quinta-feira, 2 de junho de 2016

Adivinhe quem sou eu…

Adivinhe quem sou eu…



Textos e pretextos
imgens net

Não será preferível corrigir, recuperar, e educar um ser humano que cortar-lhe a cabeça?Fiódor Dostoiévski




Vivemos com ele ao longo da nossa vida. Não o conhecemos, nas suas aspirações mais íntimas. Não lhe prestarmos a atenção que ele merece e exige, embora nada peça…
Não conversamos com ele. Não o mimamos. Não o poupamos. Não o escutamos quando silenciosamente ele chora. Espera que despertemos!

Ainda mais...Por vezes, violentamo-lo. Obrigamo-lo a fazer coisas que ele não pode. Abusamos dele. Há quem se vanglorie e até goste de se gabar, como sinal de valentia, sobre as vezes, que permitiu deferir-lhe os maiores golpes!
Obriga-o a fazer esforços super violentos. Superiores ao que ele pode. Sem disciplina nem atenção, não repara que ele não foi programado para isso. Somos prepotentes. Quando ele não responde, ficamos aborrecidos. Insistimos. Damos-lhe até uma droga. Um café para não dormir(…)!Não paramos as lamentações e ainda lhe fazemos mais mal. Convencidos que estamos a travar a sua impotência, contratamos alguém para o retalhar…

Vivemos com ele tantos anos e não o conhecemos!

Muitas vezes partimos para outro plano e nunca parámos para o escutar. Dar -lhe atenção. Cuidá-lo como ele precisa, respeitando-o no seu todo.

Ele é amoroso. Colaborante. Inteligente. Cada parcela mínima que o compõe tem memória. Tem inteligência. Ele espia. Conhece os nossos sentimentos íntimos. Intenções. Pensamentos. Gestos e acções. Regista tudo! Isso exerce sobre ele, tal influência que o torna saudável ou doente, conforme a qualidade dos golpes diferidos que podemos e devemos guiar. Escolher, na sua mais alta vibração, em cada segundo da existência. Quando temos consciência do seu mecanismo e o respeitamos, ele se regenera e nos dá muitas e muitas alegrias até ao fim…

Ele precisa de tudo que vem da terra, sem ser processado. Gosta do que provém de animais que têm penas e escamas. O resto dispensa e sente-se mal com isso. Tolera um pouco, mas se insistirmos, revolta-se e grita. A dor é a sua voz. O seu aviso precioso! Diz-nos que estamos no caminho errado. Fora do nosso eixo. Descentrados.

Ele é frugal. Comedido. Faz parte de um todo harmónico. È o templo do Espírito! Os exageros são mal aceites. Tal como, servirem-se dele, como de um escravo, só para fazer figura. Alimentar a vaidade e outras atitudes ainda mais escondidas (…). Ele exige consideração. Ser guiado com respeito e conhecimento do que é, na sua essência. Só assim oferecerá o seu máximo rendimento.
Contenta-se com pouco, embora preze a variedade. Não precisa de muito para ser feliz!

De manhã, gosta de uns copos de água e ficar uns trinta minutos sem mais nada. Depois, nunca lhe dê leite, senão de cabra e excepcionalmente. Insista nos legumes e frutas. Peixe, não do lago, criado com farinhas inquinadas ou menos saudáveis. Prefira o peixinho do mar, com escamas. Aquele peixe que anda no meio das águas. No fundo do mar, já sabe que existem metais pesados…A carne, bem a carne só de aves, mas se puder passar sem ela, tem muitas outras proteínas de natureza vegetal. È só pesquisar. As carnes vermelhas, nem pensar! Muito menos enchidos e outros alimentos processados.

Sofre imenso quando se metem na cocacola e nos refrigerantes, sobretudo quando nem se pode defender, enquanto criança! È uma violência o que se vê. Avós, a altas horas da noite, no “fast food”, porque é lindo e os meninos gostam dos fritos. Das gorduras (depois ficam doentes. muito obesos …).Para cúmulo, no final dão-lhes gelados. Doces., depois de terem ingerido as “gorduraças”…Uma miséria.

E admiram-se que a população esteja cada vez mais doente. Não se respira ar puro. Em vez de um passeio na natureza, vai tudo para o Shopping, inebriados pela loucura das compras…
Sem regras, nem controle, sobrecarregam se de gorduras. Álcool. Doces. Sal. Medicamentos cheios de efeitos secundários.. E pensam que com isso ,está tudo muito bem. Muito feliz.

Mas o que nos quer ele dizer?

- Nunca conversam comigo. Nunca me perguntam se havia alternativas. Se me tivessem respeitado com equilíbrio, nunca chegaria a extremos de que nem ouso falar. Sabeis muito bem no fundo de vós mesmos, o que me dói. Esquecem-se que funcionamos como um todo. Tanto nas pessoas que somos, como no conjunto em que nos integramos, o Planeta!
Cada vez que somos desequilibrados. Ambiciosos. Rancorosos. Gostamos de estar doentes, para chamar a atenção. Não buscamos o conhecimento para evoluirmos. Não nos implicarmos no nosso crescimento interior, também com consequências exteriores. universais, prejudicamos o Universo todo!

Gostam de dar nas vistas. Ser belicosos. Poderosos. Ricos e não percebem que há coisas que nunca perecem. Que somatizam tudo em mim e que seriam muito mais felizes se entrassem nos eixos.
Parece que será uma questão de inteligência ser equilibrado? Será?

Ponham os olhos nos animais …Não comem mais do que o necessário. Não se auto agridem com gula. Descansam o necessário, todos os dias. São pacíficos. Equilibrados. Mesmo que os tratem mal, ( veja o seu cão), logo de seguida, vêm ter com o dono e cobrem-no de carícias . Não são rancorosos. Nem vingativos. E muito mais…

- Pois é. O seu CORPO gosta que seja alinhado. Equilibrado. Comedido. Seguro sem vai-dades exageradas. Quando você adoece, significa que está desalinhado. Fora do seu eixo. Portanto seja saudável!
Trate bem o seu corpo, sendo responsável. Guiando o barco que é a sua vida, que será o que você fizer dela.

Não culpe nunca Deus do que acontece. Ele no seu infinito amor, fez-nos livres. A sua vida é o que você fizer dela. Colherá sempre o que semear, nunca se esqueça. Não se desculpe nunca com os outros. É o único responsável pela sua vida, haja o que houver à sua volta. Nasceu só e morrerá só. Não levará nada consigo, senão aquilo que der…Já viu a contradição?

Pense nisso. Cuide dos seus pensamentos. Sentimentos. Emoções. Corpo, respeitando-o, se não quer mesmo adoecer..

E depois ainda diz…”Ai o meu médico disse isto e aquilo…e até pode dizer: “ Só vai ter uma semana de vida… E você sente-se muito infeliz. Acredita nessa crueldade…

Veja lá, faça dos seus dias o melhor, se é isso mesmo que deseja…

Cuide-se…Se não conversar todos os dias com o seu corpo, ninguém mais o poderá fazer.
Acrescento eu agora: depois de lhe ter dito tudo isto, a sua responsabilidade aumenta…
Se temos a possibilidade de tornar mais feliz e mais sereno um ser humano, devemos fazê-lo sempre. Hermann Hesse



 Coimbra, 2 e Junho 2016 ......Lucinda Ferreira

1 comentário:

  1. Li o seu texto. Sinceramente,e pra variar, li rapidamente. Quem me dera que o tempo fosse elástico :) .
    Eu também sou uma das que muitas vezes esquece a 'carcaça' que me reveste :) . Mas também me poupo e o estimo muitas vezes. Por isso é que tenho quase 58 anos e não parece ;) . Dizem-me que é 'de familia'. Pois sim. Não fosse o cuidado que tenho comigo, a herança de nada me servia. São cuidados e estimas básicos, mas já sofri o suficiente para saber que ele é a melhor casa que tenho. É inseparável de mim. E depois o modo de ser e estar conta muito para essa preservada'aparência' chamada corpo.
    Mas, e pluralizando, sim é verdade que muiitos sabem que se esquecem da dita 'carcaça' que os protege ao longo da vida.Têm consciência disso, mas, ainda assim, nada fazem para o poupar. Julgam-se Super-Homens e Mulheres Maravilha, mas... Depois...Quando acordam é tarde. "Errare humanum est" e contra isso só mesmo os donos das 'carcaças' poderão lutar. Beijinhos e bom fim de semana :)

    ResponderEliminar