sábado, 26 de maio de 2018

PRIVAÇÃO


Textos e pretextos




PRIVAÇÃO



O que a maioria de nós leva para o relacionamento não é a plenitude, mas a carência. A carência implica uma ausência dentro de si... A carência é uma força poderosa, capaz de criar ilusões poderosas. Ninguém pode realmente entrar dentro de você e substituir a peça que está faltando. Deepak Chopra






·      A falta do amor. De auto estima. De compreensão. De de tudo aquilo que dá sentido profundo à vida, cria um vazio. Uma dor. Uma revolta. Uma carência intensa. Um  desalinhamento tal, que  leva ao homem a buscar o PODER desesperadamente. para colmatar o buraco negro onde se perde, dentro de si mesmo!

·      Viaja por mares e continentes, busca sem sossego, para encontrar a solução, para esse desespero triste e insuportável que é a carência.

·      Verdade se diga, que essa fuga ainda se torna mais assustadora, porque mais afunda o indivíduo, que assim se afasta da sua missão e do seu centro e de quem é realmente.

·      Deste modo, o homem foge das suas emoções. Desvaloriza-as.  Relativiza tudo e torna-se um “durão”. Um valente. Alguém que ninguém poderá atingir, porque ele é superior a tudo e a todos...

·      Cavaleiro andante, nunca pára. Invencível. Vive mil aventuras. Aguenta tudo. Forte. Valente e duro, suporta tudo o que vier, com o sua máscara ancestral!

·      O que é que ele busca?
·      Aventuras. Fama. Glórias. Imortalidade. 

·      MAS…quando fica sozinho, aquele imenso vazio. O buraco negro no seu peito, dói como um estigma permanente que consome em silêncio.

·      È neste momento que muitas estrelas famosas, ou outros seres humanos, no auge do sucesso,  se suicidam!
 Não têm sentido para a vida. Apesar de toda esta fachada brilhante, não aguentam o peso da solidão mais íntima, perante si próprias.

·      Nesta situação e ao ter consciência desta realidade, qual será a solução e o que fazer?

·      Parar. Compreender que esta realidade é a prova que viemos passar  uma prova real , nesta densidade , e que tem que ser vencida correctamente.

·       Conhecer que o preço da existência, traz esta vivência dual. Isto é, há momentos belos. Bons, mas…Também há o outro lado da medalha, que tem que ser experienciado.

·      Não temos que tentar ser mais do que os outros. Temos que ser mais de nós próprios!

·      Aceitar o que custa, como algo que temos que passar, como desafio de todos os humanos.

·      Queremos mais amor?
 Temos que dar mais amor . 

Queremos mais compreensão?
 Temos que tentar saber mais de nós mesmos. Compreender os outros também.

 Procurar compreender a mecânica da auto estima. Trabalhá-la.

·      Sobretudo, ligar-se à Fonte. Entregar-se, sem orgulhos despropositados .
. Confiar mais nesse Poder Infinito que existe dentro de TODOS nós, sem excepção, e que emana da Criador. Do Universo. 

·      Olhar uma flor desabrochando. Agradecendo cada momento, em que estamos vivos e com possibilidades de evoluirmos. De sermos felizes, sem complicações, usufruindo riqueza. 

Trabalhando com prazer, fazendo do que gostamos de fazer, como se fosse uma distracção agradável. Partilhando o que temos e somos, com alegria, sabendo que quem semeia, colhe!

·      Perdoar, pois o contrário é sinal de estupidez, pois só nos faz mal o ressentimento e o rancor.
·      Agradecer tudo que temos! Fixar - se nas coisas boas possuídas, abandonando a ideia das que pensamos que nos faltam.
·      Conexão com o grande Espírito. O grande Arquitecto. Deus. O Universo. A Luz, seja com o que for que nos eleve, tire da miséria da maldade, da vingança, do poder desmedido e ambicioso, do orgulho ignorante de se comparar com os outros e querer ser mais do que o vizinho, enfim tudo o que muito bem o nosso íntimo sabe que não é correcto e só nos faz mal. Nos afunda e faz infelizes.

·      Dar mais do que se recebe. 
Todos os dias, fazer o balanço, dá uma sensação de  bem estar que vence todas as carências!

·      De que estamos todos à espera, queridos amigos, sobretudo os mais tristinhos e revoltados ?

·      E  sobre a carência básica….
Cada dia a natureza produz o suficiente para nossa carência. Se cada um tomasse o que lhe fosse necessário, não havia pobreza no mundo e ninguém morreria de fome.Mahatma Gandhi
Coimbra, 26 de maio de 2018
Lucinda Ferreira

Sem comentários:

Enviar um comentário