sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Comunicação, esse “ser” sagrado!

Textos e pretextos

Comunicação, esse “ser” sagrado!
 "Ninguém falaria tanto na presença dos outros se soubesse quantas vezes se é mal interpretado.” GOETH






Para mim, COMUNICAÇÃO é um “acto”sagrado. Uma obra de arte. Um dos gestos mais significativos e importantes da minha vida!
Não refiro a comunicação dos que falam a metro para aparecer.
Para ganhar dinheiro.
Para preencher um espaço.
Para cumprir uma tarefa.
Para responder a uma encomenda.
Para defender um ponto de vista, quer ele seja económico. Político ou Religioso.

Comunicação nasce como um ser de luz de uma necessidade funda de transmitir algo importante fruto da nossa experiência. De uma descoberta solitária e pessoal.
Algo que se viveu com sofrimento e ou alegria e se quer partilhar para que o outro experimente e se enriqueça. Seja!

Foi assim que sempre fui professora.

Raramente “ensinei” algo… Antes dei todas as ferramentas e incentivos para que cada um fosse capaz de desabrochar a riqueza imensa que carregava escondida em si e que desconhecia possuir!
Era isso que fazia brilhar os seu olhos extasiados com a auto-descoberta.
……………………………………………………
Assim como o acto criativo, foge às coisas contáveis. Vendáveis, a arte e o amor não têm preço!

Há textos que nascem por amor e para o amor!
Diógenes de Sinope (c. 404-323 A.C.) foi um filósofo grego cínico conhecido por segurar uma lanterna (ou vela) virada para os rostos dos cidadãos de Atenas, alegando que estava procurando um homem honesto!

Hoje, certamente nem que usasse um holofote, teria mais sorte ou facilidade em o descobrir…
img net
Corro o mundo. Ando um ano ou mais e não encontro ninguém com quem comunicar com alegria…

Pode-se até estar sempre entre gentes e ou na multidão e não se descobre NINGUÉM!
Infelizmente mesmo no meio restrito religioso em que nos integramos, esse milagre também não acontece.

Comunicar pode nem ser falar muito. Escutar muito.
Embora as mensagens tomem forma de palavras, gestos, olhares, movimentos do corpo, por vezes um sorriso basta.
O corpo também comunica e muito nos diz quando se está atento e se lêem os sinais.

  Fiódor Mikhailovich Dostoiévski dizia que conhecia uma pessoa pelo sorriso que esboçava no primeiro
 segundo do encontro e nunca isso o enganava.

Estamos todos unidos por uma teia invisível de uma subtileza que nem todos captam.

A comunicação exige verdade interior. Autenticidade. É feita de uma sintonia inexplicável. Sagrada! Nasce para além do espaço e do tempo. É tão natural e espontânea que chega a doer pelas saudades de quem perdeu o seu interlocutor/a ou nunca o/a achou por tão distante ou tão perto (!) se esconder.

O saudoso Amigo. Poeta . Escritor. Estadista, Doutor David Mourão-Ferreira dizia-me que nem que fosse do outro lado do mundo, alguém andava à nossa procura pelo desejo de comunicar nesta onda profunda e consoladora que nem todos têm o privilégio de experimentar.

É por isso que uma gralha. Um corte num pequeno artigo de jornal me custa muito. Infelizmente isso acontece, pelo que peço perdão aos meus leitores mais fiéis.

Isso chega a bloquear-me de tal modo que sinto tal como  Sigmund Freud: 
“Existem momentos na vida da gente, em que as palavras perdem o sentido ou parecem inúteis e, por mais que a gente pense numa forma de empregá-las, elas parecem não servir. Então a gente não diz, apenas sente.”

E como estudos revelam que os meios de comunicação exercem influências positivas e negativas na vida das pessoas, sinto-me responsável por tudo o que escrevo.

Estou a trabalhar nos meus livros que foram tomando forma ao longo da minha vida.
Se escrevo romance ou novela, sei que fazem “companhia” às pessoas, propiciando catarse emocional. Aliviam carências e fracassos, aí a Comunicação pode tomar outro rosto, mas escreve-se sempre o que se é...
Também me poderá ler no meu blog, com aproximadamente 24 mil visitas, clicando em :

lucinda-umaponteparaoinfinito.blogspot.com

Comunicação para mim, é algo sagrado que muito respeito e a que me entrego só por amor!
img net
Lucinda Ferreira...27.11.2015 




2 comentários:

  1. Da Alemanha..
    Bom dia, Dona Lucinda!
    Acabei de ler o seu texto e não encontro palavras para descrever o que sinto...Toca o profundo. Verdade pura!
    Eu própria por experiência de vida , conheço essa superficialização, e , às vezes quer eu queira , quer não, dói... Parabéns por ter uma alma inspiradora
    .Maria Lourdes Vicente Alves

    ResponderEliminar
  2. A Lucinda e a sua FAMÍLIA! Caras bonitas. Pensamentos profundos e belas palavras, onde emergem o Amor, a fraternidade, a gentileza, a esperança, a saudade ...

    Um grande abraço
    J. Azevedo e Silva

    ResponderEliminar