segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Criatividade , onde moras?

Criatividade, onde moras? 
imgs da net

Nunca ande pelo caminho traçado, pois ele conduz somente até onde os outros foram! Alexander Graham Bell


Criatividade não é imaginação à solta. Joga com vários outros ingredientes dentro de um mecanismo elaborado. Disciplinado.
 A criatividade consiste em encontrar novas soluções para novos e velhos problemas.

Potencialmente todos nós somos criativos. Com capacidade para gerar novas ideias.

Existem, contudo condições diferentes, naqueles cuja criatividade é mais evidente.
·      São espíritos curiosos diante dos problemas.
·      Exibem uma postura de desafio e oportunidade perante os obstáculos, em vez do sentimento de derrota e vitimização da maioria, perante a adversidade.
·      São dotados de uma grande dose de iniciativa.     


Criatividade é diferente de inovação.
Pode-se ser criativo sem ser inovador e vice - versa. O criador gera novas ideias. O inovador põe essas ideias em prática, podendo depender sempre do criador.

O criativo é um ser solitário.

Existem bloqueios que precisamos de identificar, emperrando todo o processo criativo.

·      Quando a pessoa se compara com Einstein, Mozart ou Leonardo da Vinci, sente-se uma nódoa criativa. E diz para si mesmo: EU NÂO SOU CRIATIVO.
Esta afirmação vai impedir o acto criativo.
Insiste-se e não sai nada. Um dia, acontece o “estalo de Vieira”, isto é, chega a solução desejada. O pensamento de luz acontece, enquanto relaxado se almoça ou se toma banho.
Interpretam-se as mesmas coisas, mas com um conhecimento mais profundo! Olha-se a mesma paisagem com um novo olhar, como afirmava Marcel Proust.

Outro bloqueio que acontece: É PROIBIDO ERRAR , impõe-nos a sociedade. Nós aceitamos passivamente.
- “Tenho que ser perfeito à primeira vez”.
Ninguém gosta de errar, mas temos que perceber que o erro ajuda e saber:
-“Se fiz errado, tenho que aprender outra maneira , já que esta não resulta.

Outro bloqueio advém de nos dizermos: TENHO QUE DAR A RESPOSTA CERTA:
Ora se só aceito uma resposta,, o cérebro pára de procurar outras possíveis respostas.
Neste momento praticar brainstorming  impôe-se!
Gerar muitas respostas e novas ideias, por vezes não muito lógicas. Fogem ao padrão, mas vão fazer avançar, dando respostas variadas.
O caso de uma empresa de porcelanas que precisava de resolver a situação de embalagens de material para o exterior, ilustra este ponto.
Inicialmente os objectos eram embrulhados em jornais. Ora os empregados perdiam tempo lendo as notícias. Pensou-se em papel branco ou jornais japoneses o que não resultou. Alguém no grupo adiantou:
- Furam-se os olhos dos empregados!
Impossível, mas isso trouxe a solução. Contrataram invisuais que com destreza manual excepcional foram empregados, aumentando a produtividade no caso, prestigiando a empresa pela escolha…

O ser humano cria por natureza. Na nossa essência temos a capacidade de criar.
·      Daqui a 100 anos, uma colmeia de abelhas terá a mesma estrutura e os mesmos mecanismo de funcionamento.
·      A casa humana pode ser imóvel ou móvel. É bem possível que ostente sistema de iluminação e ar, controlos remotos para tudo, sei lá quantas diferenças das actuais. (O Museu da Ásia na Turquia, que tive ocasião de visitar, já regista uma caminhada imensa.) Daqui a cem anos será imprevisível a mudança das nossas casas actuais.
·      Existe ainda outro bloqueio, filho do pensamento cartesiano ocidental: ISTO NÂO TEM LÓGICA!   
·      O pensamento cartesiano usa a lógica. Selecciona e tem uma função importante. No entanto na gestão de ideias, precisamos de pôr a funcionar o lado direito do cérebro com funções diferentes das do lado esquerdo, sendo ambas complementares, no processo criativo.
·      O lado direito do cérebro é responsável pela formação de imagens. Sonhos. Sons. Novas ideias e mesmo intuições.
·      O lado esquerdo do cérebro é lógico. Racional. Trabalha com o raciocínio analítico.
·      Daqui se deduz que as analogias. As metáforas completam o processo lógico, a fim de se atingir e compreender melhor a situação criativa.

·      Verifica-se ainda o bloqueio à criatividade que se prende com o facto de nâo se ser prático . A criatividade exige que se SEJA PRÀTICO!
Necessitamos saber que a ideia para nascer tem que ser incubada. Amadurecida. Até discutida com alguém. Leva algum tempo para nascer. Programamos o nosso cérebro para isto ou aquilo… Damos um tempo. O lado direito começa ao seu trabalho. Podem nascer ideias estranhas. Loucas que gostaríamos de desenvolver …Quando estamos relaxados, surge o que necessitamos nascido no lado direito do cérebro. Transborda a criatividade.
Notamos que o lado direito ousado necessita da contribuição do lado esquerdo para seleccionar a melhor opção que surge. `Depois é o lado esquerdo que luta pela defesa da ideia escolhida.

·      Há ainda que evitar a demasiada especialização. Há quem afirme: ISTO NÂO É DA MINHA ÁREA!
Esta visão estreita mata a criatividade. Restringe a área o que é contrário à criatividade que tem que ser ampla e livre.
( Há outros aspectos interessantes que me ocorreram. Há chefes centralizadores que tolhem a criatividade dos seus colaboradores. Nota-se ainda que a criatividade precisa de pressão para iniciar o movimento gestor de novas ideias. Os problemas , a guerra por exemplo, gera novas e muitas soluções de emergência. Claro que aqui entram outros factores: atitude. Iniciativa. Nível cultural, pois há quem se acomode simplesmente e deixe correr) que podem facilitar ou tolher o acto criativo.
Ao ler-se, pesquisar-se sobre outras áreas, muitas vezes é aí que encontramos o que buscávamos.
Não se pode fazer sempre o mesmo caminho a fim de não termos indefinidamente idênticos resultados. Ao sair da zona de conforto das nossas ideias conhecidas, criam-se novas sinapses que estimulam o pensamento. Há que usar os dois lados do cérebro. Deixar fluir tudo o que houver, ainda que surjam estapafúrdiasideias (sobre as quais depois se reflectirá.) Necessitamos alargar a visão sobre o assunto!

Após esta fase, há que ASSUMIR O PAPEL DE JUIZ!
Usar critérios e seleccionar as melhores ideias com o lado esquerdo do cérebro.

Em seguida, temos que nos munir de armadura e ASSUMIR O PAPEL DE GUERREIRO!
Quem é que não sabe como uma nova ideia mexe com as áreas de conforto das pessoas? Todos vão lutar contra algo inovador.
Daí que temos que estar cientes destas atitudes dos outros perante a nossa criatividade.
 A verdadeira diferença entre a construção e a criação é esta: uma coisa construída só pode ser amada depois de construída, mas uma coisa criada ama-se mesmo antes de existir. Dickens , Charles
Muito mais se poderia adiantar, mas hoje fica só um cheirinho sobre criatividade.
!8.1.16
Lucinda Ferreira








4 comentários:

  1. Parabéns pelo blog Lucinda Ferreira. Li o primeiro post sobre a "criatividade" e gosto imenso.
    Ainda ontem estive a debater um velho mito, que, de certa forma, mexe no terreno da criatividade.: a ideia de "se nascer «génio», com o «dom de». Debato a todo o instante este velho mito que afirma que só "os génios nascem com o dom de". Ninguém nasce com mais dom do que o outro, ninguém é "génio" por natureza. Defendo que o amor pelas coisas de que gostamos, a força vontade, o querer saber mais, a persistência e a prática contínua é que nos permite atingir qualquer objectivo. É certo que existem objectivos mais difíceis de atingir do que outros, mas com a persistente prática e a vontade movem mundos. Aqui fica mais uma sugestão para debater no seu blog, que vou tentar seguir :) .
    Obrigada pela partilha. Beijinhos e resto de boa semana :)

    ResponderEliminar
  2. Muito obrigada Inês Dourado.Quero Tb felicita lá pela sua belíssima pintura de uma poesia rica cheia de cor e alegria. Adorei toda a pintura desta grande artista, Inês Dourado. Me obrigada por tudo que nos oferece e parabéns, Bj lucinda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelas simpáticas palavras Lucinda. Bondade sua. Mas fico contente por saber que ainda existem pessoas que apreciam o tipo de pintura que faço. Um estilo que me (nos) serve para 'escapar' a todas as coisas negativas que nos rodeiam. Tenho pena que, a maioria da vezes, os "experts" do assunto não entendam, ou finjam não entender, porque é que nós, artistas figurativos da paisagem urbana, pintamos o que nos rodeiam não da forma como as coisas parecem ser, mas sim da forma como gostaríamos que fosse. Mas um dia, depois desses artistas partirem deste mundo, irão surgir 'mentes brilhantes' que depois irão finalmente entender o que fazemos. Só lamentamos é que se depois de morrermos. Mas, mesmo depois de morrermos, nem todos merecem esse modo de ver. Mas foi sempre assim. Por isso é reconfortante encontrarmos alguém que nos valoriza. Obrigada, Um abraço e continue a inspirar-nos com o seu blog :)

      Eliminar
    2. Os maiores só foram apreciados quando já não estavam entre nós.Não porque ano fossem bons , mas porque faltava o distanciamento. Quando é bom mesmo custa a digerir e a dar o devido valor. Nunca desanime! As suas pinturas são maravilhosas! Só quem carrega a beleza em si, é capaz de ver a beleza que nos rodeia.Mas lea existe e está lá. è como a criação que Deus nos oferece.Na simetria e na maravilha de uma simples florinha cabe o Universo para quem tem olhos e alma para o sentir. É igual com a Pintura de Inês Dourado. As suas criações são poemas escritos com cor e muito amor o que nós muito lhe agradecemos. Força, querida! Bjs Lucinda .

      Eliminar