domingo, 2 de agosto de 2015

A Casa da Minha Alma

Textos e pretextos


Casa da Minha Alma

fotos net


"
​ ​
​​
I'm Not the Only One
​ ​
​    
​​
http://www.smule.com/p/412178002_151912903
 ( a minha neta leonor, 11 anos a cantar)...

  • A Casa da Minha Alma é uma casa ampla. Toda envidraçada, com muitas plantas e muita luz  onde mora a Senhora Dona Música como Rainha, casada com o Senhor Teatro. Sonhavam ter vários filhos. A Pintura….A Literatura…. O Canto… A Poesia… Seriam alguns desses filhos.
  • A Casa da Minha Alma é próxima de um lago e do Mar.Tem muito verde e um lindo jardim à volta. Há sempre flores desabrochando. A Casa da Minha Alma está inserida na Natureza. Mal acordo, o Sol entra sem cerimónias pela casa toda. Os passarinhos fazem ninho nos beirais e nas árvores circundantes.
  • Mas…Essa Casa da Minha Alma nunca se abriu para mim!...
  • Assim passei a vida adiando um sonho, para resolver os problemas dos meus Filhos de carne e osso. Dos meus Pais. Da Família e dos Filhos dos outros!
  • O chamamento da minha alma ficou sem resposta. A porta da Minha Alma nunca se abriu, com muita tristeza para mim!

Em tempo de balanço, tenho saudades da Casa da Minha Alma que apenas vislumbrei em sonhos. Que nunca pude visitar e habitar.

Assim, quando há tempos, a minha Neta Leonor me dizia: “parece que tenho tendência para as Artes, Avó”. Já conta com aprendizagem de seis anos de estudo de Violino. Este ano no Conservatório foi admitida em aulas de Canto. No Teatro, a professora dizia-me que ela era “uma bateria de energia, com um jeito particular para o Teatro ”.
"
​ ​
​​
I'm Not the Only One
​ ​
​    
​​
http://www.smule.com/p/412178002_151912903
 ( a Leonor a cantar com 11 anos...)


  • Também meu Neto João Pedro, brilhante nos estudos, foi escolhido pelo Professor para se iniciar no estudo de Violino, o que me enche de uma profunda alegria.

Quem sabe os meus Netos vão habitar a Casa da Minha Alma que tem esperado por mim a vida inteira sem resposta? Oxalá, mesmo que já cá não esteja (...) e apenas as estrelas os contemplem…

  • Depois de uma viagem durante algum tempo que fiz à Holanda, comecei a pintar e fundei um grupo de Pintura, TELARMONIA, que me deu alguns rudimentos técnicos. Abriu horizontes para pessoas minhas conhecidas, homens e mulheres. Algumas pessoas com quem tive de insistir bastante por vezes para experimentarem, têm prosseguido. Descoberto a imensa beleza que desconheciam guardar dentro de si mesmas.

(Aliás, este trabalho de encorajamento e ajuda na auto-descoberta em muitos campos, tem sido o que sempre melhor soube fazer e tenho feito ao longo da vida. Será ainda uma vertente da Arte de Amar? Faço isto com verdadeira entrega e paixão. Não sei fazer nada que não seja com esta força do que sou e carrego em mim, em cada coisa que faço.)

  •  O Canto foi algo que descobri e aperfeiçoei um pouco em apenas algumas aulas particulares.Dedico-me a ele  ainda hoje tanto quanto possível, com alguma satisfação.
  • Quanto a este fogo que vive em mim sobre Música, meus Filhos foram iniciados ambos com cinco anos. Tem sido um bálsamo precioso na vida de um deles, nos momentos mais duros.
  •  Também fundei o Coro dos Pequenos Cantores de Coimbra em 1982, que fez muitas Crianças e Jovens muito felizes. Alguns optaram pela entrega à Música com carreiras brilhantes que têm sido os seus percursos. Os seus projectos de vida.

  • Sobre o Teatro, penso nisto muitas vezes...

Foi ainda na Escola do Ensino Primário que me lembro de um papel que desempenhei em que era um militar que ia para a guerra…
Claro que hoje sei, que com crianças não se faz teatro, mas dramatizações apenas. Naquela altura o que aconteceu, foi importante e marcou-me.
No Colégio, mais tarde, entrei numa peça em que “era” uma velhinha. De tal maneira me entreguei ao desempenho, que ninguém me reconheceu…
Estudei Teatro mais tarde na Universidade de Toulon, em França. As opções dos meus Cursos aqui na Universidade de Coimbra teriam de ser em Arte!
Estudei História do Teatro com o Professor Barata, um apaixonado por esta arte de representar. Mesmo na aula, obrigava-nos para nosso grande gozo, a mostrar o que valíamos na parte prática…

Nos meus tempos livres, apresentei e organizei espectáculos durante quinze anos. Algumas vezes disse textos da minha autoria e outros.
Confesso que estar em palco exerce sobre nós um fascínio tal que ao abandoná-lo, dói muito.
Ser professor e no ensino superior principalmente com adultos, é estar sempre em causa. Em “palco”….


  • A História da Música foi outra descoberta lindíssima. No final, tínhamos que aprofundar um tema na área que mais nos tocasse. Escolhi a Ópera e concretamente, A FLAUTA MÁGICA que jamais deixou de povoar o meu espírito pela sua beleza e ideal. Tenho esse trabalho para publicar um dia destes. Tive uma nota esplêndida. Foi um trabalho que fiz inteira e por amor. Ainda hoje revejo A Flauta Mágica com um prazer sempre novo!  Tudo o que gostava de aprofundar. Praticar, na Música nunca foi possível, como a minha alma  me pedia.

Se voltasse a nascer, queria ser toda da Música e só dela…
foto net


Sem comentários:

Enviar um comentário