sábado, 8 de agosto de 2015

Refilonazita, hein!



Textos e pretextos

imagem net
Refilonazita, hein!






I Ching, compilado em 3000 a.C …guardando a sabedoria de gerações e gerações, diz que era costume a mulher mais velha escolher para seu marido, outras mulheres mais jovens, sujeitas à sua jurisdição.
Conta-nos isso e muitos outros interessantíssimos factos que me regalo em saborear.

O I Ching hoje vem a propósito, pois falarei num casamento mal sucedido em que uma terceira personagem deve destronar outra, considerada por muitos como a Rainha da casa…

O casamento íntimo, entre a  senhora dona Mente e o Ego  fazem o inferno de muita gente e dos que estão próximos, se nada mudar para sair disso.

Vejamos….

Quem é que nunca sentiu que estava com medo? Estava triste?

Sim. Quem é que nesse preciso momento, entendeu que embora com medo…Estando triste, não era o medo, não era a tristeza? Talvez poucos parassem para analisar esse facto. Era muito importante tê-lo feito.

Saber veemente que não se é esse sentimento, mas é a pessoa que percebe esse facto, faz toda a diferença.

Se precisar da Mente como ferramenta, no estado de calma e serenidade, esta pode prestar bom serviço. De contrário, veremos que o domínio desta sobre o EGO, é altamente destruidor.

Se a senhora Dona Inteligência Maior. Viva. Real, não intervém é o caos! Se é ela que comanda, maravilha.
A preciosa recomendação da senhora dona Inteligência aconselhando o á vontade com o não saber, é para seguir à risca.

Qual a razão fundamental deste ponto?

A Mente o que mais teme, é o não saber! A Mente precisa alimentar-se permanentemente com a corrente de pensamento imparável,  para afirmar a sua identidade. O sentido de ser.
Assim,  o casamento será perfeito com o Ego que se cria e recria constantemente!

Ora o chefe, Eu mais profundo, a quem chamam EU SOU, dá conta que há uma voz na cabeça que não pára de falar. Pretende ser a pessoa. Cuidado! Sinal de alerta.

O Eu Sou, que não tem nada a ver com passado nem futuro, detecta que essa voz é apenas a corrente de pensamento. Por detrás dessa voz, tem que existir a consciência desse pensamento que é o próprio  indivíduo.

Eis desvendado o segredo vital do equilíbrio.

Ao ter consciência do presente, esta Inteligência superior à inteligência auto centrada, entra no comando da vida. As nossas acções tornam-se eficazes. Gratificantes. Satisfatórias.

Ao contrário, viver pelo EGO torna tudo está errado.

Se você "não dá ponto sem nó". É isso. O Ego nunca está no presente, mas há qualquer coisa no futuro, com intenção subentendida. Para atingir objectivos escondidos. Por outro lado ,está sempre insatisfeito. Se atinge um objectivo, logo está a pensar no próximo. No futuro, nada o satisfaz.

O leitor sente-se vítima da vida? De alguém?

É isso.Todo o Ego tem a identidade de vítima, seu ponto central . Mesmo com causas justas, não se faça de vítima. Cria uma prisão cujas grades são formas obsessivas de pensamento.

Veja a ligação emocional com a sua história de vítima. Aperceba-se se tem compulsão em pensar ou falar dos seus problemas.

É muito urgente perceber o que está a fazer consigo mesmo.Tome o leme da sua vida. agora mesmo!

Às vezes, parece que a evolução mais profunda do ser tem a ver com o seu nível de compreensão (...) do que se apresenta para seu bem.
 Ao investir nos aspectos mais prementes, liberta-se. Transforma-se. É feliz. De que é que está à espera?

Pergunto : é refilona? Reclama por tudo e por nada? É reactiva? Tem uma pontinha de inveja pelo saber… Poder… Bens do outro?

Reclamar. Reagir.Ter inveja…Ter complexos de culpa… Tem a ver com o Ego auto concentrado que tem necessidade de conflito com algo ou alguém para se afirmar
- “isto sou eu. Aquilo não sou eu”. A identidade deste Ego doentio tem a ver com a comparação constante com os outros.

A tal senhora dona Mente fortalece o apego.
Quando nada funciona, considera a vida injusta. É sempre a mais doente e a mais infeliz…

Tudo isto explica que as pessoas dizem que querem a alegria. A paz e Amor em suas vidas, mas existe uma total incapacidade para tal, pois a sua Mente condicionada está viciada em ser infeliz, até compreender o mecanismo e assumir a mudança.

 A Culpa é outra forma que o Ego tem de criar uma identidade negativa. O Ego personifica fracassos, que são apanágio do humano…Não pode fazer finca-pé nessas fraquezas...

E continuaria,mas o espaço urge e…Tem que se acabar aqui.

imagens ne





Lucinda Ferreira ...Ladyvalleflor@gmail…com..8 de Agosto 15



Sem comentários:

Enviar um comentário