domingo, 14 de fevereiro de 2010

A minha camélia


A MINHA CAMÉLIA


Hoje, o sol brilhava intensamente.
As imagens transparentes recortadas na nitidez do espaço, foram um convite para dar um pequeno passeio.
Antes, metia o nariz numa fresta da janela e logo a fechava, porque a aragem fria era cortante.
Atravessei a ponte sobre o rio .
Os recortes simétricos reflectidos nas águas escuras do Vouga, eram um apelo inadiável para uma foto e outra e outra…
Sentei-me um pouco a ouvir a cascata cantante e pensei:
as pessoas daqui, são embaladas com tanta suavidade, que nem imaginam como dóiem os roncos das motas na cidade mal cheirosa.
Depois, continuei nas minhas descobertas.
E de máquina em punho, consolei-me a fixar em ângulos, as muitas camélias rosa que atapetavam o chão.
Quanto tempo ali fiquei, nem vos digo.
Acabei por me sentar debaixo da cameleira.
Apanhei do chão, uma camélia envelhecida que rolava ao vento.
Ao fixá-la melhor, falei alto, sozinha com ela:
- Como és bela, linda camélia!
Como adoraria levar-te comigo para sempre.
Preservar a delicadeza das tuas formas, a cor e o acetinado das tuas pétalas.
Mas…meu Deus, como a beleza é efémera…
Daqui a uns dias, a minha linda camélia estaria seca. Desbotada…até podre, quem sabe.
Isso entristeceu-me. Fez-me pensar:
-Como é grande e maravilhoso o Criador que nos oferece tudo!
Homem algum poderá criar o acetinado daquelas pétalas que agora eu segurava na minha mão frágil.
Como tudo ali se abria para todos e cada um de nós.
Mas, na verdade, poucos param para apreciar tanta, tanta beleza que Deus nos oferece…
É que a beleza se não existe em nós, também não a vislumbramos à nossa volta.
E se não a colhemos no momento certo, ela passa em nossas vidas e a oportunidade não volta nunca mais.
Ainda tenho à minha frente, os gominhos delicadamente requintados e coloridos que colhi de uma camélia rolando pelo chão…
Fotografei-a para lhe guardar a alma dentro de mim.
Foram momentos intensos de comunhão serena, com a natureza adormecida naquela tarde de sol brilhante e aragem fria , mas o mais belo foi aquele encontro com a beleza da camélia que colhi e escondo no meu coração para sempre.
Obrigada, bom Deus, por tanta, tanta coisa bela, gostosa, interessante, que nos ofereces para nosso usufruto e que tantos irmãos nem reparam.
Quem nasce e morre sem nunca reparar e sentir, tudo o que nos é oferecido para sermos felizes, perde o melhor que a vida tem para oferecer aos seus filhos.
Por favor páre para cheirar uma flor.
Aprecia a sua forma e coloração.
Ele foi feita para si especialmente!
linmare@edicomail.net

























Sem comentários:

Enviar um comentário