domingo, 2 de novembro de 2014

ARMADILHAS

Armadilhas
imgem net
Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças 
Charles Darwin
Creio que a importância do Evangelho de Jesus em nossa evolução espiritual, é semelhante a´importância do Sol na sustentação da nossa vida física.



Estar vivo é o maior milagre da existência humana!
Quantos meninos foram. Vão para o esgoto. Para o lixo. E nós estamos vivos!
O primeiro acto de gratidão que temos que praticar, mal acordamos todos os dias, é agradecer por estarmos  vivo!
Mas existimos para quê? (Já que por quê se vive, nem sempre se sabe...).

Viver é lindo. Adoro viver.
Exige suave disciplina. Respeito por nós próprios. Pelos outros.Pelo Planeta Terra em que vivemos. Por tudo o que a Terra contém.

Somos um ser espiritual a fazer uma experiência na densidade.Na negatividade.Nas sombras .

As dificuldades que atravessamos. O modo como reagimos a estas, são os testes constantes em cada segundo da nossa existência. Contam os pensamentos. As palavras os gestos.As intenções.

Quando ia hoje em viagem, fez se luz no meu espírito sobre alguns aspectos da nossa caminhada.
Muitas vezes, sabemos as coisas na cabeça, mas ainda não as integrámos. Não desceram ao coração. Não têm força para influenciar os nossos comportamentos.

A vida é como uma Escola.
Para passarmos de ano. Evoluirmos.Aprendermos novas matérias, temos que ir todos os dias às aulas ou pelo menos estudar. Pensar nas matérias. Escutar a orientação de quem tem esse papel ou até podemos ser autodidactas.
È sempre preciso fazermos um esforço com a nossa vontade, focarmos a atenção para alcançarmos os nossos objectivos.Vencer dúvidas. Dificuldades, na aprendizagem. Temos que ter paciência.Tempo para estudarmos. Repetirmos. Assimilarmos.
Podem nos ajudar, mas o empenho é sempre pessoal.Os frutos são sempre de quem investiu.

Sofrer perdas. Mágoas. Doenças. Abandono.Traições, é treinamento com tarefas que podem ser cada vez mais pesadas, até aprendermos as matérias. E se o conhecimento das lições adquiridas não influenciam a nossa caminhada, para que serve esse saber?
Aliás com o tempo, a mestria, a sabedoria, presume-se que ampliem o nosso horizonte. Pode até nascer o prazer da partilha.

Viajamos para conhecer in loco, as culturas. Vamos a congressos. Encontros. Por vezes, até há quem precise de explicações extras aulas para alcançar o grau almejado. 

O acto do CONHECIMENTO nunca está completo!

Ao estar atentos. Despertos, todos os dias colhemos frutos de qualquer acontecimentos e de com quem cruzamos e ou comunicamos.
Tudo é motivo de gratidão, sim senhor!
Mesmo na crueza da ofensa. Da traição. Da dor, há uma leitura. Uma mensagem subliminar a reter, que  enriquece.

É justamente aqui que se percebe o valor da aflição.Dos tormentos…
 O Criador dá-nos a oportunidade de estar neste plano. Na densidade. Nas provações.Nas dificuldades.Na dor.

Ele respeita a liberdade com que nos dotou.
 Não é Ele quem  manda as guerras.  A fome. Os atentados. A violência social.A doença das crianças ( muitas vezes se aprendem duras lições.Se operam transformações incríveis  numa famíliagraças ao que acontece  aos que  mais amamos e que vieram em missão).
 O Universo não interfere. O Criador dotou-nos de livre arbítrio. Somos livres de ser  correctos ou venenosos uns para com os outros.

Atraímos cada um de nós, o que necessitamos vivenciar para nessa prova, percebermos se podemos ou não passar ao grau seguinte.

A evolução é pessoal. Individual.Uns vão mais adiantados do que outros.

A docilidade. A humildade. A aceitação. A entrega, são factores que apressam o crescimento interior. 
Limpam. Arrumam o que temos que experimentar.
 Repetiremos tantas as vezes a experiência da dor, quantas vezes precisarmos. Há quem corrija a caminhada logo à primeira pela compreensão da utilidade experiencial. Também há que se revolte.Se feche. Crie cada vez mais raiva. Entre num círculo infernal de auto destruição. Vingança. Destruição do outro.

Tudo está em aberto para todos!
A mesma experiência para um, é fantástica. Para outro, é destruidora.Motivo de revolta extrema.

Recordo o caso de uma senhora de mal com a vida, que se atirou para debaixo do comboio.Ficou sem pernas….Sobreviveu. 
Hoje é apaixonada pela vida.Lidera um grupo de deficientes.Diz ser uma pessoa feliz ajudando muita gente.

Lição dura. A que violência teve de se sujeitar. Se expor para despertar.Para compreender o valor da sua permanência entre nós!

 Multiplicam-se as dores até se aprender a lição. Os que não conseguem à primeira, terão de repetir tantas vezes até recuperarem o ser original que na verdade são.

E já agora,uma recomendaçãozinha: 
lembre-se que quem semeia ventos, colhe tempestades…Quem com ferros mata, com ferros morre.
Fica assim claro, o acto inteligente de corrigir toda a auto flagelação que somatiza e produz a sua doença (vinganças. Não perdão…,etc.A curto ou longo prazo, se sentem na matéria, como maleita.).

E uma vez que fazemos parte de um todo, ofender.Violentar.Pretender exercer qualquer tipo de violência. Manipulação sobre o outro, consciente ou inconsciente, responsabiliza e complica apenas a sua própria vida, a maior parte das vezes.O outro já está noutra. O ofensor teima em suas intenções malévolas. Ridículas,...Que espelham apenas os seus traumas não resolvidos. A sua carência e o seu íntimo sofrido. Distorcido.Ridículo, sem disso se aperceber.
Cuidado com as armadilhas!
Deixo lhe umas dicas em que também penso:
·       “Toda a reforma interior e toda mudança para melhor,dependem exclusivamente da aplicação do nosso próprio esforço.” Immanuel Kant
·       Não, a vida não é uma festa permanente e imóvel, é uma evolução constante e rude. Ramalho Ortigão
2.Nov.14 ..Lucinda Ferreira
 


 


Sem comentários:

Enviar um comentário