sábado, 1 de abril de 2017

Só faltava mais esta…


Textos e pretextos

Só faltava mais esta…

 imags net

A verdadeira compaixão não consiste em sofrer pelo outro. Se ajudamos uma pessoa que sofre e nos deixamos invadir por seu sofrimento, é que somos ineficazes e estamos tão somente reforçando nosso ego.Dalai Lama



·     Vai surpreender alguns leitores esta reflexão. No final, vai gostar. Vai querer experimentar. Mudar. Só tem a ganhar. Isto, porque entendeu a verdade mais profunda do que se quer transmitir!

·     -Ai, é uma pessoa muito sentimental. Quando desabafa, até lhe vêm as lágrimas aos olhos. Tem muita pena dos pobrezinhos. Tem muito dó. Iguala-se a ele, apenas no mais deprimente.”. (Condói-se muito, mas nunca passa das palavras, à acção).
·     Coitadinhos. E nestas lamúrias, situa os outros, por baixo, não os vendo como a dignidade que merecem.
·     - Ah, sim. É simpática. – responde outra sentimentalona. Sentimentalão. E todos se julgam pessoas excepcionais, com o sentimento à flor da pele. Mortos de dor, no seu íntimo. Valorizam muito o sofrimento. Os seus iguais dizem: “Olha, como tem sentimento!”
·     Na realidade, esse sentimentalismo só prejudica a sua vida (e até a dos outros. Faz destes o caixote do lixo, com suas queixas constantes). È sempre uma vítima.
·     (Agora, a partir do momento que tem consciência disso, fará tudo para sair, se quiser mesmo ser feliz, livre de masoquismos doentios)
·      Esse sentimentalismo restringe. Prende. Fica lamentando tudo e todos. Mostra isso de pior, para toda a gente. Acha que isso é lindo. Que atrai mais simpatia.
·      Não percebe que está mergulhado num poço de dor. Sofrimento de que precisa de sair! As suas atitudes são o resultado das suas crenças. Alimenta a convicção de que ser sentimental é bom. (É só ouvir o fado português, bem choradinho).
·     Será que para o sentimental a vida é um drama ou uma comédia?
·     Raramente se situa no presente (aqui e agora.) Recorda muito as dores do passado, às quais é muito sensível. “Aqueles tempos… Aquele ambiente. Aquele namorado que era um autêntico príncipe” (se casassem, até seria sapo)
·     Especialistas afirmam que estas pessoas precisam de ajuda. Estão fora do contexto. Da realidade. Com equilíbrio algo duvidoso. Atraem necessariamente por sincronicidade, as mesmas energias de gente igual. O Sentimentalista nivela-se, com o outro, no que ele tem de inferior.
·     Normalmente estas criaturas tiveram um pai reclamando por tudo e de todos. A mãe chorava facilmente, pois lembrava-se muito do passado. Das situações ruins.
·      O sentimental sente muitas saudades. Esgota aí sua energia. Acaba por ter dificuldade em atingir os seus objectivos. Construir algo bom. Fica parado. Impressionado. Deixa-se influenciar com o que o rodeia. É tóxico. As pessoas evitam-no. Enjoam-se dele.

·     Acredito que o leitor não é sentimentalista. Isso prejudicaria muito a sua vida e a dos outros.

·      Já percebeu que ser sentimental é bem diferente que ter sentimentos, o desejável!
Por que razão?

·     Ter sentimentos vem da alma. (No sentimental tudo vem da cabeça. Está preso na ilusão É um agrado. Fica bem participar na ladainha da desgraça do outro. È simpático).
·     Ter sentimento é a coerência de ser quem se é no todo. Por isso é-se alegre. Cheio de prazer. Ama-se e celebra-se a vida, nas coisas simples. A existência, que se agradece, é um recreio (embora tenha o sentido da responsabilidade e do compromisso. Escusa, sim, de se lamuriar). Essa expansão vem da alma! Cultiva uma atitude oposta à do sentimental.
·     Para quem tem sentimentos, a vida é uma comédia. Um fluir que se acolhe confiadamente. Uma brincadeira. Uma festa. Tem um propósito delineado. Quando trabalha isso é recreio e alegria. Nunca sente a luta do sentimental, que acha que quem tem sentimentos é frio….
·     Quem tem sentimento é cheio de compaixão, de verdadeiro amor, pelo outro.
·     Sabe que pessoa atrai aquele desafio difícil para evoluir. Que está a fazer uma experiência, na sua vida.
·     Sente por ele, um respeito imenso, sabendo que amanhã pode ser ele mesmo a ter o mesmo desafio. Irmana-se num amor real, feito de apreço. Estima e compaixão.
·      Sabe que isso é circunstancial Vai ser vencido. O outro vai sair fortalecido. Vencedor. Olha-o por isso num patamar superior, com admiração!
·     Quem tem sentimentos acumula energia para construir coisas boas! Esmera-se para socorrer o irmão, quando isso faz parte da sua missão. Investe nos bons sentimentos a que está atento.
·     Recorda as coisas boas da vida. Algo bom que o deixa alegre. Celebra as lições valiosas que o passado lhe trouxe, aprendizagem valiosa que o enriqueceu.

·     Portanto atenção…

·     -Se não tem energia.
·     Se não consegue alcançar os seus objectivos…
·     Se o seu corpo sofre…
·     Se sente muito dó e piedade dos tristes, não faz nada por eles, apenas os lamenta. Os vê abaixo de si…
·     Se num sentimentalismo barato, só atrai gente queixinhas… Saudosa do passado. Sempre falando dos que já partiram. Das desgraças. Das doenças… Tome consciência disso e mude!
·     Lute para ser feliz.

Nossa tarefa deveria ser nos libertarmos ... aumentando o nosso círculo de compaixão para envolver todas as criaturas viventes, toda a natureza e sua beleza. Albert Einstein

Coimbra, 31.3.17 - Lucinda Ferreira

31

Sem comentários:

Enviar um comentário