sábado, 6 de abril de 2013

A minha Flor


COLECCAO :    TEXTOs E PRETEXTOs

 

                                     A MINHA FLOR

 

Aquela flor caída da árvore, acolhi-a com fervor.

Enfeitava o chão.

 Abandonada. Pisada. A morrer.

 Ninguém lhe ligava.

 Ninguém dela  queria saber…

 

Agora é a minha flor!

Enche de cheiro a minha mão.

 

E como é bela!

Olho-a. Torno a olhar sem nunca me cansar.

A simetria. O feitio. O perfume. A cor.

Um rubro tão intenso. Parece o meu coração.

Será assim também o Amor ?

 

As suas irmãs viçosas. Formosas.

Continuam lá no alto. Será que alguém as olha, quando caídas no chão?

 As vê?

Elas não se importam. Perfumam. Embelezam. Nada pedem.

Sem porquê, é como elas são.

 

Olhais antes para as coisas construídas do que para aquelas que vos são oferecidas?

Mas elas lá estão lá. Para mim. Para Ti.

São o símbolo daquela suprema beleza escondida

de que é feita a própria vida!

 

 

BH , Janeiro  de 2013
lucinda ferreira

Sem comentários:

Enviar um comentário