segunda-feira, 28 de abril de 2014

Romance no Mar ( ou a Nova Nau Catrineta)

                     Romance no mar
foto net
*A percepção do desconhecido é a mais fascinante das experiências. O homem que não tem os olhos abertos para o misterioso passará pela vida sem ver nada.   Albert Einstein




                   Descobrimentos! Fascínio do homem português  

Em minúsculas barcaças, as nossas caravelas …

Destemido. Aventureiro. Pelo mar fora, uma estrada ele fez.

Á procura do mundo! Dobrar o Cabo Bojador

Povo sonhador deixa tudo. Arrisca. Vai.

 Sem temer seja o que for. Muito para além da dor

 Indiferente a doenças. Tempestade. Morte.

Deixa para trás, amigos. Filhos. Mulher. Mãe. Pai.

Apenas o Capitão da nau leva companheira. A sua mulher

Forte ela também. Suporta extremo frio. Tórrido ardor.

Corajosa. Amante. Quis ir. Para o bem e para o mal

 Resiste com valentia. Dedicação. Penosa e dura sorte.

Nalguns casos, ao tempo, era assim o amor em Portugal

Compota de laranja, sem escorbuto, só o comando escapa.

Sem frutos nem água potável, a dureza a alguns, mata.

Já no alto mar, muitos sóis e luas de viagem passados  

Única mulher presente faz os rapazes sonhar

Mesmo antes de chegar, obcecados, têm que experimentar

As doçuras do amor. Resistem à chuva. Ao frio. Ao calor.

Imaginam em seu íntimo, no secreto Coração, a metade perdida

Andrógeno. Solitário. Adão sem Eva não sabe viver. 
Ela completa-lhe o ser

Resistente.
 Corajoso.Indiferente ao gigantesco e medonho Adamastor…

Até ao limite máximo. Dar. Oferecer. Arriscar a própria vida

Perpetuar a existência. Realização profunda faz o sonho acontecer.

Ardendo em paixão, cada rapaz enfeitiçado, de tudo é capaz

Ocioso. Pensamento fixo. Exaltado. Todo o soldado sente.

Cego. Ofuscado pelo desejo permanente que não se apaga,

Engenhosa construção da imaginação.

Bela Sereia reinventada não sai da ideia…

Vinda enrolada numa enorme vaga, metade peixe. Metade rapariga

De noite, ousados. Sem medo. Em segredo…

Saltam da caravela.

Se necessário, morreriam no mar, só pelo prazer de a desflorar

Vitória.Troféu. Virgem. Quem a alcançar. Taça de ouro erguida!

Colados. Apertados laços.
Tentáculos divinos. Abraços. Sexo. Antes de se afogar…

Alucinação. Anseio. Pulsão. Ousadia. Atrevimento. Curiosidade.

Sentimentos díspares.Múltipulos.Das descobertas.
 De toda a Humanidade.

Ao chegar ao destino final, o grupo de Portugal

Chegava pequenino. Reduzido.
Deixando tanta mulher por casar.Tanta mãe a chorar.

O marinheiro atraído pela espuma etérea das meninas do mar.

Não consegue fugir. Desenvencilhar-se do canto. 
Encanto. Eterno fado.

 Vencedoras. Persistentes.Aliciam os lobos do vasto oceano

 Ainda hoje os esperam. Requebradas.
 Lânguidas. Sedutoras…A acenar…**

Latino não resiste a tanta magia. 
Desaparecia. Confuso. Enfeitiçado.

Perdia-se apesar de tanto sacrifício. Tanto esforço insano!

Era assim a nossa gente. Ser castiço.
 Fadista. Audaz. Valente. Apaixonado

Diferente.
Engano feliz. Busca sempre incompleta. Humano delírio da mente

Conquista. Fama. Poder. Riqueza.
 Tarefa infinda que não para. Não cansa.

Ambição imparável. Avança por mundos de aventura. 
Perigos. Esperança.

Fortuna. Exótica beleza. Conhecimento. Novas paragens. Miragens

Casos perdidos. Antigo domínio desventurado.
 Malfadadas viagens? (…)

Alguns dirão - Tudo perdição. Poço sem fundo.Esgotante. Orgulho.

Domínio.Escravatura. Povos indefesos. Erros da colonização.

Sigiloso e grande pélago encerra vitórias e desgraça

Semelhante ao que em terra se passa afinal

Tanto varão se perdeu no caminho da fantasia e do prazer

Da Fé. Do ideal.Do lucro material.Da crueza.Da lindeza  de uma nova raça

Terras do Prestes João… Desconhecido. Mundo da ilusão.

Nobres.
 Altos cargos.Grandes Senhores de quem o Rei se desembaraça.

Celebrado amor divino de deusas. Princesas.

Míticos seres especiais. Povos indefesos. Outros, bestiais.
Canibais.

Plebeias encantadas.Brasis. “Vergonhas encaracoladas”…*

Ìndias.Negras. Experiência nova.
 Onde o Luso estonteado se mistura. Se afoga.

Sentimentos.Luta. Morte.Destruição. Novos achamentos.

Interesses pessoais.

 Descobrimentos. Levados pelos ventos?!

 E ou antes … por intentos verdadeiros.

………………………………Reais?!

                                                      Coimbra, 25 abril 2014.......Lucinda Ferreira 

*(vide Carta de Achamento do Brasil de Pero Vaz de Caminha, dirigida ao rei de Portugal)


Nota: 
Um modo  diferente de falar dos Descobrimentos ...








7 comentários:

  1. cristina barreiros
    13/04

    para mim
    É sempre um prazer ler e deixar que as suas palavras nos "toquem" de mansinho.
    Obrigada por partilhar.
    Bjits

    ResponderEliminar
  2. mt obrigada Cristina Barreiros ESta amiga sintonizou exatamente com o q eu sou e pretendo..Suavemente e com a simplicidade das palavras tocar o mais profundo da VIDA
    MT OBRIGADA
    lUCINDA

    ResponderEliminar
  3. Ah, grandes Descobrimentos!!! Tem razão, não foram bem aproveitados.
    Um beijo

    ResponderEliminar
  4. Francisco Lucas
    10:35 (há 10 horas)

    para mim
    muito profundo...esta tao leve a imagem...não sabia desses dotes de arranjo dessas imagens
    bj

    ResponderEliminar
  5. Elsa Pimenta
    16:24 (há 17 horas)

    para mim
    desculpa só hoje agradecer o mail nau catrineta que me mandaste!
    Não estive cá, aproveitei os feriados e fui ao algarve passar esses dias com a minha prima e filhos.
    Vi-te passar bem disposta. Há boas notícias do Miguel?
    Deus queira que sim, pois para sofrimento já basta!
    A Nau.... é simplesmente prodigiosa! É para guardar.
    beijos amigos

    ResponderEliminar
  6. Francisco Lucas
    30/04 (há 8 dias)

    para mim
    muito profundo...esta tao leve a imagem...não sabia desses dotes de arranjo dessas imagens
    bj

    ResponderEliminar