sábado, 10 de novembro de 2012


RECONSTRUÇÃO

 

Passei a vida a construir

Tudo o que agora vejo ruir

O tempo foge mansinho …

Devagarinho.

Roça sem avisar

Não torna a passar

Insisto .Persisto

Na reconstrução

Do que já nem existe

Esperança

Um dia a vida sorrirá diferente

Para mim e toda a gente

Talvez nos dê a mão

Por uma outra razão

Desconhecida

                      Mistérios da vida                     

Reconstrução na fé

De tudo

O que já não é

Somos outra pessoa

E se fugiu a força de viver

Por entre os dedos

Somos outro ser

Escoou-se a vida aqui

Passou.

Anoitecer.

Segredos já não são medos

Apenas pó que o vento levou…

 

                                                          Coimbra, 10.11.12

Sem comentários:

Enviar um comentário