domingo, 8 de maio de 2016

Querida Dor, que mal te fiz desta vez?



imgs da net




Querida Dor, que mal que te fiz desta vez?

As dores ligeiras exprimem-se; as grandes dores são mudas. Seneca




·      O silêncio é tão importante, como o ar que respiramos. De vez em quando temos que fazer o balanço. Reforçar a intimidade connosco. Carregar baterias. Dar um salto. Recomeçar de novo.

·      Reparámos desta vez, que as nossas acções. Pensamentos. Palavras. Sentimentos se entranham no mais íntimo de nós mesmos, a nível dos músculos. Nervos. Ossos. Sangue. Órgãos. Células e átomos…Do DNA. Construímos um corpo através das informações que lhe vamos fornecendo!

·      Infelizmente, nem tudo o que se faz, trabalha a favor da nossa essência. Do nosso ser. Do nosso bem maior. Do nosso corpo, também incluído.

·      O nosso físico, esse sim, trabalha em nosso benefício. É inteligente e espreita o nosso mínimo gesto e por isso quando o agredimos, emite sinais.
.
·      William Shakespeare diz que "Chorar é diminuir a profundidade da dor”, mas A  DOR é o grito de alerta que o corpo nos lança. Uma informação segura de que algo não está bem. O modo como o não respeitamos, afecta-o. Ele dá-nos todas as pistas. Precisamos estar atentos e observá-lo com carinho e gratidão. Conversar com ele. As nossas células são inteligentes!

·      Agora mesmo, páre e veja se o seu corpo lhe está dizendo alguma coisa… Tente perceber as causas. Os motivos do desconforto, se ele existir, e faça algo por si mesma.

·      É uma chamada de atenção para pararmos. Revermos comportamentos. Atitudes. Gestos. Os mínimos movimentos. Analisarmos tudo o que atrás referi, no que concerne às nossas escolhas de cada segundo e comportamentos.

·      Criamos bloqueios? Tensões? Cultivamos o veneno das preocupações? Medos e pensamentos negativos? Inveja? Raivas? Ressentimentos? Ambição desmedida? Desonestidades? Tristezas? Mágoas? Vitimização? Autocompaixão? Críticas e maledicência? Julgamento dos outros e não análise dos factos? ...etc …etc…

etc…Durante anos e anos dependendo do modo como conduzimos a vida, vamos trazendo para o interior, um mar informações que se vão gravando. Nada se perde. Muito lixo escusado ou não? Pergunte-se…Respeitámo-nos sempre? E aos outros?

·      Com estas atitudes gera-se a tensão. Rigidez. O corpo não se consegue alinhar. Equilibrar. A pessoa não consegue relaxar. Tem dores de cabeça. Dureza na nuca. Nas costas. Braços. Ombros. Pernas.

·      Quando se pretende fazer alongamentos. Exercício. Alinhamento, o corpo reage mal, dado que isso não é natural para ele, pois já gravou a informação de que precisa estar sempre tenso! Está habituado a estar sempre no limite de tensão e rigidez, então rejeita essa mudança e vai adoecendo.

·      .Está a ponta aberta, por onde temos que começar, com urgência, para sanar a dor e males maiores.
·      Corrigir atitudes e lentamente abandonar esses padrões de tensão…

·      (Os analgésicos são a expressão da maior alienação…Cura-se tudo com drogas. Em vez de se trabalhar a evolução. Bons costumes. Alimentação saudável e controlada. Exercício. Higiene nos pensamentos. No sono (lá vai mais uma droga para adormecer a consciência…) E a farmacêutica, agradece. Esfrega as mãos de contente. Arrecada um rendimento superior ao lucro da indústria das armas. (Sim. Se o medicamento tem um preço baixo. É eficaz e sem efeitos secundários, fica descontinuado e desaparece. Se todos tivéssemos saúde, fechavam os laboratórios, não é mesmo? Ainda não chegou aqui, a consciência evoluída, de alguns povos que pagam ao clínico, para promoverem a medicina preventiva e portanto adoecer raramente. Era outro prejuízo para muitos…)

·      Fazer silêncio ajuda a descobrir a muita informação errada ou correcta, que arquivamos.

·      Se houver correcções a fazer, e desejarmos uma vida equilibrada. Saudável. Feliz, isso é possível!

·      Há que escutar. Observar atentamente. Perceber os sinais e ….

·      Libertar bloqueios. Conectar-se com a sua essência, isto é, com quem verdadeiramente se é.

·      Talvez um dia destes, se eu tiver oportunidade, lhe dê algumas dicas, mas claro tem que ter a percepção do que lhe disse e sobretudo QUERER fazer algo para mudar!
·      Vale a pena e resulta, garanto-lhe.
·      Há técnicas para conseguir desprogramar estes registos, como sabe. Poderá ser feito só, ou com ajuda de terapeutas, sem ingerir drogas, claro!

·      Receberá benefícios espirituais. Emocionais, mentais e físicos! A sua vida muda completamente e seu corpo, sem DOR, agradece!

·      E lembre-se sempre:

A felicidade é salutar para o corpo! Marcel Proust

Lucinda Ferreira 8.5.16

Sem comentários:

Enviar um comentário