sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

AMOR! Coerência Cristã..


Textos e pretextos


AMOR!
Coerência Cristã!


img net





Tenho pensamentos que, se pudesse revelá-los e fazê-los viver, acrescentariam nova luminosidade às estrelas, nova beleza ao mundo e maior amor ao coração dos homens. Pessoa , Fernando








Um dia um fariseu, obcecado por sua própria virtude, vangloriando-se, entrou no templo e orava assim: eu pago o dízimo. Cumpro a lei escrupulosamente, participo religiosamente nos cultos determinados, faço isto, faço aquilo…e não se cansava de se sentir perfeito e consolado com um comportamento irrepreensível.
(Faltava-lhe o essencial: A humildade e sobretudo o AMOR!)

Por seu lado, o publicano, sentindo a sua imperfeição, apresentava-se humilde. Confiante na misericórdia de Deus.

Donde, Jesus disse«...porque todo o que se exalta, será humilhado; mas o que se humilha, será exaltado.» (Lucas 18:14).
E começando por aqui fora, reparo e medito na minha própria fragilidade e dos irmãos, que andam nas igrejas e dizem muito amar a Deus, mas o AMOR , não existe na maioria dos corações, conforme mostram os seus comportamentos e até palavras!

As pessoas só querem os seus problemas resolvidos, por isso vão à igreja.
Esperam que tudo lhes corra à medida dos seus desejos. Ora Deus, muitas vezes, como um pai consciente que sabe amar, não dá o que pedimos, mas aquilo de que precisamos para evoluir. E se Deus não faz o que se pede, revoltam-se contra Ele. Vociferam mesmo.

Acontece que fomos nascidos para aprender a amar mais e melhor! Construir. Com oportunidade de colaborar na obra da criação.
Não apenas para receber amor, mas para dar amor.

 Se todos soubessem esta verdade subliminar, ninguém sentiria falta de amor, pois no próprio acto de amar, já esta contida toda a maior e mais pura alegria. S.João é bem claro, diz muito mais do que isto, o que convêm ler, sem perder mais tempo…

“Amados, amemo-nos uns aos outros; porque o amor é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor.
1 João 4:7,8”” 1 Amados, se Deus assim nos amou, também nós devemos amar uns aos outros…se nos amamos uns aos outros, Deus está em nós, e em nós é perfeito o seu amor…Nisto conhecemos que estamos nele, e ele em nós, pois que nos deu do seu Espírito.1 João 4:12,13
E chegamos a outra passagem muito importante nesta sequência  do evangelista João. “Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu?1 João 4:20

E já agora urge acrescentar, a murmuração. O julgamento. Os falsos testemunhos e a leviandade de falar mal dos outros, têm um preço muito alto. 
Trazer recados de alguém que diz que disse, é outra nuance de maldade a combater. Ou irreflexão. Falta de bom senso.

Revela a tal falta de amor. As pessoas matam assim aos bocadinhos  irreflectidamente ou por hábito, o  nome. A alegria. A vida dos irmãos que odeiam, no fundo.
Outros dizem que " Não têm um pingo de amor no coração". Ousam mesmo afirmar, no seu imenso egoísmo e tacanhez.  Embora por outro lado, fanaticamente afirmando, que amam muito a Deus!

A vida não é uma brincadeira. É algo precioso e muito sério!  
Há distracções que são facadas no coração do outro. Há que ter muito cuidado, irmãos!

Em Coimbra, a má língua. A murmuração . A falta de amor. Incoerência e leviandade cristãs são confrangedoras.

A inveja é outra lepra deste pessoal pseudo culto e ou dizendo-se cristão, o que ainda surpreende mais.

Não falando das ilhas dos deuses prepotentes e dos colegas "sanguinários", que movem processos contra os colegas, para alcançarem o melhor lugar superior ao outro, o dito "poleiro", a todo o custo.

Passei por estes lugares, no meio do maior espanto e surpresa, de algo antes nada visto. Ainda me atingiram com uns salpicos de veneno…

Pensando eu, que sendo mais culto e inteligente, o intelectual, obrigaria a um comportamento mais civilizado. Correcto. Enganei me redondamente.
Neste meu desabafo, alguém que sofria os efeitos na pele, respondia-me: “ Aqui é o ódio e a traição” e mostrava-me os efeitos no deu corpo..

Confesso, que me dói profundamente, tocar em todo este lixo. Não ter outro modo de abordar tanta falta de amor. Falta de correcção e de respeito dos que dizendo se cristãos, são tão maldizentes e  faltos de amor entre si.
Ou os que se crêem os "supra sumo" da inteligência e são tão mesquinhos. Prepotentes e ligados em aparências e poder, que se torna confrangedor. Ridículo.

Noutras épocas, houve mortes, que podiam ter sido evitadas, associadas a estes factos. Estudantes desesperados assassinavam mestres prepotentes. Injustos e inacessíveis.

Lembro só que a vida é curta! De repente , tudo acaba.

Que o coração enriquece pelo que dá.
 Mestres, é preferível ser amado do que temido. A soberba e o mando não confirmam a superioridade de quem quer que seja.

(Será que a defesa intransigente. Obsessiva e sem apelo, de certos (...) conceitos, não contraria a atitude, da culta Grécia Antiga, em que o mestre, amistosamente passeia, dialogando  com os seus discípulos, enquanto a ciência e o progresso avançam, neste diálogo despretensioso.Seguro. Autêntico, na busca conjunta do Conhecimento?)

Todos morremos de igual modo. Todos somos “pó . Cinza e nada”
Às vezes, questiono – me, se a bondade será um questão de lucidez. De inteligência do Amor…De um QE elevado!

Os animais são mais amorosos que o homem, lobo do homem…
E para os irmãos, recordo mais uma vez, que seremos julgados pelo Amor e pelo Perdão. Sem isso,  nada fará sentido.

Entre os Cristãos, “VEDE COMO ELES SE AMAM” anda pelas ruas da amargura. O nosso coração fica inundado de tristeza.

Querido Diógenes (403- 323 a C), volta com a tua lamparina e ajuda - me a encontrar, onde estão os verdadeiros homens e mulheres, em que o seu rosto só tem uma face.

Em que o seu sim seja sim e o seu não seja não, para não ser necessário estar sempre com os animais, evitando o desgosto do desamor, ao estar com os humanos tão desumanizados..

 Conseguir descobrir alguém com quem partilhar o amor, nem que seja, para não seres mal julgado. Evitado, por não pactuares com a má-língua. Difamado, chamado de perigoso, por veres para além das aparências, o que as pessoas escondem! Veres por detrás das máscaras e da viscosa hipocrisia...

 Livre nos Deus dos lobos, disfarçados de cordeiros…

Como sinto,  sou obrigada a pensar  como Einstein , Albert

Penso noventa e nove vezes e nada descubro; deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio - e eis que a verdade se me revela.

Lucinda Ferreira
 Coimbra,  23.12.16


Sem comentários:

Enviar um comentário