sábado, 23 de junho de 2018

Sabe, quem é você?


Textos e pretextos






Sabe, quem é você?


Como fica forte uma pessoa quando está segura de ser amada! sigmund Freud
img net..mae e filha

img net




      Finalmente somos, quem julgamos ser.
Somos  quem somos realmente.
Somos o que os outros julgam que nós somos, mas há só um Ser que verdadeiramente nos conhece: Aquele que nos criou: Deus!

·      O que aqui afirmo é conhecido de todos!

·      Tal como o sábio Sócrates ( en griego antiguo, Σωκράτης, Sōkrátēs; Atenas, 470-ib., 399 a. C.)​​​​, professor, afirmou, assim como sua mãe, parteira, ajudava a nascer as crianças para que não morressem nem elas nem as mães, ele também fazia brotar o conhecimento que todos carregam dentro de si.

·      Sigo aqui então, a Maiêutica praticada por Sócrates, sintetizada apenas em algumas perguntas, para que saiba, se já resolveu todos os seus traumas que contraiu em tenra idade, ( quem sabe desde   a vida uterina (…) )

·       Ou… se ainda carrega essa dor que atrapalha o seu viver e o impede de ser tão feliz, quanto poderia ser.

·      Na realidade, são poucas as pessoas que não guardam em sua alma, resquícios de passagens agressivas da sua infância.
Elas são muitas vezes, causa do sofrimento actual.
Desentendimento nas relações. Insatisfação. Frustração. Conflitos. E o pior de tudo, motivo de algo inexplicável, muito doloroso para si e para aqueles com quem convive.

·      Liberte-se disso rapidamente, pois isso é possível.

·      A partir de hoje tenha esta consciência e trabalhe para limpar. Aceitar. Resolver estas confusões que lhe pesam, como uma marreca desnecessária e que tanto o atrapalham.

·      1 – Já reparou se as suas emoções são um estorvo?

Se tenta racionalizar tudo. Resolver friamente pelo raciocínio lógico, todas as situações com que se depara, recusando tristeza. Indignação. Luto. Desconsiderações, procurando não se emocionar seja com o que for.
As emoções se separaram da sua entidade.
 Isto liga-se a castigos ou repreensões, sempre que em criança,  manifestava suas emoções, chorando, fazendo birra, o que “incomodava” os seus pais ou educadores, sendo assim reprimido, não por mal, mas por ignorância das mãezinhas ou dos papás, por vezes até ditos cultos, mas sem educação emocional e eles também traumatizados.

Hoje, o seu comportamento actual não se desvinculou dessas correcções traumáticas e castradoras.
 Tornou-se introvertido. Racional. Frio, reprime qualquer emoção que aflora nos relacionamentos consigo mesmo ( produzindo doença) e com os outros e causa embaraço na seu modo de viver, feliz e livremente..

2 - Você repete muitas vezes:
Eu nunca tive infância”
Isto significa que os episódios da sua meninice foram tão dolorosos. Angustiantes, que prefere apagar. Não recordar essa fase que tenta esquecer a todo o custo , mas que emerge de tempos a tempos, sem perceber nesses momentos, de onde vem a sua dor .

3 – Sente sempre que lhe falta algo?
Foram os traumas vários que desconectaram partes importantes de si mesmo, para poder sobreviver!
No entanto, falta-lhe algo importante…Daí essa sensação de estar incompleto, como consequência.

4 – Tem dificuldade em pensar sobre si próprio? Isso é-lhe desconfortável, por se sentir mal?
Este sentimento muito intenso liga-se a factos passados com os progenitores ou irmãos, figuras muito próximas, com quem se identificou em certos períodos da sua infância.

5 – Será que atrai muitas vezes, as pessoas erradas em sua vida?

Normalmente acaba por acontecer isto nos relacionamentos românticos. Laborais e até sociais,em que  cruza pessoas que lhe causam danos e sofrimento. Tudo nascido, quando era criança.

E outras perguntas poderiam ser feitas.
Entretanto, queria só deixar claro, que a partir do momento, que tem esta consciência, com ajuda profissional séria ou trabalhando estes aspectos por si, à luz do perdão. Da aceitação. Da escolha do que quer, hoje, na sua vida em que pode escolher,  tudo pode ser colocado nos seus lugares.
O passado já passou. Não tem poder sobre si , quando é isso que escolhe..
Já ouviu certamente :
“Águas passadas não movem moinhos?”

Não é de um dia para o outro que se arruma a alma, nem é assim tão fácil, mas é possível.

Está à sua espera a mudança, que o

pode libertar! Vamos a isso?

Não me lembro de nenhuma necessidade da infância tão grande quanto a necessidade da proteção de um pai. (Em "O Mal Estar na Civilização")Sigmund Freud

Lucinda Ferreira
Coimbra, 23 de Junho de 2018


Sem comentários:

Enviar um comentário