quarta-feira, 18 de julho de 2012

VISITA


VISITA

Hoje,
Acordei à pressa.
A palavra
Crescia em meu regaço
Até já não caber mais.
O que era cansaço,
Ais…
Fez se festa. Visita antiga,
Esta!
O pão fez se espiga
O amor fez se luz
A palavra, amiga.
A saudade é um lírio roxo
Crescendo dia e noite
Sem parar!
A vida
Fez se esperança
Liberdade
Promessa
Segredo…
Dentro de mim,
Tudo se tornou flor.
Neste novo jardim.
Quando voltar para casa…
Voarei feliz
Sorrindo
Contente
Grata a toda a gente
Que cruzei
Amei.
Grata às palavras
Gentis
Delicadas.
Disponíveis. Coloridas. Sinceras .
Amadas!
Sonoras. Vivas. Puras. Nuas.
Trazendo cestadas de alegria
Em dias mornos de saudade
A vida fugidia. Dormente
Solitária. Sem gente…
Eis que a palavra sussurra
Mundos novos
Para eu organizar
Oferecer.
Enfeitar.
Vestir de sedução
Novidade gostosa
Rosa. Comunhão.
Cânticos de luz arrancados à Natureza
Brotando do chão
Cascatas de cor
Espreitam em cada flor
E a palavra dourada
Esconde se no meu peito
Muito a seu jeito, aconchegada
Até ser noite
Até ser de novo Madrugada.

                                                                                                 Coimbra, 18.7.12
                                                                                                    Lucinda Ferreira

4 comentários:

  1. É nas Palavra que alma se lava para trazer à vida tanto segredo escondido ávido de ver a luz.

    ResponderEliminar
  2. Lindo poema! A palavra tem realmente muito poder! Bjs

    ResponderEliminar
  3. Querida
    Linda poesia em que você deixou jorrar a emoção.
    Tão bom mostrar-se, revelar o que existe de belo dentro de nós!
    Lembrei-me de suas palavras sempre inspiradas em nossas conversas, procurando dar-me forças nas horas difíceis. Amiga - emoção!
    Beijinho

    Estela

    ResponderEliminar
  4. O Estelinha também os outros arrancam do nosso coraçao essas coisas , pq sentimos que temos eco nas suas almas. Tu és mt especial , querida. Beijos

    ResponderEliminar