora não dar espaço a alguém para que ponha um pouco daquilo que é no que faz, é uma hostilidade.

O controlador fica irritado. As coisas não correspondem ao que desejava. Acha até que o outro não é dedicado.

Nem sequer pensa que a pessoa não pode envolver-se no que lhe é hostil.
Matar a criatividade do outro e a participação que o realiza, anula o seu empenhamento natural.

O dono do controlo responsabiliza o executante pela falta de dedicação.Pelo mau desempenho.

Isto acontece a todos os níveis sociais.

Na família e até com os filhos. Nas empresas. Nas universidades (decoras a “Sebenta”. Repetes o que diz o Mestre ou não passas…Não tens grande liberdade para discordar mesmo documentando-te, pelo menos era assim …Agora terá mudado? Oxalá. ) e até no governo das Nações.

E quem é que deve ser responsabilizado?
O controlador totalitário.Excessivo e exigente.
O Universo penaliza o controlador mais cedo ou mais tarde, por ele não deixar espaço a mais ninguém e exigir uma devoção e abnegação que nem sequer têm espaço para desabrochar!

Cada um veja em que campo se situa , se for caso disso.
Está a tempo de retroceder caminho e corrigir o que houver de ser mudado. Vamos todos a caminho e todos temos sempre algo a podar até estarmos vivos.
Nota:"Não pode comandar um exército o general que não se comanda." 
(Cícero)

 

1 comentário:


  1. Isabel Faria
    28/04 (há 1 dia)

    para mim
    Bonito ! Gostei ! Abraço, Isabel

    Enviado do meu iPad

    ResponderEliminar