sábado, 7 de junho de 2014

Poema a André Bocelli

A André Bocelli



Fecho os olhos.

Quero ver mais longe.

 Sentir mais fundo.

Fecho os olhos … Beijo intensamente.

Fecho os olhos. Sonho.

  Imagino-te no meu Mundo!

Mais uma vez

Fecho os olhos.

Quero ter a certeza.

Sentir a leveza de ser tua.

Tudo é verdade.

 Intenso.

Liberdade.

Dentro de mim

Desabrocham Primaveras.

Extenso jardim.

Olhos fechados!

… As flores que me dás em segredo.

Timidamente. A medo.

Flores, canções de amor

Vindas do fundo do tempo

Luz das estrelas

Presa no centro do teu peito

Em forma de Coração

São flor e canção

Melodia

Harmonia

E não paras de cantar

Sentindo intensamente

A vida , o som da onda

O Sol quente

A minha mão na tua.

Não vês a lua.

Mas sentes como é bela

E da tua-minha janela

Sabes como S.Exupery

Só o coração vê

Sem porquê

E pões- te a cantar

Sem parar

A nossa canção proibida

Inventar a  vida

Até tocar o Céu!

Não importa o véu

Do teu baço olhar

A voz ora espada ora mel

Sempre doce. Arredondada.

Inconfundível. Penetrante.

 Só pode ser André Bocelli

Amor… Amante!
                                                       Coimbra, 23.10.12 


5 comentários:


  1. Maria Correia e Quinita Pimentel gostam disto.

    ResponderEliminar
  2. Lusitano Martins Dos Santos Li e gostei muito. Será que entendi?
    há 2 horas · Gosto

    ResponderEliminar
  3. Maria Correia e Quinita Pimentel gostam disto.

    ResponderEliminar