quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Internalidade e externalidade




foto da net
Internalidade e  externalidade



A felicidade depende mais do estado de espírito do que das circunstâncias exteriores. Orison Swett Marden



Jovens, embora tenhamos uma educação virada para o espírito, cheios de entusiasmo para vencermos na carreira profissional. Na construção de uma família. No aspeto social e até artístico, lutamos com afinco para alcançar o sucesso. Cumprirmos as exigências exteriores a que ficamos sujeitos.
Passada essa fase, desaceleramos um pouco.
Temos uma folgazinha para reconsiderar as nossas opções.
Fazer o balanço do que foi a nossa vida.
Impõem se novas  exigências  que o crescimento constante exige de cada um de nós, até estarmos vivos.

Assim, mais livres para a leitura. A reflexão. A relação com o divino é mais próxima.
Passamos  a saborear o verdadeiro valor da paz. A leveza da Alegria e até do Amor mais puro e incondicional.
Abrem-se novas janelas para as artes. A escrita.
A vida vivida mais intensamente no nosso interior, como uma bênção.
 O tempo da partida e da licença acabada, pode surgir em qualquer momento das nossas vidas, mas agora está  mais próximo.
Cada dia que vivemos é menos um dia que nos resta para nos aperfeiçoarmos. Sorvermos a vida com a intensidade de quem sente que este pode ser o primeiro e ultimo das nossas vidas.
De toda a caminhada, partilho com o leitor, descobertas que a vida me tem trazido, como um ramos e flores odorosas e coloridas.
Falo da internalidade que Roter tão bem explicou. *( Julian B. Rotter em 1966 em seu artigo "Psychological Monographs". ).
 Isto é:  tudo o que é verdadeiro. Isento. Autêntico , necessário à nossa felicidade , está dentro de nós.
Entrar no nosso santuário, é o momento de plenitude que nada nem ninguém pode oferecer, nem retirar  ao ser humano.
È um estado de beleza absoluta. De serenidade. De comunhão com o Universo. De absoluta conexão com Deus e com o infinito.
Só quem experimenta , sabe que o que digo. È  já a vivência do Céu . Da eternidade neste plano de confusão. Desbaratado. Cruel e agressivo.

Não é um alheamento a nossa atitude. Antes  demais é uma escolha.
Logo a seguir, é um espaço de forte intervenção a nível da energia e do espirito, que muitos não têm como real ,por não serem percepcionadas pela maioria , nem estarem neste nível de sensibilidade.

O pensamento é uma força tão poderosa que movimenta todo o mundo. Veja por exemplo tudo que existe à sua volta. Inicialmente nasceu no pensamento de alguém.

A postura ocidental faz propostas de externalidade.
Aprende se a pôr a felicidade na mão dos outros. Nos elogios e nas críticas. Nas riquezas. No poder. No status. No amor do outro.
Nada mais errado!
O amor, pex está dentro de nós . A beleza a mesma coisa. A paz também. Ora se estes valores não estiverem em nós, o mundo é confuso e agressivo. Quando tentam manejar-nos, não sabemos defender- nos. Não há defesas nem hábitos de comunhão com a nossa paz interior.

A minha proposta para hoje é muito simples: guarde todos os dias para si mesmo um espaço de reflexão e encontro.
 Procure auto-conhecer-se. Reforce seu poder interior. Preserve a sua paz de todas as investidas, mesmo que venham enfeitadas de lisonja e aparente positividade.
A sua paz é a maior riqueza  que possui. Ninguém a poder destabilizar sem sua permissão .
 Vai ao seu santuário e reformula-se. Reorganiza-se. Reforça o diálogo consigo mesmo.
Convicta e até gentil , passa imune no meio da guerra e da confusão mental de quem pretende contagiá-lo e contornar a questão para levar até ao fim o seu objectivo.
 Preserve a sua saúde mental. Espiritual. Artística e consequentemente a  saúde física receberá  assim grande beneficio.
E como se define no preâmbulo da Constituição da Organização Mundial da Saúde: saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doenças.

Virando se mais  para o seu interior, não se deixando embalar pelas ilusões da externalidade, esta  passará ocupar o lugar que lhe compete e nada mais.
Afinará  a sua vida por um modelo feliz e saudável no meio da maior borrasca.!
Lucinda ferreira
 30.janeiro 2014
 linamre7@gmail.com
------------------------------------------------------------------------------------------
* Julian B. Rotter em 1966 em seu artigo "Psychological Monographs".
 Locus significa lugar em latim. Neste sentido, caso uma pessoa tenha um locus de controle predominantemente interno se sente mais no controle de sua própria vida e sucesso, exigindo mais de si mesmo e se concentrando no que pode fazer por conta própria para lidar com os problemas atuais enquanto uma pessoa com locus de controle predominantemente externo sente que fatores externos tem um controle maior na sua vida, exige mais dos outros, tem uma maior depedência emocional e funcional e são mais afetadas por críticas e elogios.


Sem comentários:

Enviar um comentário