domingo, 6 de junho de 2010

Com...sequências...


São 3 artigos sobre os animais... por quem nutro um profunda compaixão...



COM… SEQUÊNCIAS… (1)


“Jamais creia que os animais sofrem menos do que os humanos. A dor é a mesma para eles e para nós. Talvez pior, pois eles não podem ajudar-se a si mesmos.”
Dr.Louis Camuiti



Olho para os olhos puros e brilhantes dos animais e a minha alma enche-se de compaixão, bondade e gratidão.
Tal como Emile Zola , digo também:
o destino dos animais é muito mais importante para mim do que o medo de parecer ridícula.
Muito se aprende com estes “anjos” de quatro patas ( como dizia há dias, um lindo email, sobre animais que recebi, que falava da ajuda que eles nos dão, pela paz e harmonia que a sua companhia, sempre transmite ao dono.)
Quando era pequenita e vivia na aldeia, ao ouvir bem cedo pela manhã, um porquinho a chiar, eu chorava e tapava os ouvidos.
Não conseguia imaginar que estavam a espetá-lo com um grande facalhão, enquanto não sei quantos homens por desporto e numa alegria tão grande, seguravam as pernas do animal aflito e num sofrimento horrível!
Que festa cruel e sangrenta que afinal era tão desejada e tão esperada por amigos e familiares, fala de uma cultura por vezes bárbara.
È Fred A.Mc Grand que assim refere:
”Crueldade é algo que está presente em famílias humanas por incontáveis eras. É quase impossível alguém que é cruel com os animais, ser generoso com as crianças. Se se permite às crianças a crueldade com os animais de estimação ou outros que cruzem nos seus caminhos, eles aprenderão facilmente a ter prazer com a miséria dos seus semelhantes. Essas tendências levam facilmente ao crime.”
Aliás, estudos do FBI, provam que os “serial killers” tiveram quase todos experiências de crueldade com animais, antes de infligirem requintada crueldade aos humanos. Por isso se cultivamos e damos estes exemplos aos nosso filhos, às nossas crianças, que mundo podemos depois esperar?
E não venham para cá rir-se e achar muita piada , só porque isso sempre se fez.(…)
Há sempre um tempo para mudar e evoluir.
È que primeiro foi necessário civilizar o homem em relação ao próprio homem. Agora é urgente e necessário civilizar o Homem em relação à Natureza e aos Animais. Digo-o eu e dizia já Buda , mesmo antes de Cristo. Vejamos o progresso que já se fez…
Há dias, passei por Marrocos e vi atirar uma ovelha de um segundo andar de um camião de carga , atulhado de animais apertados, ao sol e cheios de fome e sede…
Claro que se fica doente só ao ver tanta barbaridade.
Humboldt dizia que a civilização de um Povo se vê pela forma como os animais são tratados.
E Mahatama Ghandi referia exactamente que nação pode ser julgada pelo modo como os animais são tratados.
E nós vemos entre nós, o que se passa e ficamos desolados . Dos lugares por onde passei até este momento em minha vida, apenas na Holanda e no Canadá, vi respeito pelos animais.
Na China, foi o sítio onde vi maior crueldade. Logo ali nos mercados, os animais vivos são mortos com todo o à vontade, frente ao cliente que olha com a maior naturalidade. O respeito pela vida…deixa muito a desejar, naquelas paragens.
E quando hoje se diz , tal como Paul e Linda Mc Cartney, que todos seríamos vegetarianos, se os matadouros tivessem paredes de vidro, porque nos sentiríamos bem melhor connosco mesmos e com os animais, sabendo que não estamos contribuindo para tão grande sofrimento”, há quem se ria e ache que este discurso não tem cabimento.
É que ainda temos um longo caminho a percorrer , aprendendo a respeitar os seres mais débeis.
Seja animal ou vegetal. Quando isso acontecer, nem teremos que nos preocupar com o respeito pelo nosso semelhante , porque ele está implícito naquela atitude. E isso não é só para os outros .É mesmo para si que me lê, para mim.
Para TODOS!
A começar já .Com urgência.
Leonard da Vinci também disse:
“Lá virá o dia em que maltratar ou matar , será considerado crime , tal como o assassinato de um homem.”
E se quer saber, felizmente no Canadá, está já muito próximo este dia!
E em Portugal ? (…)
linmare@edicomail.net
blog:http://lucinda-umaponteparaoinfinito.blogspot.com















COM…SEQUÊNCIAS (2)


“ A protecção dos animais faz parte da moral e da cultura de um Povo”
Victor Hugo

Felizmente que posturas espirituais, como por exemplo os seguidores de DALAI LAMA, sabem que matar animais por desporto, prazer, aventura e até por suas peles, é um fenómeno cruel e repugnante ao mesmo tempo. Nada justifica tal brutalidade.
Há até quem tire a pele aos animais ainda vivos, para maior rentabilidade. Estes em grande sofrimento, continuam com seus corações batendo (…) até à morte final.
Imagine qualquer um de nós, como seria connosco. Nesta situação, em nada diferimos dos animais, nem eles de nós!
Isto e a desgraça da crueldade nas arenas das touradas, que Mário Nunes tão bem apresentou no último número deste Jornal, em artigo intitulado: Os homens , os animais e as touradas.
Se virmos bem, essa tal tradição das touradas está associada a um marialvismo que já deu o que tinha a dar, caído em desuso, expresso por uma necessidade de afirmação, a que chamam coragem e valentia, domínio, vaidade ufana de enfrentar um animal em sofrimento.
Mas se o maior confronto humano, se desenrola dentro, no silêncio de cada um de nós e não nas aparências, não será antes fraqueza, a chamada “festa brava”, que nem sequer respeita os mais fracos, na condição de não se poderem defender dentro de um espaço de sofrimento, infligido por um ser que se crê inteligente ?
…………………………………………………………………………………………………
Enquanto o ser humano pode albergar no seu íntimo, a vingança, o ódio, a crueldade, um animal é puro demais e muito superior, a esse mau hábito que o ser humano tem de usar mal a sua liberdade.
Um animal esquece logo tudo de mal que lhe fazem.
Vemos, como um animal leva pauladas, atiram-lhe para cima água a ferver, fome, sede, brincam a ver quem atropela o o pobre coitado do animal, enfim todos vemos coisas muito feias que se fazem aos nossos “irmãos menores”, e de seguida ele tudo esquece. Ao ver o seu dono, corre para ele de novo e enche-o de carícias, cheio de alegria.
Abana o rabito, lambe-o ( se ele deixar…) , manifesta a sua grande alegria, esquecendo todas as maldades de que foi alvo.
Se ao menos o homem aprendesse esta lição de perdão e bondade, seria bom…
“A compaixão para com os animais é uma das mais notáveis virtudes do ser humano”, já dizia também Charles Darwin
Amiudadas vezes estou condenada, a ouvir com inquietação e impotência, alguém que ao chegar a casa, descarrega com pauladas no seu animal, a raiva, o stress que acumulou durante o dia. O desgraçado do cão, com fome, sede, excessivo calor ou frio, sozinho, corre feliz ao ver a dona, mas é ele que “paga as favas”do mau dia da criatura, que se vinga assim.
È ainda insultado com palavras feias, que tem de engolir com lágrimas, enquanto esperava com alegria a chegada dos donos para lhe fazerem uma festa e lhe darem comida e água…
É difícil ouvir esta luta desigual contra um pobre cão que nada percebe destas atitudes desequilibradas, mas que tudo tem que suportar pacientemente, sem se poder defender. Se reagisse , logo seria abatido…
Isto é uma amostra mínima do sofrimento dos animais.
Também há quem no calor da discussão, com o carro em movimento , atire o pobre animal pela janela…
Imagine-se a dor do bicho, assim cuspido e abandonado.
Agora que as férias se aproximam, muitos animais serão abandonados , sem qualquer pejo.
O sentido da responsabilidade manifesta-se nestes gestos…sem dúvida. Mas não espere coisa boa, quem assim trata e abandona seres indefesos , fracos e incapazes de fazerem greves, manifestações ou mesmo de se defenderem .
Mas como tudo fica escrito no livro da vida, não esperem pela demora…as pessoas que não têm compaixão por quem sofre.
“Enquanto o homem continuar a ser destruidor impiedoso dos seres dos planos inferiores, não conhecerá nem saúde, nem paz!
Enquanto os homens massacrarem os animais, eles se matarão também uns aos outros.
Aquele que semeia a morte, o sofrimento não pode colher a alegria e o amor” diz Pytagoras.
O grande bailarino e coreógrafo , Vaslav Nijiusky, conta que não come carne ,porque um dia, viu um carneiro e um porco sendo mortos.
“ Vi e senti a dor desses animais…Eles sentem a aproximação da morte . Não consegui suportar a cena. Chorei como uma criança. Corri para o topo da colina e mal consegui respirar…senti-me sufocado…senti a morte do carneiro.”
Do mesmo modo, que um dia sonhei que estava a comer o meu gato, quando comia coelho. Nunca mais consegui comer tal animal e esforço-me par aprender a alimentar-me sem carne.
E na verdade a minha saúde sente grandes melhoras, felizmente.
Aliás os animais criados em cativeiro, mortos com tanto sofrimento, cheios de antibióticos … são a maior fonte de doenças, porque ao comê-los são mais as toxinas do que os benefícios…
Já agora um parênteses para lhe dizer que ao comprar ovos , não vá pelo preço mais baixo, pois essas tristes galinhas vivem em cativeiro, em gaiolas ( ver rótulo obrigatório) e esse alimento não lhe dará saúde alguma.
E para terminar, não se esqueça que a agressividade e por vezes a falta de saúde, estão ligadas ao consumo de “carnuças” vermelhas, eivadas de gorduras e toxinas originadas por n...razões, entre elas o sofrimento dos animais.
…”Desconfie e muito cuidado, com alguém que maltrata um animal...”- diz – nos Bottach e eu também sinto isso.










COM…SEQUENCIAS (3)




“Cuidado com o homem que maltrata animais”
Bottach



Os Animais e as Plantas têm o mesmo direito que os seres humanos, de habitarem o Planeta Terra.
Merecem o nosso carinho e apreço.
Infelizmente, sendo o homem dotado de inteligência e sentimentos, não se percebe como desce tanto e é mais cruel que a gata dos quintais que sofre tudo , mas não abandona os seres indefesos da sua ninhada e com supremo carinho, lambe e alimenta os seus filhinhos com amor e extremo cuidado.
E como se isto não chegasse, soube há dias ( já telefonei a confirmar…)
que por trás do Santuário de Fátima, um lugar onde tanto se busca a Paz , o Amor , a Luz, onde o divino e o humano se cruzam para se elevar a prática do Bem , ora é justamente aí, que se vê um espectáculo de crueldade, abandono e falta de amor para com os animais.
Os responsáveis do Santuário permitem que uma gaiola que apanha animais abandonados, contenha os bichos que já foram maltratados, cheios de fome e abandono, (…), aí ficam de 6.ª feira (que pode ter sido de manhã) até 2.ª feira à tarde. Os animais ficam aí ao sol, sem comer, sem beber, engaiolados , à espera da morte …depois no canil.
Nossa Senhora não deve gostar nada deste espectáculo…
E se S. Francisco de Assis visse assim tratados os seus irmãos menores, também choraria … como nos acontece a nós.
Foi ele mesmo que disse:
“Todas as coisas da criação são filhas do Pai e irmãs do Homem.
Deus quer que ajudemos os animais, se necessitarem de ajuda.
Toda a criatura em desgraça tem o mesmo direito de ser protegida.”
Mas se se escondem coisas tão feias e terríveis, no coração de alguns humanos (…), como não se há-de também encarar com ligeireza e leviandade , o caso dos cães abandonados , em Fátima, que “só incomodam e molestam(…) “’?!
Esquecem-se fácil e levianamente, as palavras que até talvez se desconheçam de Thomas Edison quando diz:
”A não violência leva-nos aos mais altos conceitos de ética, o objectivo de toda a evolução.
Até pararmos de prejudicar todos os outros seres do planeta, nós continuaremos selvagens”
Já nem preciso dizer mais palavras...porque até me dói… falar para o vento…O mais surdo, é aquele que não quer ouvir.
Dá trabalho a mudança?
Pois dá , mas ela é para todos os seres humanos neste plano, sem excepção alguma!
E quanto mais responsabilidade, mais atenção necessitamos dar aos nossos actos. Ou estou errada?
Pois é. Mas no canil de Castelo Branco, segundo ouvi na comunicação social, os animais abandonados não são abatidos e são bem tratados.
Têm respeito por eles.
…mas como poderiam aquelas pessoas” tão empenhadas”, que apenas tentam livrar-se do “incómodo” e nada fazem para mudar a atitude e ajudar a resolver esta postura cruel de abater os animais abandonados, com fome, com sede, como poderiam elas compreender, que além de tudo , os responsáveis do canil ainda os levem até à praia, para que se libertem do stress , correndo junto ao mar?.........................................................................................................
Nestes gestos de falta de amor pelos animais, a nossa alma surpreende-se e fica muito triste.
Albert Schweitzer já pensava como nós , quando dizia:
“ Não permitas que ninguém negligencie o peso da sua responsabilidade. Enquanto tantos animais continuarem a ser maltratados, enquanto o lamento dos animais sedentos nos wagons de carga não sejam emudecidos, resolvidos, enquanto prevalecer tanta brutalidade em nossos matadouros (…)todos seremos culpados!
Tudo o que tem vida tem valor como ser vivo, como manifestação do mistério da vida.“
A nossa Fé no Criador tem tudo a ver com estas realidades.
Ficamos muito desapontados por se constatar, que quem deve dar exemplo de compaixão para com quem sofre, nada faz!
Permite estas situações. Nada faz pelos seres mais desprotegidos: os animais.
Isso custa muito ver...
Aos animais não são lixo! Não estão à mercê dos humores ou das conve- niências.
Gritamos para sejam defendidos! Respeitados!
“Nossa tarefa devia ser libertar-nos (…) aumentando o nosso círculo de compaixão para envolver todas as criaturas viventes, toda a Natureza e sua beleza.”- dizia Albert Einstein
È um facto que todos os seres vivo buscam a sua felicidade. Nós só temos que dirigir a nossa compaixão para com todos.
Merecem respeito e amor! Sofrem como os humanos, os animais .
Não me admiro nada, que figuras como Brigitte Bardot, uma mulher famosa, com todos os meios ao seu alcance, talvez desiludida com a traição e maldade dos humanos, dedique a ponta final da sua vida ,à defesa dos animais, tendo mesmo enfrentado tribunais e tudo o que é necessário, para que aos nossos irmãos menores tenham o respeito que sempre merecem e que ainda não lhes foi dado.
Ninguém duvide que há uma justiça imanente que tudo vê e regista.
As consequências chegam sempre.
Se assistimos em silêncio, se abandonamos ou maltratamos os animais com mil barbaridade de sofrimento, não esperemos colher rosas à nossa volta.
Todas as nossas acções têm uma repercussão, disso ninguém duvide.
Mesmo quando ninguém vê, há alguém que sonda o mais íntimo de nós mesmos: cada um de nós !
...e isso não pode deixar a consciência muito feliz. As consequências mais tarde ou mais cedo, chegarão. Ninguém duvide!
A não ser que nem se tenha consciência…
“A compaixão pelos animais está intimamente ligada à bondade de carácter e pode ser seguramente afirmado, que quem é cruel com os animais não pode ser bom homem” afirmou Arthur Schopenhauer e nós mesmos confirmamos.
Os animais não são lixo. Merecem amor. Respeito e gratidão.
Ainda me lembro de me surpreenderem em Den Hag e noutras cidades da Holanda , os patos livremente voando e grasnando sobre as nossas cabeças…
Ou em Oñati, velhos e crianças alimentando pombas e passaritos que pulavam na relva dos jardins…
Ou ainda no Canadá, o sarilho que seria atropelar um esquilo, por exemplo, e ter que responder perante a polícia…
Isso imediatamente me levava à comparação no meu País, do tratamento fidalgo (…) dado pombas, que eram envenenadas na água das fontes da minha cidade e do susto de alguém que desse de comer aos animais tinha, até ser dissuadido desses gestos atrevidos(…).
Pergunto se o preço da repressão não podia ser usado para protecção dos animais.
Isso exige nível e mudanças de fundo em quem tem o poder…
Será que alguma vez isso acontece entre nós?

linmare@edicomail.net
meu blog: http//lucinda-umaponteparaoinfinito.blogspot.com


1 comentário:

  1. Gostei tanto destes seus textos querida amiga!!! Concordo plenamente consigo!! Plenamente mesmo!
    Tenho de voltar para ler melhor e dar a minha melhor opinião!!
    Vou beber o cházito, rrrsss
    Boa semana com muita paz e amor para si, com
    um beijinho e um abraço garnde.

    ResponderEliminar